Rio das Ostras (RJ) sediará o Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Os shows são gratuitos e acontecem em três palcos: Praia da Tartaruga, Lagoa de Iriry e na Cidade do Jazz e do Blues

  
  
O festival acontece de 10 a 14 de junho /Cezar Fernandes

O Rio das Ostras

Jazz & Blues Festival chega a sua sétima edição com um elenco que se destaca pela sua diversidade musical e experimentação.O festival acontece de 10 a 14 de junho em Rio das Ostras, balneário a 170 km do Rio de Janeiro. Os shows são gratuitos e acontecem em três palcos: Praia da Tartaruga, Lagoa de Iriry e na Cidade do Jazz e do Blues, em Costazul.

O sétimo Rio das Ostras Jazz & Blues traz um saudável ecletismo de estilos e de gerações: Spyro Gyra, John Hammond, Coco Montoya e Jason Miles, que se apresenta em parceria com o DJ Logic, dividem a programação com a modernidade e experimentação dos grupos The Bad Plus, um dos principais grupos do movimento Jam Band e Rudder, considerado pela crítica o mais progressivo e inovador grupo a atingir a cena musical nos últimos anos desde Medeski, Martin & Wood.

As atrações nacionais retratam a diversidade e a qualidade da nossa música: o pianista Ari Borger, o duo de violões Duofel – com a participação especial do percussionista Fábio Pascoal, o gaitista Jefferson Gonçalves, o grupo Pau Brasil e a Big Time Orchestra. A Orquestra Kuarup, regida pelo maestro Nando Carneiro, abre a sétima edição do Rio das Ostras Jazz & Blues.

O festival traz ainda a Dixie Square Jazz Band. Liderada por Marcos Vital e seu washboard, a Dixie percorre os principais pontos da cidade executando standards do jazz.

PALCOS - CIDADE DO JAZZ & BLUES

A infraestrutura de Costazul conta, além do palco principal, com uma praça de alimentação, pontos de venda de CDs, revistas e camisetas e telão que transmite os shows ao vivo. Ainda em Costazul, a Casa do Jazz e do Blues. No espaço exposição de fotos e biografias dos artistas mais importantes dos gêneros além da exibição de documentários e shows de bandas locais.

Partindo da Igreja Matriz, no Centro, seguir pela Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), na direção de Macaé. Na altura do km 150, virar à direita, na entrada do Bairro Costazul, percorrendo aproximadamente 1 km na Avenida Governador Roberto da Silveira. A cidade do jazz e do blues fica no antigo camping de Rio das Ostras.

PRAIA DA TARTARUGA

Localizada em uma pequena enseada, situada entre as praias do Abricó e Praia do Bosque, o Praia da Tartaruga abriga o palco mais charmoso do festival. Na Tartaruga o público assiste aos shows sob o pôr-do-sol. O palco é montado sobre uma pedra que, literalmente, invade o mar .

LAGOA DE IRIRY

No palco da Lagoa de Iriry, o público está lado a lado com o artista em um anfiteatro circundado por uma lagoa e uma vegetação típica de restinga. A Lagoa de Iriry fica no Jardim Bela Vista, em Costazul.

RIO DAS OSTRAS

Localizada a cerca de 170 Km do Rio de Janeiro, Rio das Ostras é um dos poucos balneários do país que oferecem além de praias, lagoas e um circuito eco-rural. O município desenvolve-se com respeito ao meio ambiente, moradores e turistas, destacando-se por seus investimentos em infraestrutura e saneamento básico.

Sua emancipação político-administrativa aconteceu em 10 de abril de 1992. Desde então, seu crescimento populacional é considerado o maior do interior do Estado, cerca de 10% ao ano, distribuído em uma área territorial de 232 Km² de extensão. Atualmente, a cidade conta com uma população de mais de 90 mil habitantes, segundo dados da última contagem do IBGE.

Os investimentos feitos nos últimos quatro anos em infraestrutura e saneamento foram da ordem de R$ 1 bilhão e trouxeram além de benefícios para o morador, um retorno direto para o turismo, a principal vocação do município.

