Diagnóstico avalia potencial da Lagoa Encantada, em Ilhéus

Evento é coordenado pela Regional Sebrae/BA Mata Atlântica em conjunto com a Bahia Mineração e Associação de Moradores e Amigos da Lagoa Encantada

  
  

As potencialidades cultural, turística e econômica do entorno da Lagoa Encantada, a 34 km do centro de Ilhéus, no sul do Estado da Bahia, serão avaliadas do próximo dia 25 durante a realização do Diagnóstico Participativo, que vai permitir a elaboração de um Plano de Ação com a Associação de Moradores da Lagoa Encantada. O evento é coordenado pela Regional Sebrae/BA Mata Atlântica em conjunto com a Bahia Mineração.

O coordenador regional do Sebrae/BA, Renato Lisboa, explica que os donos de restaurantes no entorno da lagoa, moradores, pescadores, marisqueiras e freqüentadores terão a oportunidade de apresentar sugestões sobre as necessidades locais relativas a acesso e ações para o fortalecimento do ecoturismo. Além disso, poderão contribuir no levantamento das potencialidades que constarão de relatório do consultor Luis Eduardo Guimarães Gonçalves, que vai dirigir o encontro.

A sugestão para a elaboração do Diagnóstico Participativo e o Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo no entorno da Lagoa Encantada foi apresentada ao Sebrae/BA pela gerência de Comunicação e Desenvolvimento Sustentável da Bahia Mineração (Bamin). A empresa é responsável pelo Projeto Pedra de Ferro, no município de Caetité, no sudoeste do Estado, com uma reserva estimada em 470,5 milhões de toneladas de minério de ferro. O minério vai ser lavrado e exportado pelo complexo intermodal Porto Sul – ferrovia, aeroporto, porto e zona de processamento de exportação (ZPE), no litoral de Ilhéus.

Para o sucesso do empreendimento, de forte impacto macroeconômico na Bahia, a Bamin considera essencial estabelecer relacionamento ético e de confiança com as comunidades do entorno do Projeto Pedra de Ferro, além das ações e projetos sociais, culturais e esportivos que incentiva e apóia. A premissa é que cada comunidade tem peculiaridades, necessidades, particularidades e potencialidades que, depois de analisadas, podem receber auxílio e cooperação.

Pelo menos mil pessoas, entre trabalhadores rurais ligados à cultura do cacau e ribeirinhos, que vivem da pesca e de culturas de subsistência, moram no entorno da lagoa nos distritos de Aritaguá, Sambaituba, Urucutuca, Areias e Castelo Novo. A Área de Proteção Ambiental da Lagoa Encantada, criada pelo Decreto Estadual N.º 2.217, de 14/07/93 e ampliada pelo Decreto Estadual N.º 8.650 de 22/09/2003, conta com aproximadamente 12 mil hectares de florestas associadas ao cultivo de cacau, além de manguezais, restingas e cachoeiras.

A proteção da área foi proposta pela Prefeitura de Ilhéus, para ampliar e assegurar a vocação turística da cidade, permitindo que o visitante possua mais uma alternativa de lazer. A rica fauna aquática representada principalmente por peixes como robalos e carapebas, serve de sustento às comunidades ribeirinhas, aliada ao turismo que vem sendo uma nova opção de renda no local.

Serviço:

Sebrae/BA - (71) 3320-4404

Fonte: Agência Sebrae

  
  

Publicado por em