Turismo no Brasil prevê crescimento de 20% no primeiro bimestre do ano

Enquanto alguns mercados da economia global registram balanços negativos em razão da crise financeira internacional, o turismo brasileiro prevê um crescimento de 20% em janeiro e fevereiro de 2009

  
  

Enquanto alguns mercados da economia global registram balanços negativos em razão da crise financeira internacional, o turismo brasileiro prevê um crescimento de 20% em janeiro e fevereiro de 2009 quando comparado ao primeiro bimestre de 2008. A estimativa bem como um balanço da indústria do turismo no passado foram apresentados em entrevista coletiva à imprensa pelo ministro do Turismo, Luiz Barretto, nesta última segunda-feira (02/03).

Os hotéis de São Paulo, que normalmente sofrem queda durante o período de férias, apresentaram uma alta de 5% no período. No Rio de Janeiro, a ocupação hoteleira chegou a 95% no Carnaval, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH). Nem mesmo a diminuição do fluxo dos turistas estrangeiros, tradicionais nesta época do ano, reduziu o número de foliões. Ao contrário, a cidade recebeu 2,55 milhões visitantes nesta temporada, 50 mil a mais que na anterior.

Em Pernambuco, os 800 mil turistas que vieram para o Carnaval ocuparam 100% da rede hoteleira, gerando uma renda R$ 300 milhões. Outros tradicionais destinos turísticos também tiveram crescimento durante o Carnaval. A ocupação dos hotéis na Bahia cresceu 5% e no Ceará chegou a 86%, quatro pontos percentuais acima do Carnaval passado. Santa Catarina manteve os 85% registrados no mesmo período do ano anterior.

Segundo a Associação Brasileira de Agentes de Viagem (ABAV), as operadoras de turismo tiveram um incremento de 15% nas vendas de pacotes turísticos em relação a janeiro e fevereiro de 2008. O número de turistas que optaram por viajar de avião também aumentou: os vôos domésticos cresceram 10% no período na comparação com o ano passado. Alguns balanços preliminares, como o de locação de automóveis, avaliam um aumento ainda mais expressivo, chegando a 40%.

Esses dados reforçam a tendência de estruturação e fortalecimento do Turismo, que vem emplacando números positivos ano a ano, tanto em relação ao turismo doméstico quanto ao internacional.

Neste mês de março, por exemplo, o texto do decreto de regulamentação da Lei Geral do Turismo será enviado à Casa Civil da Presidência da República. A legislação vai definir novas regras e possibilitar mais proteção e segurança ao consumidor e aos investidores nacionais e estrangeiros. Entre outras responsabilidades, a lei concede ao Ministério do Turismo mecanismos inéditos de fiscalização de serviços.

O turismo em números

Em 2007, o turismo gerou 2,6% do PIB brasileiro e uma receita anual de R$ 39 bilhões. Desse total, 85% (R$ 33 bilhões) correspondem à receita do turismo doméstico. Os outros 15%, vindos do turismo internacional, alçaram o setor ao quarto item da pauta de exportações do país – posição perdida este ano para comercialização de carne de frango, que cresceu substancialmente em 2008.

No entanto, o turismo continua como primeiro item do setor de serviços da balança comercial brasileira. Enquanto, em 2007, o PIB do Brasil cresceu 5,7%, chegando a R$ 2,6 trilhões, o turismo cresceu 10% no mesmo ano.

Em 2008, mais de cinco milhões de estrangeiros visitaram o país, a maioria, argentinos, seguidos por americanos, portugueses, italianos e chilenos. Ao todo, os turistas deixaram no Brasil US$ 5,78 bilhões, 16,8% a mais do que em 2007 (US$ 484 milhões). O valor foi um recorde histórico desde que o dado começou a ser medido pelo Banco Central.

Em 2009, a atividade turística internacional registrou queda em mercados importantes para o setor. Em janeiro, o gasto dos turistas estrangeiros no Brasil foi de US$ 492 milhões, 17,3% menor se comparado ao mesmo período do ano passado. No entanto, o número representa a segunda maior arrecadação da história.

