EMBRATUR lança plano de atração de estrangeiros ao país

O Ministério do Turismo e a Embratur lançaram nesta sexta (dia 25) em São Paulo a segunda fase do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil, que busca ampliar o ingresso de es

  
  

O Ministério do Turismo e a Embratur lançaram nesta sexta (dia 25) em São Paulo a segunda fase do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil, que busca ampliar o ingresso de estrangeiros no Brasil. Segundo a ministra do Turismo, Marta Suplicy, o Brasil ainda é muito desconhecido no mundo como destino turístico e isso deve ser combatido com um trabalho mais agressivo de marketing em alguns países.

"Como não temos recursos para promover o turismo brasileiro no mundo todo, realizamos uma pesquisa que indicou quais são os mercados mais promissores", afirmou Marta, acrescentando que a Alemanha, a Argentina, os Estados Unidos e a Inglaterra são considerados pelo Ministério como países com altíssima prioridade, enquanto que o Canadá, o Chile, a Espanha, a França, a Holanda, a Bélgica, a Itália e Portugal são de alta prioridade.

A Embratur projeta gastar cerca de US$ 64 milhões de seu orçamento com o projeto. Segundo a presidente da Embratur, Jeanine Pires, por meio do Plano Aquarela, será possível passar dos atuais 5,5 milhões de turistas que desembarcam anualmente no País para cerca de 8 milhões em 2010. Em relação aos gastos de turistas no Brasil, Jeanine diz que a projeção é de crescimento anual de 5% até 2008 e, a partir de 2009, avanço de 8%. O gasto per capita dos turistas estrangeiros avançou de US$ 528, em 2002, para US$ 860, no ano passado.

Segundo a ministra, os objetivos e as estratégias da segunda etapa do plano são de crescimento da entrada de turistas acima da média da América do Sul, da entrada de divisas, do gasto médio e de permanência no Brasil. Ela ressaltou também a redução no déficit da balança comercial registrado nos últimos anos, que passou de US$ US$ 5,04 bilhões, entre os anos de 1999 e 2002, para US$ 1,73 bilhões, nos últimos quatro anos.

Para compensar a questão cambial que favorece as viagens de brasileiros ao exterior, mas reduz a vinda dos estrangeiros para o País, Marta disse que vai se reunir em breve com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para pedir medidas que possam beneficiar o setor internamente. Entre elas a desoneração da carga tributária para hotéis de itens como camas, aparelhos de ar-condicionado e refrigeradores. "Vamos pedir a desoneração das taxas de alguns produtos para os hotéis que recebem estrangeiros", afirmou.

A ministra ressaltou ainda que o crescimento da renda salarial brasileira poderia ampliar o turismo internamente. "O governo lançará linhas de financiamento e pacotes dirigidos à população que nunca viaja por falta de dinheiro e oportunidade. Vamos concorrer com o que a população carente gasta com celular, porque teremos pacotes de até R$ 400", disse.

Fonte: Portal G1

  
  

Publicado por em