Roteiro Civilização do Açúcar terá Comitê Gestor

O objetivo do projeto é estruturar novos roteiros integrados nas cinco regiões do país, promovendo a inclusão social, o resgate e a preservação dos valores culturais locais.

  
  

Técnicos do Ministério do Turismo (MTur) chegaram nesta terça-feira (17/03) a Maceió (AL) para instalar o Comitê Gestor do Roteiro da Macrorregião Nordeste “Roteiro Integrado Civilização do Açúcar – Caminhos dos Engenhos”. O roteiro que abrange municípios de Pernambuco, Paraíba e Alagoas está entre os contemplados pela segunda edição do projeto Rede de Cooperação Técnica para a Roteirização.

O objetivo do projeto é estruturar novos roteiros integrados nas cinco regiões do país, promovendo a inclusão social, o resgate e a preservação dos valores culturais locais. Após a definição dos roteiros desta segunda edição, o próximo passo para a roteirização dos destinos turísticos integrados será a instalação dos Comitês Gestores em cada um dos roteiros integrados das macrorregiões.

Segundo a coordenadora geral de Segmentação do MTur, Rosiane Rockenbach, a instituição dos comitês é de fundamental importância para o desenvolvimento do projeto e dos territórios contemplados. “Competirá aos integrantes dos comitês tomarem as decisões estratégicas referentes à estruturação desses roteiros específicos, em suas respectivas macrorregiões. E isso será feito durante a fase de implantação do projeto e, sobretudo, pós-projeto”, ressalta.

A finalidade do Comitê Gestor do Roteiro é integrar de forma organizada os interesses de pessoas e segmentos envolvidos na ação – iniciativa privada, poder público, terceiro setor e comunidades locais, tornando-os agentes da transformação e protagonistas do processo decisório. Além disso, visa trabalhar para que o destino turístico integrado seja reconhecido pelo mercado por meio da natureza e diversidade cultural da região, focando sempre nos princípios da sustentabilidade.

Entre as funções do comitê estão: ser porta voz da comunidade com o governo e responsável pela simultaneidade de ações em todo o território; coordenar as ações de acordo com o plano estratégico de cada roteiro integrado; captar recursos para incrementar o destino; e alimentar constantemente o banco de informações do roteiro.

Para Rockenbach, a escolha dos membros envolvidos diretamente na rede de cooperação será fundamental para o sucesso do processo de roteirização. “Esses atores irão desempenhar papéis fundamentais no processo de construção e compartilhamento do conhecimento, além de formação de parcerias, formatação d roteiro integrado e seu gerenciamento”, afirma.

Formada pelos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o Comitê Gestor do Roteiro da Macrorregião Centro-Oeste “Roteiro Travessia do Pantanal” já foi instalado. No dia 25 de março está previsto a implementação do comitê da Macrorregião Sul, “Roteiro Aparados da Serra”, que contempla Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Já na Macrorregião Norte, onde o roteiro integra os estados do Amazonas e Roraima, a previsão é que o comitê seja formado no dia 2 de abril. A data para instalação do comitê do roteiro da Macrorregião Sudeste “Roteiro Integrado do Sudeste”, que integra Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo, ainda não foi definida.

O projeto Rede de Cooperação Técnica para a Roteirização é coordenado pelo MTur em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Instituto Marca Brasil (IMB).

Roteirização Turística - O objetivo é apoiar a produção de roteiros turísticos de forma articulada e integrada por meio da formação de redes de cooperação.

A roteirização turística é uma das estratégias utilizadas pelo Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil do MTur para estruturar, qualificar e diversificar a oferta turística. É um processo voltado para a construção de parcerias em níveis regional, estadual, nacional e até internacional, a integração e o compromisso dos envolvidos.

Histórico - Na primeira edição, o projeto envolveu 130 técnicos de todas as regiões brasileiras e resultou na consolidação de uma grande rede nacional estruturada em cinco roteiros integrado (Jericoacoara – Delta do Parnaíba - Lençóis Maranhenses; Iguassu Misiones; Estrada Real – Caminho Velho; e Chapada dos Veadeiros), além do Roteiro Turístico Caminhos da Revolução Acreana.

O projeto contribui para o processo de interiorização do turismo, elevando os níveis de emprego, renda e empreendorismo das comunidades envolvidas. Fora isso, aumenta o fluxo de visitantes e sua permanência nos destinos.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em