Atletas afirmam que Rio 2007 deixará saudades

A dois dias do encerramento das competições, eles se mostraram saudosos e elogiam a forma como o Rio de Janeiro (RJ) se preparou para o os Jogos Pan-Americanos e os recebeu. Do conforto da Vila do Pan ao profissionalismo das instalaç&

  
  

A dois dias do encerramento das competições, eles se mostraram saudosos e elogiam a forma como o Rio de Janeiro (RJ) se preparou para o os Jogos Pan-Americanos e os recebeu. Do conforto da Vila do Pan ao profissionalismo das instalações esportivas, são categóricos em afirmar que o País tem plenas condições de sediar eventos bem maiores, como as Olimpíadas e a Copa do Mundo.

O técnico de boxe argentino Hector Morales disse que o conforto da Vila faz toda a diferença para os atletas que competem tão intensamente nos Jogos. “Dos últimos quatro ou cinco Pan-americanos, esta é sem dúvida a melhor vila. Além de um espaço para concentração, os atletas precisam de conforto mesmo. Já estive em competições onde ficavam sete ou oito num mesmo quarto. Aqui não, temos acomodação para todos e banheiros privativos para todos. Acho que o Brasil pode, tranqüilamente, sediar uma competição maior que o Pan”, afirmou.

Hector, que já esteve no Brasil “muitas vezes”, não teve tempo para passear. “Agora sim, vamos a Copacabana curtir um pouco. É um dos meus passeios favoritos no Rio”, contou.

Energia positiva

A hospitalidade do povo brasileiro também foi lembrada pelos atletas, que sempre obtiveram ajuda dos 15 mil voluntários contratados para trabalhar no evento. Mesmo sem ter muito tempo para conhecer a cidade, por causa dos treinos e competições, integrantes da equipe chilena de hóquei sobre a grama destacaram a “energia” do povo brasileiro.

Matias Anwandter, 26, disse que, no único dia livre que teve, a equipe medalhista de bronze do Chile fez um tour pelos principais pontos turísticos do Rio. Ele já programa uma volta à cidade que tem muito mais que as belezas naturais. “Os voluntários do Pan merecem uma medalha. Eles possuem uma energia positiva incrível. Isso me chamou muito a atenção”, diz Matias.

Gabriel Thiermann, 27 anos, também ficou com vontade de voltar e lembra aos amigos que isso pode acontecer antes do que eles imaginam. “Acho que o campeonato pan-americano de clubes será aqui no Rio”, afirma o jogador, que atua no Manquetue do Chile.

Outro que falou muito bem das pessoas que trabalharam no evento foi Orlando Ortega, da seleção de pólo aquático mexicana. “Fui recebido com muita alegria. Isso foi um incentivo a mais”, diz o atleta de 23 anos, que achou a organização deste Pan “excelente”.

Orlando, que também destacou a segurança e as instalações da Vila, conseguiu um tempo para visitar as praias de Ipanema e Copacabana, além do Pão de Açúcar e do Cristo Redentor, eleito este mês uma das Sete Novas Maravilhas do Mundo.

As belezas da cidade tornam a competição mais agradável, mas o que importa mesmo num evento do porte dos Jogos Pan-americanos são as instalações esportivas.

“O estádio de atletismo é espetacular”, afirmou animado o velocista peruano Diogo Moreno. Pela primeira vez no Rio, Diogo disse que o Pan-Americano do Rio é a melhor das 25 competições internacionais de que já participou. O estádio João Havelange, onde está a pista de atletismo e um campo de futebol, foi construído para o Pan e tem capacidade de sediar eventos internacionais de primeira linha.

A Arena Olímpica, onde foi realizada a ginástica artística e nos últimos dias dos Jogos tem sido palco dos jogos de basquete, também foi considerada top de linha por atletas como o uruguaio Emilio Taboada, 25. “Gostei muito do estádio onde estamos competindo. Se eu tiver tempo, vou a outros locais de competição, como o Maracanã e o João Havelange, que foram muito elogiados por outros uruguaios da delegação”, afirmou.

Turismo e os Jogos

Com o sucesso dos Jogos Pan-americanos, o Rio de Janeiro se fortalece como destino internacional de eventos esportivos: é candidata aos Jogos Olímpicos de 2016 e sede dos Jogos Mundiais Militares, que serão realizados em 2011.

O Ministério do Turismo, por meio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), acompanha todo processo de defesa da candidatura do Brasil aos eventos esportivos internacionais, produzindo dossiês, enviando cartas de apoio, montando apresentações, fazendo contatos com órgãos federais, participando de visitas de inspeção técnica e protagonizando ações promocionais, entre outras iniciativas.

Fonte: Embratur

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em