Roteiro da Trilha do Chapéu pretende-se tornar um modelo de implantação do ecoturismo

Neste domingo, 26 de setembro, será inaugurada a obra de estruturação do Roteiro da Trilha do Chapéu, localizada no Núcleo Caboclos do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), estado de São Paulo. A implementação do roteiro é parte do projet

  
  

Neste domingo, 26 de setembro, será inaugurada a obra de estruturação do Roteiro da Trilha do Chapéu, localizada no Núcleo Caboclos do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), estado de São Paulo.

A implementação do roteiro é parte do projeto `Plano de Uso Recreativo do PETAR: Propostas de manejo e uso recreativo para o Núcleo Caboclos`, iniciado em 2002 por meio de uma parceria entre o WWF-Brasil, o Instituto Ing-Ong de Planejamento Socioambiental e o PETAR - Instituto Florestal e Instituto Geológico/SMA.

O Plano de Uso Recreativo do parque tem como foco o ordenamento de sua visitação pública e seu desenvolvimento recreativo e educacional. A partir de um diagnóstico sobre seu uso público e elaboração de um prognóstico (cenários), foram propostas diretrizes e ações para os núcleos e demais áreas do parque.

A segunda fase do projeto teve como área de estudo o Núcleo Caboclos, sendo enfatizada a proposta de implantação e manejo do roteiro da Trilha do Chapéu (trilha e gruta do Chapéu), além de diretrizes para gestão do núcleo.

Para a elaboração da proposta do roteiro da Trilha do Chapéu foram efetuados levantamentos topográficos, turísticos e sócio-ambientais e estudos de flora e fauna locais. A partir desse subsídio técnico, o projeto estabeleceu uma relação de possíveis intervenções necessárias para minimizar os impactos das práticas turísticas.

Em janeiro de 2004, foi realizada uma oficina com a participação de comunidades e instituições ligadas ao núcleo. A partir de avaliações e discussões em campo, as intervenções propostas pelo projeto foram remodeladas e os pontos e meios interpretativos foram definidos. No período de julho a setembro, a trilha e o camping foram reestruturados por meio da implantação de escadas, pontes, barreiras e canaletas de drenagem. Além disso, houve recomposição vegetal de alguns pontos e foi instalada a sinalização da Trilha do Chapéu e do camping do núcleo.

Menos visitado entre os núcleos do PETAR, o Caboclos foi escolhido para esse projeto por ainda ser pouco explorado turisticamente, possibilitando o planejamento participativo adequado e um monitoramento para medir os impactos causados na área daqui por diante.

Localizado nos municípios de Apiaí e Iporanga, região sul de São Paulo, o PETAR é um dos parques estaduais paulista que compõe o maior corredor florestal contínuo de Mata Atlântica do Brasil, formado por várias áreas protegidas. Por possuir uma das maiores coleções de cavernas do país, recebe visitação intensa ainda de forma pouco organizada. O projeto pretende tornar-se um modelo de implantação e gestão do ecoturismo, assegurando o uso público do parque e a conservação da natureza.

Fonte: Assessoria de Comunicação do WWF-Brasil

  
  

Publicado por em