Vale do Ribeira-SP sedia o Pólo Ecoturístico do Lagamar

O Pólo Ecoturístico do Lagamar é um projeto desenvolvido pela Fundação SOS Mata Atlântica nos municípios de Iguape, Cananéia, Pariquera-Açú e Ilha Comprida, no Vale do Ribeira, em São Paulo, desde 1995. O Vale do Ribeira abriga a maior parcela contínua

  
  

O Pólo Ecoturístico do Lagamar é um projeto desenvolvido pela Fundação SOS Mata Atlântica nos municípios de Iguape, Cananéia, Pariquera-Açú e Ilha Comprida, no Vale do Ribeira, em São Paulo, desde 1995.

O Vale do Ribeira abriga a maior parcela contínua da Mata Atlântica do país.Apesar disso, a riqueza biológica dessa área tem sido constantemente ameaçada pela exploração predatória de seus recursos naturais.

A cidade de Iguape possui o maior número de edificações tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional no Estado de São Paulo, num total de 62 construções coloniais.

Grande parte das comunidades caiçaras da região também conseguiu manter intacto seus costumes tradicionais, seja nos cercos de pesca, na culinária ou nas festas típicas.

O ecoturismo, portanto, é uma opção econômica
sustentável de incentivo à conservação de patrimônios naturais, históricos e culturais.

Com o patrocínio da Embratur e a colaboração de dezenas de agências de viagens, hotéis, restaurantes, associações comerciais, barcos, guias, prefeituras,instituições como a Fundação Florestal, entre outros, o desenvolvimento do pólo incluiu um levantamento ecoturístico da região, cursos de capacitação para mais de 350 moradores e educação ambiental para a comunidade local, além da implantação do Centro de Interpretação Ambiental e Informação Turística na Base Urbana da Fundação SOS Mata Atlântica, em Iguape.

Turismo

A imensa diversidade biológica do Lagamar, com florestas, campos de altitude, praias, rios, lagunas, cachoeiras, ilhas, restingas, mangues etc.,possibilita opções turísticas para diferentes públicos: caminhadas por
praias desertas ou matas, passeios de canoa, trilhas de bicicleta, visitas a patrimônios histórico-culturais, observação de aves, visitas a criadouros de ostras, viveiros de plantas nativas, sítios arqueológicos onde estão os sambaquis deixados por populações de mais de 5 mil anos e até passeio pela baía aonde os golfinhos se reproduzem.

Em 1999, a revista norte-americana Condé Nast Traveler concedeu ao projeto o prêmio de melhor destino ecoturístico do mundo do ano. A premiação considerava a criatividade dos trabalhos, a sustentabilidade da atividade
turística e a manutenção das tradições locais.

O prêmio foi cedido ao pólo em conseqüência da integração entre a riqueza biológica da Mata Atlântica e o patrimônio histórico-cultural local.

Diversas agências de ecoturismo podem levá-lo ao Pólo Ecoturístico do Lagamar. Geralmente, realizam pacotes de quatro dias, com transporte, hospedagem, pensão completa na Ilha do Cardoso, guias, seguro-viagem,
passeios de barco e caminhadas por trilhas. Também sugerem o pagamento da taxa ambiental (5 reais) para investimento no pólo e priorizam a distribuição dos recursos deixados pelos turistas para todas as áreas do
Lagamar.

Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica ­ Ass.Imprensa

  
  

Publicado por em