Avistar2007 - II Encontro Brasileiro de Observação de Aves

A prática de observação de aves no Brasil não é nova. Data da década de 70 a fundação do Clube de Observadores de Aves, em Porto Alegre, pelo diplomata William Belton. Mas apesar de novas agremia

  
  

A prática de observação de aves no Brasil não é nova. Data da década de 70 a fundação do Clube de Observadores de Aves, em Porto Alegre, pelo diplomata William Belton. Mas apesar de novas agremiações e iniciativas terem surgido com o passar dos anos, essa atividade ainda tem um enorme potencial de crescimento no País.

Por isso, reveste-se de especial importância o tema escolhido para o Avistar2007 ( 2º Encontro Brasileiro de Observação de Aves), evento que se realiza de 30 de maio a 3 de junho em São Paulo, no Parque Villa Lobos. Sob o nome “Observação de Aves: da Janela para o Mundo”, o Encontro, que englobará uma Feira, Congresso e atividades culturais, pretende colocar em questão um importante aspecto do birdwatching no Brasil: embora a população se interesse pelas aves, ainda não pratica regularmente essa atividade de lazer e de apreciação da natureza.

Essa atitude é bem diferente da postura do turista internacional, que, fascinado pela diversidade de nossa avifauna, cada vez mais, procura destinos brasileiros, afirma Guto Carvalho, organizador do evento e um dos fundadores da Avistar – uma rede on line de profissionais e entidades de todo o País, dedicada ao fomento da observação de aves brasileiras. De acordo com Carvalho, um dos maiores difusores do birdwatching no País, o Avistar teve início a partir de um gripo de discussão on-line, o ornitobr (ornitobr@yahoogroups.com.br). “Para atender às demandas desse sofisticado segmento, o birdwatching, é preciso antes estimular a atividade em âmbito nacional e difundir essa cultura entre os milhares de brasileiros que hoje observam aves somente da janela de suas casa”, avalia.

O Avistar 2007, diz Carvalho, trará exemplos bem sucedidos da observação de aves como turismo e atividade de lazer e discutirá o papel do Estado e da imprensa. O evento será realizado com tendas ao ar livre e em área com visitação privilegiada como nas melhores feiras européias de observação de aves.

Concurso fotográfico – Um dos destaques do encontro deste ano e que abre as atividades do Avistar2007 é o 1º Concurso Avistar – Itaú BBA, que premiará as melhores fotos de aves brasileiras, em liberdade e em seu habitat. As fotografias serão selecionadas por um júri internacional e exibidas durante o Avistar2007.

Os fotógrafos, profissionais ou amadores, de qualquer idade, que forem premiados, dividirão um premio total de R$ 46 mil, concorrendo em duas categorias: 1) Melhor Foto (escolhida pela qualidade) e Melhor Registro (considerando-se a raridade e o melhor momento da ave).

Além dos três primeiros premiados em cada categoria, estão previstas 10 menções honrosas, além de três prêmios especiais (de R $ 2 mil cada), definidos a critério dos jurados.

As inscrições serão abertas em 30 de janeiro e encerradas em 10 de abril. Os interessados podem obter mais detalhes e se inscrever on line pelo site avistarbrasil.com.br/concurso.

O júri será composto pelo fotógrafo e observador escocês Arthur Grosset, criador de um dos mais visitados sites de aves brasileiras na Internet, pelo espanhol Josep Del Royo, criador do Handbook of Birds of the World e membro do Conselho Mundial da BirdLife International, além dos brasileiros Luis Cláudio Marigo, um dos mais respeitados fotógrafos de natureza brasileiros e Marcos Sá Corrêa, jornalista e fotógrafo, editor do site O ECO.

De acordo com Guto Carvalho, o concurso é particularmente importante na medida em que fotografar é a maneira mais eficaz de concretizar a atividade de observação de pássaros. “A foto permite identificar espécies ameaçadas de extinção, o registro de aves raras ou, ainda, captar o comportamento e momentos únicos dos pássaros”, avalia. Ainda segundo o organizador da Avistar, o concurso tem por objetivo estimular essa atividade ecológica e conscientizar o “housewatcher”, ou seja, aquela pessoa que já é um observador de pássaros e não sabe.

História e potencialidade–

A observação de aves ou birdwatching surgiu como uma demonstração de intercâmbio entre a ciência e o público leigo (mais precisamente não-acadêmico), e se consolidou internacionalmente como uma atividade claramente definida nos últimos setenta anos.

A atividade de observação de aves acabou por influenciar a própria ciência ornitológica, com o advento dos “watchers ornithologists”, que passaram a publicar, a partir dos anos 40, resultados de pesquisas declaradamente científicas calcadas sobretudo em observações.É uma das poucas áreas do conhecimento que ainda contam com a participação engajada e relevante de cientistas amadores.

A mola propulsora dessa atividade, porém, é o prazer lúdico proporcionado pela observação das aves livres e plenamente integradas ao seu ambiente natural. O desafio de encontrar, reconhecer cada uma delas e observar seu comportamento é o grande estímulo dos participantes.

Observar pássaros é um passatempo para milhões de pessoas em todo o mundo e muitas viajam grandes distâncias para observá-los, atraídas por belos cenários e pelo desafio de avistar e identificar as espécies de pássaros existentes.

O Brasil é o país de maior biodiversidade e o terceiro colocado em número de espécies de aves em todo o mundo. Cerca de 1800 espécies de aves existentes são nativas do Brasil. No entanto, quase não existem aqui mecanismos para explorar o ecoturismo, com seu inegável potencial de geração de recursos. Por falta de desenvolvimento do segmento no País, os turistas encantados com nossa rica e colorida avifauna são obrigados a buscar outras alternativas de lazer, quando poderiam gerar inúmeras frentes de trabalho, contribuindo ao mesmo tempo com o desenvolvimento econômico do País e a preservação da natureza.

Não existem números oficiais sobre a atividade no Brasil. Mas para ter uma idéia de seu potencial, nos Estados Unidos 46 milhões de habitantes são observadores de pássaros, dos quais cerca de 36 milhões são homewatchers. Esta atividade movimenta cerca de US$ 83 bilhões ao ano naquele país. Outros paises onde a atividade debirdwatching é popular e tem importância econômica são Inglaterra, Alemanha, Suécia, França, Japão e Austrália.

“Considerando-se a natureza tropical brasileira e sua variedade de espécies, somos bastante otimistas com relação à potencialidade do nosso mercado e a conscientização da população”, diz Guto Carvalho.

Na edição da Avistar desde ano estarão presentes todos os segmentos interessados no desenvolvimento da observação de pássaros, incluindo editoras, livrarias, hotéis, pousadas, secretarias de turismo, artigos ópticos, som etc. O evento conta com o apoio e participação de várias organizações e clubes como Bird Life, Centro de Estudos Ornitológicos (CEO), Pro-aves, Rádio Eldorado e O ECO. Na ocasião, as principais entidades de observação, pesquisa e conservação das aves apresentarão o trabalho desenvolvido por elas nas mais distantes regiões do Brasil.

O encontro deste ano presta homenagens a Rolf Grantsau,um dos maiores ornitólogos e ilustradores do Brasil. Reconhecido internacionalmente por seu trabalho, e o maior especialista do mundo em beija-flores, Rolf vive atualmente em São Bernado do Campo (ABC Paulista) e prepara um guia completo sobre aves brasileiras que será lançado brevemente.

_____
Fonte: ABETA

  
  

Publicado por em