Serra da Bodoquena garante circuito de aventura no sul matogrossense

A região da Bodoquena une a riqueza da biodiversidade com a oportunidade de realizar atividades ao ar livre em cenários deslumbrantes.Mergulho, rapel e flutuação são apenas algumas opções nesse local onde é impossível não se apaixonar pelos atrativos

  
  
Na Serra da Bodoquena você tem a oportunidade de realizar atividades ao ar livre em cenários deslumbrantes

Composta pelas cidades de Bonito, Bodoquena e Jardim, a Serra da Bodoquena, situada na porção sudoeste do Estado de Mato Grosso do Sul, une a riqueza da biodiversidade com a oportunidade de realizar atividades ao ar livre em cenários deslumbrantes. Mergulho, rapel e flutuação são apenas algumas opções nesse local onde é impossível não se apaixonar pelos atrativos.

A cidade de Bonito é um paraíso da água doce. As águas cristalinas dos rios Prata, Formoso e Sucuri e a apreciação da vegetação subaquática são os principais atrativos da região. O Balneário do Sol, conjunto de piscinas naturais e cachoeiras formadas às margens do Rio Formoso, e a Gruta do Lago Azul, uma escadaria de 300 degraus que leva o turista para um mergulho em um dos monumentos naturais do planeta, são alguns dos passeios imperdíveis.

Para aproveitar o destino em sua totalidade só mesmo através das atividades de aventura. Arvorismo, boia-cross, caminhada, cicloturismo, flutuação, mergulho e turismo equestre podem ser feitos, assim como o rapel, que é praticado no Abismo Anhumas, um dos cartões postais da região. As cachoeiras do rio do Peixe e a Lagoa Misteriosa são alguns dos outros atrativos presentes em Bonito.

Perto dali, o relevo acidentado e serrano foi generoso com a pequena cidade de Bodoquena. A geografia local facilitou o surgimento de inúmeras nascentes e a formação de cachoeiras e balneários belíssimos, com destaque para a Boca da Onça, uma das maiores quedas d’água do Estado. A cidade está entranhada no Parque Nacional da Serra da Bodoquena e é envolta por grutas e cavernas, características que possibilitam a prática de diversas atividades de aventura como observação da vida selvagem e caminhadas.

A fauna e a flora da região são exuberantes: antas, capivaras, veados, queixadas, macacos, onças pintadas, urubus rei e muitos outros. Também é possível mergulhar com cardumes de dourados, piraputangas, entre outros. Aos apaixonados, o mirante Morraria do Sul, no alto da Serra, é a melhor pedida para um final de tarde romântico.

Já no município de Jardim, o grande destaque fica para o entorno do Rio da Prata, com balneários e recantos. Com cerca de 20 mil habitantes, a cidade recebe turistas do mundo inteiro que buscam conhecer melhor o que fez o Recanto Ecológico do Rio da Prata ser a “Melhor Atração do Brasil” pelo Guia Quatro Rodas por dois anos consecutivos.

A mata ciliar permite aos visitantes a prática de caminhadas e observação da vida selvagem da região. Além disso, no rio é possível praticar flutuação podendo admirar as cores da fauna marítima. No próprio recanto pode-se cavalgar pelos campos e cerrados e ainda aproveitar a típica gastronomia sul matogrossense no restaurante da fazenda.

Outro destaque é o Buraco das Araras, uma dolina - depressão típica de regiões calcárias - com mais de 100 metros de profundidade e 500 de circunferência. Ela recebe esse nome por ser uma área de reprodução de diversas aves, em especial, a arara-vermelha. Na depressão há trilhas para passeios ecológicos junto a mirantes que permitem uma visão única do monumento natural e seu lago na parte mais baixa onde vivem os jacarés de papo amarelo.

Jardim atende seu visitante com uma das melhores infraestruturas do Estado, com diversas opções de hospedagem e alimentação, além de áreas para camping.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em