VII Semana Nacional da Baleia Franca acontecerá em Imbituba-SC

Demarcar a imprescindibilidade de projetos infra-estruturais que sustentem a preservação dos recursos naturais e conscientizar comunidades costeiras de que “baleia viva vale mais do que baleia morta” são algumas das razões para a realização da

  
  

Demarcar a imprescindibilidade de projetos infra-estruturais que sustentem a preservação dos recursos naturais e conscientizar comunidades costeiras de que “baleia viva vale mais do que baleia morta” são algumas das razões para a realização da Semana Nacional da Baleia Franca, no período de 13 a 20 de setembro próximo, em Imbituba, 70 quilômetros ao sul de Florianópolis.

A SNBF é produzida pela empresa socialmente responsável New Millennium Promoções e Eventos em parceria com a Coalizão Internacional da Vida Silvestre IWC/BRASIL, tem apoio da Secretaria Municipal de Turismo e Meio Ambiente e da Santa Catarina Turismo S/A – a SANTUR.

A parte científica do evento contará com a presença de conferencistas africanos, europeus e norte-americanos; ambientalistas e pesquisadores que discutirão questões relevantes como, por exemplo, a criação do Santuário do Atlântico Sul - proposta consistentemente defendida pelo Brasil junto à Comissão Internacional da Baleia (CIB).

Haverá ainda reunião do Grupo de Trabalhos Especiais de Mamíferos Aquáticos do IBAMA e um Encontro Internacional sobre Turismo de Observação de Baleias.

Shows, desfiles de escolas, gincanas culturais e demais atividades artísticas e esportivas envolverão munícipes e turistas numa alegre manifestação popular que este ano ocupará a Praça Henrique Lage, no centro da cidade.

Os principais destaques da sétima edição da SNBF serão a celebração dos 21 anos do Projeto Baleia Franca e as inaugurações: Centro Nacional de Conservação da Baleia Franca, na praia de Itapirubá e Museu da Baleia, na praia do Porto.

O naturalista e escritor José Truda Palazzo Jr., presidente da IWC/BRASIL e coordenador do Projeto Baleia Franca, diz que `ao ultrapassarmos a marca de duas décadas de esforços, o permitiu um salto de qualidade nas atividades de campo do PBF voltadas para a pesquisa, proteção dessa espécie de mamífero marinho e conscientização das pessoas, tanto nas necessidades de conservação das baleias como no aproveitamento não-letal de seu potencial inclusive como patrimônio ecoturístico`.

O bom espírito da preservação vem orientando cada vez mais cidadãos naquela faixa da costa brasileira,tanto que acaba de ser criado o Pólo Regional da Baleia Franca, entidade que agrega Imbituba, Laguna, Garopaba, Imaruí, Jaguaruna, Paulo Lopes, Içara e Palhoça – cidades que já fazem parte da APA – Área de
Proteção Ambiental da Baleia Franca.

Fonte: Tarso e Tarso

  
  

Publicado por em