Pirenópolis (GO) está com a bola cheia para a Copa do Mundo

Pousada prepara investimentos para receber turistas da Copa do Mundo de 2014

  
  
Cristina afirma que leitos em Pirenópolis podem ajudar tanto Goiânia quanto Brasília na acomodação de turistas na Copa do Mundo

Faltando quase dois meses para o anúncio, pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), das 12 sedes da Copa do Mundo de Futebol 2014 no Brasil, a pergunta de praxe no Estado de Goiás é: “Goiânia será uma das sede da Copa?”. Mas, curiosamente, para moradores do município de Pirenópolis, distante 125km da capital goiana, essa é uma indagação cuja resposta parece não preocupar.

Pelo menos é o que revela a administradora de empresas Cristina Coutinho Jaime, 35 anos, gerente da Pousada Casa Grande, no centro de Pirenópolis. Para Cristina, a cidade será beneficiada pelo movimento da Copa do Mundo, independentemente de Goiânia ou Brasília serem escolhidos como sedes, ou apenas um deles. “Pirenópolis vai aumentar o número de leitos para o evento”, diz Cristina.

A administradora, que também é formada em hotelaria, lembra que o município possui cerca de cinco mil leitos em hotéis e pousadas locais, observando que Pirenópolis também fica próximo à Capital federal (182 km). “Nossa proximidade dass possíveis sedes e a capacidade de acomodação local não serão desprezados pelos organizadores da Copa”, ressalta.

Além disso, Cristina enfatiza que a cidade é roteiro de turismo histórico, cultural, gastronômico e natural do Estado, qualidades essenciais para atrair o turista estrangeiro. “Pirenópolis poderá ser uma espécie de ‘refúgio’ para o turista que deseja contato com a história e a natureza, opção de passeio longe da vida apressada das grandes capitais”, explica a administradora.

Emprego dobrado

A Pousada Casa Grande possui noves empregados e deve dobrar esse número para a Copa do Mundo. Cristina estima contratar cerca de 10 novos colaboradores até 2014, para dar conta de cinco apartamentos, 18 chalés e toda a infraestrutura do local, com os seus cinco mil m². “A excelência no atendimento será o nosso grande desafio”, afirma.

Segundo a administradora, a pousada receberá investimentos em qualificação, tecnologia e adequações para a hospedagem de portadores de deficiência, por exemplo. Cristina observa que os próprios empregados do estabelecimento serão estimulados a fazer cursos de línguas estrangeiras para o relacionamento com os hóspedes. “A comunicação será fundamental para agradar”.

Fundada em 1999, a Pousada Casa Grande parece mais um minifazenda no meio da cidade. Com estrutura de construção original, em adobe, o local lembra um jardim de frutas, com as suas goiabeiras, jabuticabeiras, mangueiras. Tem bananas também, além de mexericas, laranjas, acerolas, cajus, abacates, jenipapos e até uvas. “Tudo plantado pelo meu pai, Constantino”, lembra Cristina.

A administradora afirma que em 10 anos a sua família investiu cerca de R$ 1 milhão na pousada, projeto que nasceu de um casarão que ficou fechado durante 30 anos. Com taxa de ocupação média de 30% ao mês, Cristina lembra que os finais de semana e feriados compensam o baixo fluxo de clientes do meio de semana. “Na alta temporada, temos 100% de lotação, com cerca de 60 hóspedes”.

Serviço:
Pousada Casa Grande - (62) 3331-1758
www.casagrandepousada.com.br
Agência Sebrae de Notícias em Goiás (ASN/GO) - (62) 3250-2268

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em