Reserva Natural Salto Morato encanta turistas com suas belezas naturais

Localizada no maior e mais preservado remanescente contínuo de Mata Atlântica do país

  
  

O lugar é cercado por queda d’água, trilhas ecológicas e uma exuberante biodiversidade. Ideal para quem procura sossego e contato com a natureza em qualquer época do ano, sobretudo durante as férias.

Mesmo durante o inverno, a Reserva Natural Salto Morato, no litoral norte do Paraná, recebe visitantes de todos os cantos do país e também do exterior.

A Reserva é um dos principais atrativos turísticos de Guaraqueçaba e fica no maior e mais preservado remanescente contínuo de Mata Atlântica do país.

Criada em 1994 pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, a Reserva está dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Federal de Guaraqueçaba, numa região reconhecida pela sua riqueza natural e beleza cênica.

Em 1999, junto com outras unidades de conservação da região, a Reserva foi reconhecida pela Unesco como Sítio do Patrimônio Natural da Humanidade. Hoje, é considerada referência em manejo de reserva natural.

O destaque da Reserva Natural Salto Morato é a queda d’água que dá nome ao local. O Salto Morato, uma cascata de cerca de 100 metros de altura, proporciona um espetáculo visual emocionante. A trilha que conduz até ele é envolta por uma densa floresta que revela surpresas dos mais variados tipos.

Pássaros e, por vezes, até macacos podem ser avistados à beira do caminho, dando um “show” à parte no trajeto que também contempla o Aquário Natural, uma piscina natural de água translúcida que pode ser aproveitada para mergulho ao lado de diversos peixes.

O passeio pela trilha do Salto Morato pode ser feito em um único dia. Ela possui painéis interpretativos e é bem sinalizada, o que torna a caminhada ainda mais interessante.

Antes de iniciar a trilha, no Centro de Visitantes, os turistas recebem informações sobre a Reserva, a Mata Atlântica e a conservação da biodiversidade. Também estão à disposição sanitários e quiosques para churrascos ou piqueniques.

Como os mosquitos são companheiros constantes, o repelente é ajudante e tanto para o percurso. Roupas leves e calçados confortáveis (um ou mais pares, caso molhe), mochila pequena para caminhada, roupa de banho e protetor solar também são itens indispensáveis.

A Reserva Natural Salto Morato está aberta à visitação o ano inteiro. A entrada custa R$ 7 (estudantes portando carteirinha pagam meia entrada). O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 8h30 às 17h30, sendo a última entrada às 16h.

Camping

A Reserva Natural Salto Morato também possui estrutura de camping, que comporta até 30 pessoas em barracas. Churrasqueiras e banheiros com chuveiro quente também estão à disposição dos campistas.

Para a utilização do camping, é preciso realizar a reserva antecipadamente, principalmente em períodos de alta visitação, como nas férias escolares e durante todo o verão. Não há limite de tempo de permanência para quem for acampar na reserva. O valor da diária é de R$ 10 por pessoa. Crianças menores de 10 anos não pagam.

Formas de acesso

Uma opção para se chegar a Guaraqueçaba é passar por Paranaguá, também no litoral paranaense. Lá, há a possibilidade de pegar uma embarcação até Guaraqueçaba. Neste passeio por baías e mangues, as belezas do litoral paranaense são reveladas.

É possível, ainda, ser surpreendido pela presença de golfinhos, comuns na região. É necessário alugar um automóvel para fazer o translado de Guaraqueçaba até a Reserva Natural Salto Morato.

Para quem gosta de viajar com tranqüilidade e apreciando a paisagem, a estrada é uma boa sugestão, passando por povoados e mirantes, no coração da Mata Atlântica. Diariamente, partem ônibus de Curitiba em direção a Guaraqueçaba, pela Viação Graciosa. O percurso é completado com uma caminhada de 4,5 km até a Reserva Natural Salto Morato.

De automóvel, o caminho pode ser feito por acesso à BR 277 em direção ao litoral e, no km 30, entrar na PR 408 (Morretes-Antonina), que é asfaltada. Outra alternativa é pegar a BR 116 (Curitiba-São Paulo) até a Estrada da Graciosa (km 60), com trechos de paralelepípedos.

Quem for tanto pela Estrada da Graciosa quanto pela PR 408 deve entrar na PR 440 (Antonina-Cacatu). E, um pouco a frente, acessar a PR 405 (Cacatu-Guaraqueçaba). São 79 km de estrada de chão. Uma placa sinaliza a entrada do Salto Morato.

GPS

Para facilitar no percurso, os viajantes que têm como destino a Reserva Natural Salto Morato podem contar com rotas disponíveis em GPS.

A Reserva está no TrackSource, um banco de dados que reúne mapas brasileiros roteáveis em GPS, com cobertura rodoviária de todo o país, além do detalhamento urbano de milhares de municípios brasileiros.

O software roda em GPS Garmin e em navegadores compatíveis. Para acessar a página e baixar o software, entre em http://www.tracksource.org.br/

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Ronan Pierote

  
  

Publicado por em