Rio de Janeiro sextuplicou número de passageiros em vôos não-regulares

A concorrência na busca pelo turista estrangeiro tem aumentado o volume de vôos charters no Brasil. Vários Estados vêm apresentando um crescimento acentuado no número de passageiros internacionais devido à frequência cada vez maior de vôos não-regulares.

  
  

A concorrência na busca pelo turista estrangeiro tem aumentado o volume de vôos charters no Brasil. Vários Estados vêm apresentando um crescimento acentuado no número de passageiros internacionais devido à frequência cada vez maior de vôos não-regulares. Esse é o caso de quase toda a região Nordeste.

A novidade, este ano, fica por conta do Rio de Janeiro, que sempre liderou o número de desembarques em vôos regulares e passa agora, cada vez mais, a se beneficiar dessa outra modalidade de linha aérea.

O primeiro trimestre de 2005 apontou a vinda para o Brasil de cerca de 137 mil turistas em vôos charters, todos estrangeiros, batendo com folga os 101 mil no mesmo período do ano passado: um crescimento de 35,46%.

Os dados da Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária) mostram que somente no mês de março, o aumento percentual foi ainda maior: 43,03% (37.140 em 2005, contra 25.966 no ano passado).

Só no Rio de Janeiro, 27.069 passageiros desmbarcaram nos primeiros três meses, contra 6.728 no mesmo período do ano passado (volume 308,10% maior).

Considerando-se apenas março, o aumento foi de 502,87%. No ano passado, foram 1.116 desembarques. Em 2005, 6.728.

O Estado líder em desembarques de charters é o Rio Grande do Norte, com 29.429 passageiros em março, tendo crescido 22,06% sobre 2004. No primeiro trimestre do ano, esse número foi de 32,19%.

Em terceiro lugar, Santa Catarina, com 25.283 desembarques e crescimento de 76,05% no mês e 15,41% no trimestre, seguido do Ceará, com 22.214 desembarques, crescimento de 22,06% no mês e 24,75% no trimestre.

Para o diretor de Estudos e Pesquisas da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), José Francisco de Salles Lopes, esse tipo de vôo continua a ter um crescimento expressivo em 2005.

A situação, segundo ele, segue a mesma do ano passado, com o Nordeste sendo mais beneficiado e Santa Catarina tendo um número também importante de vôos.

“O que mudou é que o Rio de Janeiro percebeu a importância dos charters na vinda de estrangeiros. O setor público e o privado passaram a investir nisso”.

Para Lopes, “o Estado, que ocupava tradicionalmente quarta ou quinta posição na vinda de charters, só perde agora para o Rio Grande do Norte, pois sua capital, Natal, tem uma estrutura de vôos regulares muito pequena e por isso tem neles sua grande demanda`.

Sergio Ricardo de Almeida, secretário de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, acredita que para atingir a meta estabelecida pelo Ministério do Turismo, de trazer 9 milhões de estrangeiros até 2007, um dos caminhos é aumentar o número de vôos internacionais para o País.

Em contato com o mercado, o secretário verifica que há uma tendência de expansão de vôos fretados em algumas regiões do Brasil, principalmente no Rio.

“Temos atuado não só em sintonia mas também em parceria com o mercado, incentivando a vinda de novos vôos charters para cá. Nossa meta agora é levar essa expansão ao Aeroporto Internacional de Búzios, inserindo o balneário no roteiro dos vôos fretados”, diz.

No início de maio foi anunciado um vôo da Varig com 300 assentos vindo da Alemanha, que deverá ter duas freqüências semanais para o Rio de Janeiro (RJ).

O negócio foi firmado entre a operadora alemã MTM Reiter, a carioca MJM e a companhia aérea brasileira. Deve começar a operar em outubro e a expectativa é que traga mais 25 mil turistas por ano para a cidade.

Fonte: Embratur

  
  

Publicado por em