Arvorismo, tirolesa e rapel? Pode sim!

Visitantes com mobilidade reduzida e portadores de deficiência poderão conhecer adaptações e praticar atividades “radicais”, no 5º Salão do Turismo

  
  

Pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências físicas também podem fazer atividades de turismo de aventura com segurança. É isso que mostrará o espaço Circuito de Turismo de Aventura Acessível, durante as atividades do 5º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil. A expectativa é que 20 mil visitantes passem por lá e metade deles façam as atividades de aventura e ecoturismo, como tirolesa, rapel e arvorismo.

Em uma parceria entre o Ministério do Turismo (MTur) e a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), o espaço mostrará as adaptações para o turismo acessível. “Adaptamos diversas atividades do turismo de aventura ao público com deficiência para ele sentir que é possível fazer um rapel ou uma tirolesa mesmo com limitações físicas”, explicou Michael Golo, da Secretaria de Turismo do Município de Socorro (SP). A cidade paulista está sendo estruturada pelo MTur para ser destino referência em Acessibilidade no Turismo.

Em um espaço de 150m2, os visitantes conhecerão sete atividades de turismo de aventura adaptadas. Também foi criado o Jardim Aromático, especialmente para os deficientes visuais, que poderão sentir os aromas destas plantas e ler nas placas de sinalização em braile informações sobre cada uma delas.

Acessórios e equipamentos necessários para garantir maior segurança nas atividades estarão em exposição, como por exemplo, as cadeiras usadas nas trilhas de curta duração e nos roteiros aquáticos. A oferta do turismo de aventura com segurança é o foco do Programa Aventura Segura, executado pela Abeta, em parceria com o MTur e o Sebrae Nacional, em 16 destinos do Brasil, incluindo a cidade de Socorro.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em