Cinco dias de muito turismo e negócios

Os organizadores do 4º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil acreditam que a expectativa de público (100 mil visitantes) tenha sido alcançada durante os cinco dias de evento, que termina neste domingo (5/7), no Parque de Exposições do Anhembi.

  
  

Os organizadores do 4º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil acreditam que a expectativa de público (100 mil visitantes) tenha sido alcançada durante os cinco dias de evento, que termina neste domingo (5/7), no Parque de Exposições do Anhembi.

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), até as 14h, a área de gastronomia já havia contabilizado 43 mil refeições.

De acordo com o relatório parcial da pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido do Ministério do Turismo, com 1,2 mil participantes, 66,9% foram ao salão para conhecer o evento; 23,3% por motivos profissionais ou a negócios; 4,3% para assistir às palestras; 3,9% para adquirir serviços/produtos turísticos; 1,4% para comprar artesanato e jóias; 0,2% para trabalhar no evento.

A maioria dos visitantes é de São Paulo (88,9%), seguida por Minas Gerais (2,1%), Rio de Janeiro (1,3%) e Bahia (1,1%).

Entre o público que visitou o salão a negócios ou por motivo profissional, 26,1% atua em agências de viagem; 26,1% é de universidades; 15,9% é do setor público; 10,8% de meios de hospedagem; 10,2% de operadoras de turismo; 8,9% de consultoria; e 1,9% de companhias aéreas.

Quando perguntados sobre o que desejariam fazer na próxima viagem, 51,1% responderam que querem ir para a praia (segmento de turismo de sol e praia); 24% pretendem fazer turismo cultural; 23,1% estão em busca de ecoturismo; 10,9% vão praticar atividades de aventura; 11,9% querem fazer turismo náutico (cruzeiros e passeios de barco); 16,5% ir a fazendas e campos (turismo rural); e 3,9% farão outro tipo de turismo.

De todos os entrevistados, 74,1% realizaram viagens pelo Brasil no último ano e 25,9% não viajaram pelo país. A maioria que foi ao 4º Salão do Turismo (68,2%) viaja em período de férias, 5,9% nos fins de semana, 12,2% nos feriados prolongados e 24,2% em qualquer período do ano.

Sobre o que chamou mais a atenção nos destinos apresentados durante o evento, 51,8% disseram que foram os atrativos naturais, 40,6% citaram os atrativos culturais, 14,5% a gastronomia, 11,8% o clima, 5,6% os preços e 7,7% outros.

Área de Comercialização

– O espaço cresceu 25% em relação a 2008 e garantiu retorno aos participantes. Foram 75 macroexpositores e 300 cooperados. Promoções, descontos, produtos especiais. Quem visitou o 4º Salão do Turismo nos últimos cinco dias encontrou ofertas tentadoras na Área de Comercialização, que este ano ocupou 10 mil metros quadrados, dois mil a mais que na edição de 2008. A ampliação é resultado do aumento no número de empresas e de estandes.

A Pomptour e a Visual, por exemplo, dobraram a área ocupada. Foram 50 metros quadrados em 2008 e, agora, 100 metros quadrados. Já a Luxtravel triplicou o espaço, chegando a 150 metros quadrados este ano.

“As vendas estão melhores que as de 2008, que também foi um ano bom. Sentimos isso desde o primeiro dia do Salão”, disse a supervisora de operações da Pomptur, Marina Figueiredo. “Trouxemos todos os pacotes que comercializamos. Cada um com alguma condição exclusiva”. Segundo ela, a empresa espera vender 60% mais pacotes em relação ao 3º Salão do Turismo.

Com estande de 400 metros quadrados, a CVC não restringiu os descontos ao Salão do Turismo, oferecendo pacotes 15% mais baratos em todas as lojas nos dias de realização do evento. No Salão, trabalhou com 20 pontos de atendimento para os passageiros.

Quem também apostou na ampliação do número de postos de atendimento foi a Luxtravel, que estima comercializar o dobro este ano na comparação com 2008. “Chegaremos a R$ 500 mil em vendas para saídas em agosto e setembro”, conta o diretor da operadora, Flávio Gomes Louro, acrescentando que Lençóis Maranhenses foi um dos destinos mais procurados pelos visitantes.

“O Salão mostra que viajar pelo Brasil é possível, acessível e vale a pena”, diz o diretor da Alcantara Machado, promotora do evento, Eduardo Sanovicz. “Cada vez mais, o evento se consolida como um grande espaço de promoção e venda para o consumidor final”, acrescenta.

Entre as companhias aéreas, a oportunidade de mostrar produtos e serviços atraiu empresas como a Ocean Air e a Trip. Para o diretor da Ocean Air Renato Pascowitch, o objetivo da participação no 4º Salão do Turismo é a apresentar a empresa ao mercado consumidor.

“Aqui podemos fazer negócios diretamente com o visitante. Nosso foco é a apresentação da empresa, aproveitando o contato direto com o público”, diz o diretor, que levou para o estande as poltronas do MK-28, aeronave da frota da companhia. Mesmo priorizando a apresentação da empresa, a Ocean Air vendeu passagens com desconto de 15% nas tarifas disponíveis no sistema.

A Trip, que participou de todas as edições do Salão do Turismo, comemora o crescimento do evento. “O Salão tomou uma proporção muito maior do que em seu início. É um evento diferente dos outros do trade, com a oportunidade de fazer contato com o público consumidor”, afirma o gerente de Imagem da empresa, Claudio dos Santos. “As vendas acontecem, mas é a quantidade e qualidade do público que nos impressiona”.

MAIS EMPRESAS

– A Gol, que aproveitou o encontro com o público para recadastrar membros do programa Smiles, ofereceu passagens com 20% de desconto para quem viajar nos meses de agosto e setembro. “Ainda não podemos falar sobre o número de passagens vendidas, mas a movimentação tem sido grande desde o primeiro dia”, afirmou a responsável pelo marketing da companhia aérea, Rosemary Menis.

No estande da TAM Viagens e da TAM, a redução nos preços foi oferecida nos pacotes da operadora. O desconto foi de 15% para quem adquirisse o pacote ali mesmo. “Vemos resultados imediatos, não apenas na comercialização aqui no estande, mas também nos dias seguintes, com o aumento de vendas nas lojas e agências”, disse o gerente de Produtos da TAM Viagens, Adriano Gomes.

“É muito grande a quantidade de passageiros que chega às agências com o folheto que receberam aqui no Salão. Isso já aconteceu no ano passado e sabemos que ocorrerá novamente este ano.”

Segundo ele, a expectativa durante os cinco dias de evento era vender pelo menos o mesmo número de room-nights (pernoites) do ano passado, quando de 3,4 mil foram comercializados.

Fonte: Salão Nacional do Turismo

  
  

Publicado por em