Fortaleza sediou evento que discutiu estratégias para o fortalecimento dos parques temáticos

Na pauta estavam a redução do Imposto de Importação para a compra de produtos sem similares nacionais e o reconhecimento dos equipamentos dos parques como bens de capital

  
  

Representantes do governo federal e integrantes do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat) reuniram-se no dia 14 de setembro, no Beach Park, em Fortaleza, com o objetivo de discutir estratégias para o fortalecimento do setor.

Entre os principais itens da pauta estavam a redução do Imposto de Importação para a compra de produtos sem similares nacionais e o reconhecimento dos equipamentos dos parques como bens de capital.

O secretário executivo do Ministério do Turismo, Valdir Simão, participou do encontro. Ele informou que o pedido de redução do IPI foi encaminhado para a Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC).

"O turismo é a bola da vez. O governo respeita e entende a importância do nosso setor. Representamos um segmento que passa ao largo da crise, suporta e amortece os efeitos dela", afirmou Simão.

Caso os pleitos dos parques temáticos e atrações turísticas sejam atendidos, o Sindepat se comprometeu a implantar um plano quinquenal de metas com a previsão de R$1,93 bilhão de investimentos, geração de 56,4 mil empregos e incremento de 13 milhões de visitantes no período.

"Temos amplas possibilidades de crescimento. A sintonia com o governo é fundamental para desenvolvermos todas as nossas potencialidades", afirmou o presidente do Sindepat, Alain Baldacci.

O prazo de análise do processo na Camex é de 60 dias. Emílio Garofalo, secretário executivo da Camex, prometeu empenho.

"Estamos dispostos a levar para o colegiado de ministros o pedido de redução, suspensão ou extinção dos impostos", afirmou. Garofalo sugeriu que, paralelo ao trâmite do processo no MDIC, a demanda seja apresentada ao Mercosul para garantir os benefícios ao setor de maneira permanente.

A comitiva do governo federal foi integrada também por Thaise Dutra, secretaria executiva das Zonas de Processamento de Exportações, e pelo secretario de Comércio e Serviços do MDIC, Humberto Ribeiro. Ele ressaltou os avanços no ambiente de negócios no Brasil.

"Já conquistamos junto ao MTur a inclusão da hotelaria no Plano Brasil Maior, com a desoneração da folha de pagamento, mas ainda temos muito trabalho pela frente dentro da missão de nos aprofundar num ambiente de negócios mais simples, frutífero e oportuno", destacou.

Visite: www.revistaecotour.com.br
Fonte: MTur

  
  

Publicado por em