Festividades do centenário da Holanda no Brasil incluem inauguração do Parque Histórico de Carambeí

O parque será composto por diversas alas, como parque de exposições e espaços museológicos que contam um pouco da colonização do município.

  
  
A Casa da Memória reunirá registros da vida cotidiana dos imigrantes

De 01 a 04 de abril de 2011, a colônia holandesa do país estará literalmente em festa. Mais especificamente na cidade de Carambeí

(PR) - um dos seis pólos batávicos no Brasil, a 150 km de Curitiba, onde será celebrado o Centenário da Imigração.

As festividades ocorrerão dentro do Parque Histórico de Carambeí, com área de 100 mil m2, que será inaugurado para a ocasião. Estão programados festival de tortas e artesanato, show musical e aéreo, entre outras atrações.

O parque será composto por diversas alas, como parque de exposições e espaços museológicos que contam um pouco da colonização do município. A Casa da Memória, por exemplo, reunirá registros da vida cotidiana dos imigrantes por meio de objetos, roupas e móveis que eles usavam.

Já a Vila Histórica representará as casas da primeira vila de Carambeí, assim como a Estação de Trem Carambeí da Brazil Railway Company.

Para homenagear a tecnologia e a arquitetura desenvolvidas pelos holandeses, o parque terá a "Engenharia das Águas", ala que representará as principais soluções aprimoradas por esse povo, como diques e os famosos canais da capital holandesa.

O Centro Cultural Amsterdã, por sua vez, reproduzirá um quarteirão com as típicas construções da cidade, incluindo uma réplica de ponte doada pelo governo de Amsterdam.

Outro motivo de celebração é a recente sanção da presidenta Dilma Roussef sobre o projeto de lei que instituiu 2011 como Ano da Holanda no Brasil. Ele foi apresentado em 2010 pelo secretário da Fazenda do Estado, Luiz Carlos Hauly.

A Festa do Centenário:

Não há dúvidas de que, durante os dias destinados à festa, Carambeí será opção certa de passeio para moradores dos distritos vizinhos ou até mesmo turistas de outros estados e do exterior. O evento terá início com o Fórum Empresarial na sexta-feira, dia 01.

No segundo dia, o parque abrirá as portas às 9h15. Estão programados desfile temático com Banda Marcial, inauguração da Vila Histórica de Carambeí com show aéreo, apresentações culturais e show de fogos piromusical com balonismo, entre outros.

O domingo começará com a Cavalgada dos Imigrantes, no centro de Carambeí, e término no Parque Histórico onde será celebrado culto ecumênico para toda a população e convidados da festa, além da meia maratona do Centenário da BRF.

No dia 4 de abril, será lançado o segundo livro da Coleção Imigrantes. A publicação esclarecerá detalhes da trajetória da Associação do Parque Histórico de Carambeí, cuja diretoria é formada por Dick Carlos de Geus, Franke Dijkstra e Gaspar João de Geus. Além de descendentes de holandeses, todos possuem forte vínculo com o agronegócio da região.

Cooperativismo:

No Paraná, o desenvolvimento econômico ocorrido no último século esteve entrelaçado com o cooperativismo holandês. Um dos maiores exemplos é a Agroindustrial Batavo, conhecida nacionalmente, que está em atividade desde 1925.

Para explicar este sucesso, é necessário voltar para os primeiros anos da colônia holandesa, que foi fundada a partir do incentivo da Brazil Railway Company, empresa responsável pela construção de uma estrada de ferro que ligaria São Paulo ao Rio Grande do Sul. Na época, os imigrantes tinham como função produzir mantimentos para os operários que trabalhavam na construção da ferrovia.

Em pouco tempo, os colonos estabeleceram uma estável atividade comercial e, sendo precursores do cooperativismo de produção em nosso país, fundaram a Sociedade Hollandesa de Laticínios, que viria a se transformar na nacionalmente conhecida marca Batavo. Aliando ainda religiosidade e boa educação ao cooperativismo, os holandeses construíram sua marca em terras brasileiras.

No entanto, relações entre as culturas holandesa e brasileira já datam de mais de 400 anos, desde as expedições holandesas, que se iniciaram no fim do século XVI.

Assim, são séculos de interações socioculturais e econômicas entre estes países. Atualmente, a Holanda é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, e o número de holandeses e descendentes que aqui residem cresce exponencialmente, da mesma forma que o número de brasileiros e descendentes na Holanda.

Fonte: Gustavo Zielonka V. Rodrigues

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em