Ministro debate setor turístico em reunião com líderes empresariais

Segundo Luiz Barretto, o Brasil tem possibilidades reconhecidas pelo mercado para desenvolver o turismo como atividade geradora de emprego e renda

  
  
Ministro Luiz Barretto discursou para o Grupo de Líderes Empresariais

O ministro do Turismo, Luiz Barretto, apresentou, nesta segunda-feira (27/07), um balanço da indústria do turismo a 273 empresários reunidos no almoço-debate promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (LIDE), em São Paulo. O tema do encontro foram os Desafios para o Crescimento do Turismo no Brasil.

Em sua apresentação, Barretto demonstrou a evolução do setor no Brasil, as ações desenvolvidas pelo ministério e o quanto o mercado representa em oportunidades a empresários e ao país. “Nos últimos 10 anos, o crescimento médio mundial (do setor do turismo) foi de 4% ao ano, segundo a Organização Mundial de Turismo. No Brasil, o setor passou a responder por 2,6% do PIB nacional, cerca de 39 bilhões de dólares. Desse total, 85% são receitas geradas pelo turismo doméstico, um mercado interno que poucos países do mundo têm”, afirmou.

Segundo o ministro, o Brasil tem possibilidades reconhecidas pelo mercado de desenvolver o turismo como atividade geradora de riqueza, emprego e renda. “Num país como o nosso, com vários países dentro de si, e unificados pela mesma língua, esse potencial é um grande diferencial e um enorme desafio. Investimos continuamente para que essa indústria tenha peso cada vez maior na economia brasileira. A iniciativa privada, bem como as outras instâncias de governo, são parceiros essenciais.”

O turismo nacional representa hoje a quinta pauta de exportação brasileira e ocupa a primeira colocação na área de serviços. Fora isso, emprega 6,5 milhões de pessoas e recebe 5 milhões de turistas estrangeiros por ano, que incrementaram de US$ 2,5 bilhões para US$ 6 bilhões os gastos no país, nos últimos seis anos.

Durante a exposição, Luiz Barretto destacou a realização da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Segundo o ministro, o grande evento permitirá ao país dar um enorme salto de qualidade em termos de infraestrutura, mas a prioridade devem ser questões voltadas para a realização do evento. “A Copa irá acelerar diversos programas e projetos, mas não podemos achar que irá resolver todos os nossos problemas. Uma coisa é solucionar questões das cidades. A outra é tratar especificamente da Copa do Mundo.”

Em 2014, durante a Copa do Mundo, o Ministério do Turismo calcula que devem passar pelo Brasil entre 600 e 700 mil turistas estrangeiros. Por isso, explicou Barretto, o preparo não está sendo feito apenas nas 12 cidades que vão sediar os jogos, mas também nos 65 destinos brasileiros indutores de desenvolvimento turístico. “Bom planejamento e boa parceria geram grandes lucros em eventos esportivos deste porte.”

Fonte: Mtur

  
  

Publicado por em