Roteiros turísticos regionais catarinenses são atração no Salão de Turismo

Com o objetivo de ampliar e diversificar a oferta turística catarinense, a Santur e representantes das oito regiões turísticas mostram os atrativos dos roteiros regionais no `Salão de Turismo – Roteiros do Brasil`, que começa amanhã e vai até domingo em S

  
  

Com o objetivo de ampliar e diversificar a oferta turística catarinense, a Santur e representantes das oito regiões turísticas mostram os atrativos dos roteiros regionais no `Salão de Turismo – Roteiros do Brasil`, que começa amanhã e vai até domingo em São Paulo.

No total, são 71 roteiros, sendo quatro novos. O Serra Mar compreende a ligação do litoral sul com a serra catarinense, através da BR-282 e pela Serra do Rio do Rastro. A Serra Catarinense, registra no inverno as temperaturas mais baixas do Brasil, sendo o único lugar do país onde neva todos os anos.

Os municípios de Lages, Urubici, São Joaquim, Bom Jardim de Serra e Urupema estão localizados em altitudes próximas aos 2.000 metros. Foram os fazendeiros da região que iniciaram o turismo rural, no Brasil adaptando suas fazendas centenárias para receberem hóspedes.

O litoral sul de Santa Catarina é surpreendente, onde cidades históricas como Laguna que possui um conjunto de 600 prédios tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional e vilas de pescadores dividem a paisagem com belas praias, lagoas, baías e enseadas protegidas. Garopaba e Imbituba são balneários com praias famosas e os melhores lugares do litoral para o surf e a observação das baleias Franca.

Tubarão e Criciúma, pólos de comércio e indústria, estão entre as principais cidades da região, tendo como atrativos de destaque o museu ferroviário e a Mina modelo, respectivamente. Em direção ao interior, boas estradas e bem sinalizadas atravessam cidades fundadas por imigrantes italianos como Orleans e Urussanga, municípios de origem alemã como São Martinho e complexos termominerais em Gravatal e Tubarão.

No roteiro Grande Florianópolis, a qualidade de vida é a melhor definição para a região formada pelos municípios Governador Celso Ramos, Palhoça, São José, Biguaçú, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara, Antônio Carlos, São Bonifácio, Angelina, Anitápolis e Rancho Queimado, que têm em comum a natureza exuberante.

A maior cidade é a própria capital de Santa Catarina, que combina conforto e agitação de centro urbano desenvolvido, ao mesmo tempo em que oferece mar, morros, dunas e bosques de Mata Atlântica em cenário deslumbrante. Possui 100 praias onde se praticam esportes náuticos e radicais. Intensa vida noturna, ótimos serviços urbanos e oferta de 20.000 leitos.

Uma vantagem é que os municípios da Grande Florianópolis ficam muito próximos entre si, o que permite explorar a região em ótimos roteiros de um ou dois dias e descobrir vários lugares, cada um com suas características e atrativos próprios, como é o caso de Governador Celso Ramos e Palhoça, comunidades de origem açoriana com belíssimas praias e as estações termominerais de Águas Mornas e Santo Amaro da Imperatriz.

Em toda a região, a herança dos açorianos convive de perto com as tradições germânicas.

Por sua vez no Rota da Amizade, as estradas oferecem um visual à parte, às vezes margeando plantações agrícolas e pomares, outras cortando matas. O roteiro contempla a austríaca Treze Tílias, que parece extraída de um conto de fadas, Fraiburgo, fundada por alemães e Piratuba, com fontes de águas termais.

As cidades de Videira, Tangará e Pinheiro Preto são conhecidas como o Vale da Uva e do Vinho, onde é comum o visitante ser recepcionado por grupos folclóricos italianos e com degustação de queijos e vinhos nas várias cantinas existentes na região.

As cidades de Chapecó e Concórdia vem desenvolvendo o turismo de eventos e são consideradas, pólos econômicos da região. O município de Irani destaca-se por ser o berço da guerra do contestado, onde se pode encontrar o monumento que simboliza esse marco histórico.

O Rota dos Sonhos que integra três regiões turísticas, Rota do Sol, Caminho dos Príncipes e Vale Europeu, possuindo uma grande diversidade de atrativos. Belíssimas praias, esportes radicais, Santuário de Santa Paulina, cidades históricas, turismo rural, parques temáticos (Beto Carrero e Unipraias), além de uma rica diversidade cultural com arquitetura, gastronomia e folclore diferenciado, fazem desse roteiro um mosaico de atrações para os turistas mais exigentes.

Fazem parte dentre outras: Bombinhas, Balneário Camboriú, Itajaí, Penha, São Francisco do Sul, Joinville, São Bento do Sul, Pomerode, Blumenau, Gaspar, Brusque e Nova Trento , cidades que por si só já atraem milhares de turistas durante o ano todo.

Com o aeroporto internacional de Navegantes, portos de Itajaí e São Francisco do Sul e a BR-101 duplicada desde São Paulo, maior mercado emissor de turistas da América do Sul, colocam esse roteiro em condições de atrair turistas do Brasil e do exterior.

A formatação dos roteiros selecionados visa atender as necessidades do mercado, propiciando ampliação e diversificação da oferta turística das regiões envolvidas, melhoria na qualidade dos produtos e serviços oferecidos ao consumidor, garantindo a geração de novas oportunidades de negócios e renda as comunidades locais, sob a hégede dos princípios que sustentam o processo de regionalizar o turismo no Brasil.

Respeitando o limite de produtos a serem trabalhados, definido pelo Ministério do Turismo, além da região de Florianópolis mais três, a Comissão de Regionalização do Turismo do Estado, procurou definir roteiros que evidenciassem os atrativos âncoras do Estado, com foco no nível de atratividade que a composição destes poderia gerar para o mercado nacional e internacional.

Apesar de todo o esforço de imparcialidade, alguns atrativos importantes do estado não estarão sendo trabalhados nesse primeiro momento, porém todos serão inseridos no programa e, a seleção para os próximos salões dependerá muita mais do nível de organização de cada região turística do que da própria Comissão de Regionalização do Turismo do estado.

O programa de Regionalização continuará sendo implementado no Estado normalmente, seguindo as diretrizes básicas definidas pelo Ministério do Turismo. Até o final do ano, por exemplo, estaremos concluindo as oficinas com foco na instância de gestão da Região Turística.

Fonte: Assessoria de Comunicação/Santur

  
  

Publicado por em