Turistas pagam por compensação de carbono na Costa Rica

Taxa gira entre 5 e 40 dólares e é embutida nos pacotes de viagens

  
  

País considerado modelo em ecoturismo, a Costa Rica também é um exemplo quando o assunto é compensação das emissões de carbono. Não há norma ou lei sobre esse processo e a adesão está se dando de maneira espontânea. Uma fórmula simples, amplamente divulgada, permite a qualquer cidadão, família ou empresa calcular o total de gás carbono emitido no período de um ano.

O resultado da equação informa o valor, em dólares, que poderá ser depositado no Fundo de Financiamento Florestal, coordenado pelo governo, ou em projetos e até em empresas privadas especializadas em mitigar os efeitos da emissão dos gases. Geralmente eles se dedicam a plantar árvores e outras espécies nativas do país.

A atitude de compensar o carbono emitido conta ponto na certificação do setor de turismo. “Se já compensei a emissão de carbono dos empregados, da empresa e dos clientes, consigo dois pontos na certificação”, exemplifica Patrícia Forero, consultora de turismo e diretora da Horizontes Nature Tours, uma das maiores operadoras do país. A compensação das emissões de carbono dos turistas que visitam a Costa Rica é também calculada e compõe os pacotes pagos por eles, que geralmente fica entre 5 a 40 dólares por viagem. “Tudo entra nesse cálculo: alimentação, hotel, transporte, etc”, esclarece Patrícia.

Atualmente uma nova norma está em processo de construção na Costa Rica. Trata-se daquela que vai orientar o Turismo Comunitário Rural. Comunidades do interior do país estão recebendo visitantes, sem significar perda de seus traços culturais.
O setor de transporte também vai contar com norma, adianta Patrícia.

“O tema mudanças climáticas deverá ser a próxima bandeira a ser abraçada pelo país. A consciência ambiental é contínua”, argumenta Patrícia. A adesão será, também, espontânea. “Não há lei para a sustentabilidade em nosso país”, diz, orgulhosa. “Os cerca de 700 fornecedores da Horizontes Nature Tours são praticantes da sustentabilidade, abrangendo desde a senhora que produz tortilhas até os hotéis, restaurantes, barcos, etc.

“Temos paixão pelo nosso país e pelos recursos naturais que nos tocou cuidar. Somos totalmente fascinados com a natureza”, conclui a consultora e empresária costarriquenha.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em