Estância São Francisco de Borja participa da X Exposição Nacional do Cavalo Bretão

Nas exposições nacionais, são promovidas exibições com demonstrações de carruagens e cavalos em tarefas do dia-a-dia da fazenda.

  
  
O bretão foi introduzido no País no fim da década de 20

A Estância São Francisco de Borja, de Amparo (SP), participará da X Exposição Nacional do Cavalo Bretão e da VI Mostra da Raça Clydesdale, de 23 a 26 de outubro, no Marco Zero Agronegócios, em Araçoiaba da Serra (SP). O proprietário da estância, Cláudio Marcelo Borja de Almeida, levará dez animais para julgamentos, prova de atrelagem e para a exposição.

Entre os destaques, Borja cita Jasmin, principal garanhão do plantel, que fará apresentação de atrelagem, além de dois cavalos da raça Clydesdale, Darryl e Jim, que disputarão as provas de atrelagem. A estância também ofertará coberturas de Jasmin, Excalibur e Júpiter no II Leilão Força e Tração Cavalos Bretão e Percheron, organizado pela Djalma Leilões, no dia 25 de outubro (sábado), às 18 horas.

O plantel SFB é formado por genética de alta qualidade, importada de países com tradição na criação de Bretão e Clydesdale. A estância começou a criação em 1994, com foco no lazer e na produção de cavalos de tração. Entre os destaques do criatório está o garanhão francês Jasmin, um dos mais importantes cavalos Bretões do País, importado em 2001, com diversos títulos, na França e no Brasil, além de Excalibur e Júpiter.

Os Bretões e os Clydesdales de Borja participam de provas de atrelagem e de outros eventos, como casamentos. A presença dos animais da estância já se tornou uma tradição no Grande Prêmio São Paulo, o GPSP, realizado anualmente no Jockey Club paulista.

“Além de uma carruagem, puxada por animais do plantel, levamos um carroção com bretões para puxar o podium”, conta o criador, cujas carruagens já carregaram pessoas famosas, entre as quais, o Rei Pelé.

Durante muito tempo, Borja foi o único selecionador de Clydesdale no Brasil. Este ano, ele ajudou o criador Carlos Castro, do Rio de Janeiro, a selecionar animais para iniciar um plantel dessa raça.

O bretão foi introduzido no País no fim da década de 20, pelo Exército, que buscava um animal com força suficiente para puxar os pesados equipamentos de artilharia. Em 1927, o Haras Paulista, em Pindamonhangaba (SP), importou o primeiro exemplar da raça: o garanhão Breslau.

As importações cresceram entre 1932 e 1956, quando o Exército brasileiro adquiriu cerca de 100 reprodutores para suas coudelarias localizadas em vários Estados. Ao mesmo tempo, criadores que haviam experimentado os benefícios da raça também passaram a comprar animais no exterior e a investir em cruzamentos. Em 1982, foi criada a associação da raça que ganhou maior impulso a partir da segunda metade da década de 90.

Um dos segmentos da raça que mais tem crescido é o de animal de lazer. Puxando charretes, troles, carruagens ou carroções, os Bretões são a atração em passeios, desfiles e concursos de atrelagem.

A fundação da associação dos criadores da raça ocorreu na década de 80. Nas exposições nacionais, são promovidas exibições com demonstrações de carruagens e cavalos em tarefas do dia-a-dia da fazenda.

Saiba mais sobre o bretão

  • O Bretão é a raça de tração mais difundida na Europa.
  • Raça se destaca pela força, rusticidade alimentar e física, facilidade de manejo, docilidade e boa adaptação a diferentes climas.
  • A força de um Bretão é capaz de puxar quatro vezes o seu peso. Um animal de 850 quilos tem força equivalente a quatro mulas de 250 quilos, podendo puxar até quatro toneladas num veículo com rodas. O recorde mundial nesta categoria é do Bretão.
  • Sua docilidade permite que tenha mais sucesso na atrelagem de carruagens do que os cavalos de raças de sangue quente (menos pesados).
  • Apesar do tamanho, o Bretão possui uma excelente conversão alimentar. Um animal entre 800 quilos e 900 quilos come diariamente entre 4 quilos e 6 quilos de ração, além de um fardo de 12 quilos de feno de gramínea em sistema semiconfinado. No entanto, se for criado em sistema extensivo esta quantidade diminui praticamente a zero, dependendo da categoria em que se enquadra e da qualidade da pastagem.
  • Os potros são desmamados entre 5 e 6 meses quando atingem de 1,28m a 1,35m, e peso entre 300 e 350 kg . A égua Bretã fornece ao potro uma média de 28 litros de leite por dia, enquanto em outras raças esta média é de 18 litros .

Fonte: Izabelly S. Pereira

  
  

Publicado por em

Alencar Westin

Alencar Westin

29/10/2008 08:10:51
O cavalo está diretamente ligado ao turismo rural, por isso achei a matéria pertinente e bem fundamentada.