São Tomé e Príncipe, um paraíso tropical

Situado no golfo da Guiné, perto da costa africana, o arquipélago tem tudo para ser um paraíso tropical. Logo na chegada nas ilhas vulcânicas, o turista irá se deslumbrar com as florestas densas que cobrem até o Pico de São Tomé, com 2 mil metros

  
  
Ao longo da costa existem várias praias desertas, de areia branca ou preta e encostas abruptas

Situado no golfo da Guiné, a trezentos quilômetros da costa africana e atravessado pelo Equador, o arquipélago de São Tomé e Príncipe tem tudo para ser um paraíso tropical.

Logo na chegada nas ilhas vulcânicas, o turista irá se deslumbrar com as florestas densas que cobrem até o Pico de São Tomé, com 2.024 metros.

A paisagem luxuriante é atravessada por ribeiras e cascatas desaguando num mar azul e límpido. Ao longo da costa existem várias praias desertas, de areia branca ou preta e encostas abruptas.

São Tomé e Príncipe conhece apenas duas estações: a das chuvas, mais longa e quente, de Setembro a Maio, e a seca, mais fresca, de meados de Maio a Agosto. O relevo acidentado das ilhas cria igualmente um grande número de microclimas.

Longe dos principais fluxos turísticos e empobrecido por uma excessiva dependência da cultura do cacau, São Tomé e Príncipe conserva ainda intactas todas as suas potencialidades. Nos últimos anos, aumentou consideravelmente o número de hotéis e existem projetos para a construção de novos empreendimentos turísticos.

Para além de alguns europeus, o alvo preferencial do seu turismo são os sul-africanos, sobretudo, os amantes da caça submarina e da pesca pesada em alto mar. As águas de S. Tomé fervilham de peixe e marisco e são o domínio privilegiado do atum, dos golfinhos, dos espadartes, da barracuda gigante, do Marlin Azul e todos os seus primos, inclusive, do tubarão.

São Tomé: Capital do país, é uma pequena e pitoresca cidade, cheia de sabor português, com grande quantidade de prédios coloniais e extensos parques coloridos bem cuidados. O Museu Nacional, situado no antigo Forte de São Sebastião, tem uma boa coleção sobre agricultura, religião, artesanato caju e comércio de escravos. O mercado da cidade é muito colorido. Podem comprar todos os frutos que crescem na ilha, além de pães e pastéis.

Norte de S. Tomé: A estrada que leva ao norte oferece uma belíssima paisagem, cheia de restos vulcânicos que adquirem formas espetaculares que contrastam com o verde intenso da selva. Perto de Guadalupe encontra-se a Lagoa Azul, ideal para a prática do snorkelling.

São Tomé e Príncipe conhece apenas duas estações: a das chuvas, mais longa e quente, de Setembro a Maio, e a seca, mais fresca, de meados de Maio a Agosto

Sul de S. Tomé: Pelo caminho do sul encontram-se as melhores praias da ilha. Entre elas a Praia das Sete Ondas e a Praia Grande, ambas de areia fina e branca e águas cristalinas. Em Trindade, o turista, pode apreciar o espetáculo das Cascatas do São Nicolau, inseridas numa paisagem selvagem. Aos pés das cascatas, um lago de águas frias convida o turista a nadar.

Ilhéu das Rolas: Atravessado pela linha do Equador, é um cenário de recantos idílicos desenhados com areias claras, águas azul-turquesa e coqueirais à volta. Possui um dos fundos marinhos menos explorados, mais diversificados e coloridos do planeta e é um lugar fantástico para a prática de atividades subaquáticas. Há a oportunidade de fazer passeios para observação de baleias e golfinhos.

Roça São João: Famosa pelo programa de culinária “Na roça com os Tachos”, apresentado pelo proprietário João Carlos da Silva. Localizada a 200 metros da vila de Angolares e com vista para a baía de Santa Cruz, é uma roça tipicamente colonial e a primeira roça turística e cultural do País. Pretende conciliar com o turismo, não só os eventos artísticos e culturais, mas também a exploração agrícola e pecuária (apenas para consumo interno), a preservação do ambiente e das espécies endémicas, bem como a educação e formação.

Roça Monte Café: Criada em 1850, conta atualmente com 1.300 trabalhadores. É um dos principais pólos de produção de café da ilha. Lá o turista tem oportunidade de observar todo o processo na produção do café.

Ilhéu Santana:
Pode visitar a Boca do Inferno, uma gruta criada pela erosão da água.

Príncipe: A 30 minutos de voo de São Tomé (existem voos quase diários com a Air São Tomé), é possível encontrar, em pleno Golfo da Guiné, um dos mais belos locais do nosso planeta, ainda em estado virgem. A ilha é pequena e pode ser percorrida num dia. A arquitetura da capital, Santo Antônio, é muito semelhante à de São Tomé, embora um pouco menos cuidada. Os habitantes da ilha mostram-se muito hospitaleiros. A ilha possui um único resort, o “Bom Bom”.

Fonte: Destinos de Viagem

  
  

Publicado por em