Secretaria do Turismo e Bahiatursa divulgam a Bahia em feira francesa

Serão realizadas discussões sobre as novidade do setor turístico no mundo, assim como lançamentos de novos produtos, apresentações e oficinas de estudo.

  
  

A 30ª edição da Top Resa, Salão de Turismo de Viagens, acontece este ano, de 16 e 19 de setembro em Paris, França. Para esta edição são esperados cerca de 20 mil profissionais de turismo de várias partes do mundo. Esta Top Resa não será aberta ao público, se transformando em uma Feira exclusivamente voltada para profissionais.

Serão realizadas discussões sobre as novidade do setor turístico no mundo, assim como lançamentos de novos produtos, apresentações e oficinas de estudo. A Secretaria de Turismo da Bahia e a Bahiatursa, vão participar da feira em parceria com a Embratur .

A presidente da Bahiatursa, Emília Salvador Silva, representará a Bahia no evento. “A nossa participação na Top Resa é importante pois é uma boa oportunidade de estarmos em contato com outros mercados, além do europeu, que é hoje um grande emissor de turistas para o Estado da Bahia”.

No estande da Bahiatursa uma baiana tipicamente trajada estará recepcionando os visitantes, distribuindo material promocional das regiões turísticas do estado, além de mapas, guias de hotéis, exemplares da Revista Viver Bahia e fitas do Senhor do Bonfim.

A Top Resa é uma feira onde são oferecidos aos agentes de viagens e operadores, variados tipos de produtos turísticos. A Bahiatursa mostrará o turismo étnico, o enoturismo, o turismo de golfe, o ecoturismo, o turismo náutico, e o turismo de sol e praia, além dos outros regionais feitos na Bahia. A Feira funciona como um meio de intercâmbio profissional no mercado francês.

Perfil do Mercado e do Turista Francês (dados da Embratur):

No ano de 2007 os franceses realizaram 20,1 milhões de viagens ao exterior, sendo 6,3 milhões de longa distância (Direction du Tourisme).

254.367 turistas franceses vieram ao Brasil em 2007 (Embratur).

A oferta total de assentos aéreos disponibilizados com origem na França e destino no Brasil em 2007 foi de 645.155 (Embratur/Panrotas).

42,2% dos turistas franceses vieram ao Brasil a lazer; e 31,1% veio a negócios ou para participarem de eventos e convenções, no ano de 2006 (Embratur).

O gasto per capita médio do turista francês que visitou o Brasil em 2006 motivado por negócios, eventos e convenções foi de US$150,34 por dia, enquanto o gasto per capita do turista de lazer foi de US$78,23 por dia (Embratur).

O turista francês de lazer permaneceu em média 15 noites no Brasil em 2006; já o turista de negócios, eventos e convenções permaneceu em média 17 noites no país no mesmo ano (Embratur).

91,9% dos turistas franceses declarou, no ano de 2006, ter a intenção de retornar ao Brasil (Embratur).

Segundo o Plano Aquarela os principais países concorrentes do Brasil no mercado francês são:

México (cultura e sol e praia);

Argentina e Chile (cultura);

Caribe (sol e praia);

Cuba (cultura e sol e praia);

Peru (cultura);

Em 2007, 76,0% das agências de viagens na França comercializava algum destino brasileiro (Embratur).

Tendências e oportunidades:

Este ano o Brasil será o país convidado da 24ª edição do Salon International du Tourisme et dês Voyages, que será realizado na cidade de Colmar, de 7 a 9 de novembro, possibilitando a divulgação de novos destinos brasileiros.

2009 será o “Ano da França no Brasil”, o que também deve atrair muita atenção dos franceses para o país.

Os 50 anos da Bossa Nova no Brasil, gênero muito difundido na França.

O Brasil, em geral, é um destino turístico desejado pelos franceses.

Entrada em operação do vôo charter da Condor para Salvador.

Fonte: Bahiatursa

  
  

Publicado por em

Amelia batachés

Amelia batachés

18/11/2008 10:45:19
Parabéns!!!.
Por todos os empreendimentos culturais que trazem vida e verba ao povo da Bahia.
Lendo a mensagem de nosso amigo Carlos Rogério, e o modo de solução desta realidade... Lembrei que numa cidade mineira (são Lourenço), na qual morei alguns anos, fizemos um trabalho de conscientização para o turista e o morador.
Consistia em dar as bem vindas ao turista com folhetos e convites de participação gratuita nas atividades conscientes durante sua estadia.
Todo estava baseado em atividades que incluíam o morador, desde as quais os instrutores aplicavam inteligentemente, conceitos ecológicos y salutares na mente de estas pessoas.
Abriram-se cursos de capacitação para pessoas moradoras que começaram a participar com interesse real nestas atividades, tentando incluir neste programa, a parcela social de menor capacidade econômica da cidade em questão.
Atividades como yoga nas praças publicas e oficinas ao ar livre sobre temas de saúde, recreação ecológica, sempre direcionando as mentes a uma educação social consciente, foram de grande sucesso numa cidade que após seria inundação, ameaçava com o fim do turismo nesta área.
Não e o caso da Bahia, esta ameaça... Mas sim o momento em que ainda pode se fazer alguma coisa na área de consciência do povo com o crescimento do turismo nas diversas praias Baianas.
E tudo questão de organização e amor pelo povo, a natureza e a humanidade.

Abraço...

Amelia

Carlos Rogério

Carlos Rogério

22/09/2008 19:47:17
O modelo de desenvolvimento turístico do litoral norte baiano não contempla a cultura e o meio-ambiente. O lugar está começando a ficar violento e os novos empreendimentos não respeitam a natureza.Campos de golfe devastam a restinga,condomínios com segurança armada;Praia do Forte é só comércio,não tem teatro,cinema,sala de exposições, escola profissionalizante,creche(os hotéis não oferecem creche para os funcionários.Meio ambiente é só tartaruga e whale watching, ações sociais só propaganda.