Rota canavieira vira atração turística em estados do Nordeste

Pernambuco é terra do frevo, maracatu, praia, sol, e de muito mais. Com o mote `Civilização do Açúcar`, o Sebrae em Pernambuco, junto com vários parceiros, quer mostrar que o turismo no Estado tem outras opções, além de praia e sol. Localizado no litoral

  
  

Pernambuco é terra do frevo, maracatu, praia, sol, e de muito mais. Com o mote `Civilização do Açúcar`, o Sebrae em Pernambuco, junto com vários parceiros, quer mostrar que o turismo no Estado tem outras opções, além de praia e sol. Localizado no litoral do Nordeste, Pernambuco é considerado um dos maiores centros turísticos do País, tendo o centro histórico da capital, Recife, tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, órgão das Nações Unidas.

Claro que não se pode negar o sucesso e o desenvolvimento econômico gerados na região por meio do Carnaval, da Festa de São João, em Caruaru, do espetáculo da Paixão de Cristo, em Nova Jerusalém - ambos no agreste -, do balneário de Porto de Galinhas, no sul, e da ilha de Fernando de Noronha, a 340 quilômetros do litoral pernambucano.

Mas, no passado, o que movimentava a economia de Pernambuco era o cultivo da cana-de-açúcar, introduzido no começo do século XVI, e que teve sua exploração estendida por toda a região, que abrange o litoral e a Zona da Mata de estados vizinhos, do norte de Alagoas ao sul da Paraíba.

Pensando em valorizar esse importante aspecto histórico, os estados de Pernambuco, Alagoas e Paraíba, junto com o Ministério do Turismo e outros parceiros, estão desenvolvendo o Roteiro Turístico Cultural - Civilização do Açúcar, que agrupará atrativos culturais decorrentes da exploração da cana-de-açúcar nos três estados, como a arquitetura dos engenhos e a gastronomia.

O tema escolhido `Civilização do Açúcar ` inspirou-se na importância histórica da exploração da cana e seus derivados na colonização e formação do Brasil, a partir de Pernambuco e seus estados vizinhos, responsável pela formação da estrutura social e cultural da região, com forte influência na constituição da nacionalidade brasileira.

Regado a maracatu, coco e caboclinho

Pois é. Então, que tal experimentar algo novo. Trocar os tradicionais destinos de férias, por paisagens bucólicas, hospedando-se em engenhos de `Atrativos`, tendo a oportunidade de conhecer de perto todo o processo de produção da cachaça, da rapadura, do álcool e todo um elenco de doces feitos de saborosas frutas regionais ou de receitas desenvolvidas nos próprios engenhos, ou se hospedando em engenhos de `Equipamentos`, que oferecem serviços de hospedagem e alimentação. Para completar, o turista pode fazer tudo isso, embalado por uma apresentação do maracatu, entre outras manifestações culturais.

`Queremos sair dessa cultura de sol e praia, por isso, estamos em processo de construção desse roteiro. A idéia é reunir, nos três estados, os atrativos turísticos e as manifestações culturais, por meio de iconografias, gastronomia, arquitetura e danças como o `caboclinho`, do índio, o `coco`, do caboclo, e o `maracatu`, do negro, explica o gestor do projeto em Pernambuco, Alexandre Ferreira.

Outro objetivo do projeto é contribuir para o processo de interiorização do turismo, elevando os níveis de emprego, renda e empreendedorismo nas comunidades envolvidas no projeto, pelo aumento do fluxo de visitantes e de sua permanência média nos destinos e nos estados. Para isso, foram criados grupos gestores que trabalham com a capacitação e organização de empresários, comunidades e produtores culturais, e com a adesão dos municípios.

A construção do roteiro está dividida em duas etapas. A primeira diz respeito a sua formatação e a segunda, tratará da gestão definitiva da implantação, operacionalização e acompanhamento do projeto, definindo e viabilizando, entre outras ações, a captação de recursos, melhoria de infra-estrutura pública e privada, indução de novos empreendimentos vinculados ao roteiro e a sua temática, incorporação de novos municípios e promoção, divulgação e comercialização integrada do roteiro.

`Já estamos incentivando os empresários a utilizar o tema `Civilização da Cana-de-Açúcar`, e está dando certo. Prova disso é o aumento do número de cachaçarias, o surgimento de restaurantes com a temática da colonização, produção de licor de cachaça e o surgimento de novos pratos na gastronomia.

Essa ação faz parte do desenvolvimento do roteiro, que visa à conscientização, sensibilização e capacitação dos empresários para que haja uma melhoria dos serviços disponíveis nos municípios para atendimento ao visitante e integração das práticas locais às raízes históricas vinculadas ao tema do roteiro`, afirma Alexandre.

O turismo, assim tematizado, dará margem, ainda, à criação ou consolidação de cadeias produtivas, que vão além da indústria do lazer e das viagens, gerando oportunidades de negócios para a produção de derivados do açúcar, tais como, a cachaça, os diversos tipos de açúcares, a rapadura, a doçaria, a gastronomia salgada, as rendas e os bordados ou ainda para a produção cultural disseminadora dos ritmos, danças e folguedos e do trabalho de intérpretes, compositores, escritores, artistas e poetas regionais.

Paraíba e Alagoas

A `Civilização do Açúcar ` também está presente na forma de ser, viver e produzir do paraibano. Os diversos engenhos que preservam a arquitetura colonial de seus casarios ainda produzem, de maneira tradicional, a cachaça, a rapadura e o açúcar mascavo. Eles podem, e devem, ser visitados. Também merecem destaque o artesanato, a gastronomia regional, o folclore, e as festas populares.

Em Alagoas cristalizou-se a Civilização do Açúcar, cuja herança cultural vigora até os dias de hoje, unindo a expressão de suas tradições às belezas de um extenso litoral que se espalha por quilômetros de ricos coqueirais. Em Maragogi, Japiranga, Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres, Pilar, Murici, União dos Palmares, Porto Calvo e Marechal Deodoro estão presentes uma rica gastronomia à base de frutos do mar, um artesanato vigoroso em que se destacam a cerâmica e as rendas, e um exuberante folclore.

Abrangência

Os Estados de Alagoas, Pernambuco e Paraíba foram definidos como áreas para desenvolvimento do projeto, em função de suas integrações no processo de formação histórica regional e de desenvolvimento da cultura da cana-de-açúcar.

Nesse estados foram selecionados, respectivamente por cada Sebrae estadual, municípios que guardam em sua formação identidade com o tema. O roteiro inclui os seguintes municípios: em terras alagoanas - Maceió, Maragogi, Japaratinga, Paripoeira, Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres, Pilar, União dos Palmares, Porto Calvo e Marechal Deodoro; em Pernambuco - Recife, Olinda, Nazaré da Mata, Vicência, Goiana, Itamaracá, Carpina, Igarassu, Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca; na Paraíba - João Pessoa, Conde, Pitimbu, Pilar/São Miguel de Taipu, Sapé/Cruz do Espírito Santo, Areia, Alagoa Grande, Serraria, Borborema, Pilões e Bananeiras, Guarabira, Santa Rita e Alagoa Nova. Outros municípios podem vir a integrar o projeto ainda durante o período de sua construção ou, posteriormente, na operacionalização do roteiro.

Fonte: Sebrae

Del Valle Editoria
Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em