Ações para 2009

Entre os destaques para os próximos meses do ano, estão as campanhas pontuais que serão promovidas pelo Ministério do Turismo antes de cada feriado do calendário nacional para estimular viagens domésticas. No primeiro semestre, quatro feriados prolongados contarão com campanhas, filmes e anúncios publicitários: Semana Santa, Corpus Christi, Tiradentes e Dia do Trabalhador.

A ação é mais um desdobramento da campanha Se você é brasileiro, está na hora de conhecer o Brasil, lançada pelo Ministério ao final do ano passado e iniciada neste verão. No mesmo escopo está a campanha de divulgação dos destinos turísticos nacionais nos aeroportos, que será ampliada este ano.

O MTur dará continuidade ao programa Viaja Mais Melhor Idade, que incentiva aposentados e brasileiros com mais de 60 anos de idade a viajarem na baixa estação, estimulando a ocupação nos períodos normalmente afetados pela sazonalidade. Em 2008, o programa estimulou a comercialização de 180 mil pacotes ante uma estimativa inicial de 50 mil.

Lançada em setembro de 2008, a campanha Brasil Sensacional, que divulga o Brasil no exterior, também prossegue nos 12 principais mercados emissores de turistas da Europa, América do Norte e América do Sul.

O Ministério do Turismo continuará, ainda, a elaborar os diagnósticos sobre os 65 destinos indutores do turismo no Brasil. Realizados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), eles apontam as qualidades e as necessidades turísticas de cada uma dessas localidades. A partir deste ano, as 17 cidades candidatas a sede da Copa do Mundo de 2014 terão um estudo mais específico.

Investimentos em turismo

O aumento da procura pelos destinos nacionais deve-se à promoção do país e à certeza do brasileiro de que vai encontrar cidades mais estruturadas, com mão-de-obra e serviços cada vez mais qualificados.

Os investimentos do Ministério do Turismo em infraestrutura em 2008 foram de R$ 1,7 bilhão. Os recursos foram utilizados para recuperação de rodovias, construção de aeroportos regionais e centros de eventos, sinalização turística, urbanização de orlas e recuperação de patrimônio.

Para este ano, o investimento em infraestrutura será reforçado com recursos do Prodetur Nacional, uma linha de crédito de US$ 1 bilhão do Banco Mundial, com US$ 400 milhões de contrapartida pagos pelo Ministério do Turismo. Doze estados e uma capital, Goiânia, já tiveram seus projetos aprovados pela Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) do Ministério do Planejamento. No total, US$ 746 milhões em financiamento já foram aprovados.

Em janeiro, foi assinado um convênio de R$ 13,9 milhões com a Fundação Roberto Marinho para qualificação de 80 mil pessoas que trabalham diretamente com turistas. A iniciativa é um dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014.

Em parceria com o governo federal serão investidos R$ 20 milhões em 2009 para qualificar e inserir beneficiários do Programa Bolsa Família no setor de turismo. Os recursos são do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e vão financiar a primeira etapa do Plano Setorial de Qualificação (PlanSeq) para o turismo. As metas, para essa fase, são qualificar 26.475 pessoas e inserir 7.943 no mercado de trabalho.

Bilhete do turismo

Logo após a entrevista coletiva, o vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Fábio Lenza, e o ministro Luiz Barretto apresentaram os bilhetes da Loteria Federal, número 4325, que terão como tema o turismo brasileiro.

Os bilhetes trazem em sua estampa imagens de destinos brasileiros de sol e praia, equipamentos turísticos culturais, além de exemplares do patrimônio arquitetônico e natural do país.

O sorteio acontecerá no próximo dia 4 de março e prêmio principal será de R$ 250 mil. O preço da cartela inteira de bilhetes custará R$ 20 e a unidade, R$ 2.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em