Valorização e empreendimento

Seminário sobre Produção Associada ao Turismo é realizado em Brasília

  
  

Técnicos do Ministério do Turismo, Sebrae-DF e representantes do setor produtivo discutiram qual o melhor caminho para agregar valor aos destinos por meio de produtos típicos regionais. As rendas de Florianópolis, as garrafinhas de areia do Ceará e as delícias produzidas pelas baianas de Salvador dão um toque especial e deixam uma lembrança inesquecível na memória dos visitantes. O Seminário da Produção Associada ao Turismo das regiões Norte e Centro-Oeste, realizado no Centro de Convenções, em Brasília, tratou da importância de agregar aos destinos turísticos produtos artesanais, industriais ou agropecuários com matérias-primas naturais ou culturais da região.

O secretário de turismo do DF, Delfim da Costa, esteve presente na abertura do seminário e destacou a importância da iniciativa. “O investimento na produção associada é fundamental para o fortalecimento da cadeia turística”, disse ele.

Kátia Silva, coordenadora-geral de Projetos de Estruturação do Turismo em Áreas Priorizadas do MTur, destacou que a atividade turística requer importantes parcerias com entidades públicas e privadas. “Essas iniciativas ajudam a incrementar o fluxo de turistas, colaborando também para a valorização da cultura e dos costumes regionais”, disse ela.

“O principal objetivo é consolidar a produção associada como uma estratégia de diversificação da oferta turística e de aumento da competitividade dos destinos turísticos, preparando essas regiões para os mega eventos que acontecerão no país”, disse a coordenadora Kátia Silva.

Guia – Foi realizada uma apresentação sobre a atuação do Ministério do Turismo na construção de políticas públicas que valorizem a produção associada. Um dos destaques na apresentação foi o Guia de Produtos Associados ao Turismo, desenvolvido pelo MTur, Sebrae e pelo Instituto Cultural e Educacional de Paraguaçu (Incep).

O guia, lançado na Feira da Abav na última semana, foi idealizado como uma forma de apoio à promoção e comercialização dos destinos turísticos, por meio da identificação e registro de produtos com representatividade cultural e regional.

O palestrante Eduardo Barroso falou sobre o tema Identidade Cultural e Território, destacando a importância do mapeamento e da análise do perfil dos turistas. Mirian Rocha, presidente da Associação de Cultura Gerais, falou sobre o caso de sucesso de um convento em Extrema (MG), que abriu as portas para receber os turistas e encontraram no turismo uma alternativa de renda.

O empresário Leandro Carnielli contou a experiência das regiões de Venda Nova do Imigrante e Domingos Martins, no Espírito Santo, que a partir da produção associada passou a levar mais qualidade de vida aos moradores da região.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em