O setor também é movimentado por eventos de projeção nacional, como o Festival de Jazz e Blues, que já é considerado o maior da América Latina, o Festival de Dança, hoje o terceiro maior do Brasil, o Festival de Frutos do Mar, que leva a chancela de José Hugo Celidônio, e o Encontro de Motociclistas, considerado o terceiro maior do gênero no Brasil. Todos esses eventos movimentam a economia local; na última edição do festival do Rio das Ostras Jazz e Blues, por exemplo, o setor hoteleiro do município teve 100% de ocupação.

ATRATIVOS:

As 14 praias que desenham sua costa são os atrativos mais procurados pelos turistas que chegam diariamente na cidade. Em Costazul, o turista terá acesso a uma orla com ciclovia, academia de ginástica ao ar livre, quiosques, playgrounds e 15 mil m² de área de restinga preservada. O píer de Costazul, que avança 200 m para dentro do mar, também é outro ponto onde é possível observar uma bela paisagem. Ao final da orla de Costazul, fica a Praça da Baleia - a área de lazer que abriga a escultura de uma Baleia Jubarte com 20 metros de comprimento de estrutura metálica, recoberta com chapas de bronze e liga de latão.

Além dessa, há outras opções de belas praias, como a do Abricó, procurada pelos aficionados em pesca, e as da Tartaruga, Bosque, Centro e Boca da Barra, com suas águas mornas e mansas, ideais para toda a família e circundadas por restaurantes, bares e quiosques, atraindo muitos turistas.

A cidade conta ainda com opções de turismo ecológico. O município criou quatro Unidades de Conservação (UCs) Área de Preservação Ambiental (APA) da Lagoa de Iriry, Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) de Itapebussus, Monumento Natural dos Costões Rochosos e o Parque dos Pássaros, espaços de preservação da fauna e flora nativas, de contemplação da natureza e de lazer.

Preservando a cultura local, o município mantém espaços importantes, como o Museu Arqueológico Sambaqui da Tarioba, o único museu in sito do Brasil, outro ponto turístico imperdível para quem visita Rio das Ostras. Aberto à visitação pública, o museu tem exposição permanente de peças catalogadas por época, origem e denominação pelo Instituto de Arqueologia Brasileira (IAB), em reconstituição da pré-história da região.

O Centro Ferroviário de Cultura, que funciona na antiga Estação Ferroviária de Rocha Leão, é outra atração turística com valor histórico para Rio das Ostras. Sua construção, utilizando mão-de-obra escrava, aconteceu entre 1877 e 1887. Em 2006, uma revitalização foi realizada e todo o prédio ganhou novo visual com pintura externa em cores mais vivas. O Museu Ferroviário foi valorizado com nova iluminação e melhor disposição das peças pertencentes à antiga Leopoldina Railway.

A ponte sobre o Rio das Ostras, com sua arquitetura futurista com vigas estaiadas, é um dos cartões-postais mais recentes da cidade. Inaugurada em 2007, a ponte ganhou uma iluminação diferenciada, assinada por Peter Gasper, um dos maiores especialistas do país.

Por fim, o circuito eco-rural mostra que Rio das Ostras é mais que um balneário. A cidade ainda guarda uma bela zona rural, que pode ser visitada pelos turistas, com suas propriedades tradicionais e um clima de roça com bonitas paisagens.

INFRAESTRUTURA:

Para atender a grande demanda turística, aproximadamente 60 hotéis e pousadas, oferecem 3 mil leitos, além de cerca de 30 restaurantes e vários quiosques localizados na orla, compõem a infra-estrutura receptiva do município.

Fonte: Del Valle Ediroria / Tempo3 Comunicações

www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em

BLUES BAND FIVE - Os bons tempos voltaram

BLUES BAND FIVE - Os bons tempos voltaram

15/05/2009 15:34:20
Olá pessoal , gostaria de participar de seus eventos, gostaria de saber seu email, para mandar o releese, da minha banda BLUES BAND FIVE, Abraços, xuxu. Fico no aguardo seu retorno.