Visitantes e expositores avaliam positivamente a Feira das Américas

Estrutura dos estantes, variedade de empresas expositoras e novo horário do congresso foram pontos que mereceram destaque

  
  
Abav 2011

O 39º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens e Feira das Américas – Abav 2011 trouxe para o Riocentro, no Rio de Janeiro, um mundo de novidades que irão nortear o mercado de viagem e lazer nas próximas temporadas. Expositores espalhados por quase 16 mil metros quadrados em três pavilhões utilizaram dos mais variados recursos para atrair a atenção dos visitantes.

A tecnologia foi um destaque. Simuladores, projeções em 3D e até hologramas foram utilizados para reproduzir paisagens e fazer com que a promoção dos destinos turísticos fosse o mais atrativa possível para o agente de viagem. No estande de Mato Grosso do Sul uma grande tela touch de aproximadamente 45´´ fotografava o visitante e imediatamente enviava o registro por e-mail. Já a Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo de São Paulo lançou mão de um holograma para passar imagens de destinos turísticos, como o circuito das Cavernas da Mata Atlântica, inserida na fronteira com o Estado do Paraná, região do Vale do Ribeira.

O investimento foi recompensado. Nadir Debenetti Baseggio, diretora da Viaggiotur, ressaltou a boa organização do evento, que na sua opinião, favoreceu os negócios. "Todos ficam muito mais dispostos a fazer negócio. Dessa vez eu tive uma ótima experiência desde o meu embarque no Rio Grande do Sul. O espaço esse ano está lindo e bem projetado”, afirmou a gaúcha.

Mudança de horário gera polêmica
Para o agente de viagem Rodrigo Vieira, a Abav 2011 está mais estruturada e organizada a cada ano. Ele, que já participou das últimas três edições, destacou como diferencial a mudança no horário das oficinas, que, este ano, aconteceram simultaneamente à Feira das Américas. “Esse formato foi muito positivo, pois facilitou o acesso ao conteúdo oferecido, de extrema qualidade para os agentes de viagem.”

Vânia Climinacio, diretora da Paraná Turismo, participa da Feira desde a 1ª edição. “A Abav é uma vitrine. Se o destino não está presente aqui, ele não é lembrado lá fora”.

Paulo Leite, gerente de vendas para América do Sul da Hotelera Posadas, não achou produtivo abrir os portões mais cedo, mesmo assim não foi algo que atrapalhou a participação de sua empresa. "O nosso objetivo principal na feira foi divulgar nossos novos empreendimentos e fazer contatos, pois isso gera bons frutos. E saio daqui com a certeza de ter feito bons negócios.”

Outra a criticar sobre o horário foi a gerente de eventos da Unidas, Elaine Souza. ”O horário não ficou bom. Quando o evento está a todo o vapor a gente tem que fechar.”

Qualidade do público agrada expositores
Isabel de Souza, Coordenadora da Divisão de Promoções da Secretaria de Turismo do Rio Grande do Sul (Setur) participa da Feira das Américas desde 1987, ano da 15ª edição. Neste ano, ela constatou maior participação dos agentes de viagens, além da utilização de uma linguagem mais enxuta nos pavilhões e estandes que, na sua avaliação estavam nivelados em tamanho e investimento.

Participando da Abav desde a 5ª edição, Eduardo Simon, da Secretaria de Turismo do Estado de Santa Catarina (Santur), qualificou o público formado por agentes de viagens, operadores e imprensa especializada como o ponto mais positivo da feira. A mudança de horário, segundo ele, foi muito benéfica.

Variedade de empresas expositoras Além dos expositores, representantes de todas regiões do Brasil e de 45 países, muitos estrangeiros passaram pela feira. O português Carlos Ribeiro, da Across Luxury Travel, afirmou que evento é uma ótima oportunidade de fazer negócios. “Em 2009, estive aqui como expositor. Mesmo tendo bons resultados na edição passada, optei por participar apenas como visitante para ter mais mobilidade. Aqui temos oportunidades de fazer bons negócios com empresas brasileiras e do exterior. Destaco a grande variedade de empresas resente”, disse.

A diversidade de fornecedores do setor também foi um dos destaques para o mineiro Marcelo Pereira, da consolidadora Tour Star. A empresa sempre manda representantes para fazer negócios na Feira. O evento é uma ótima oportunidade para negociação de grupos. É possível encontrar todas as fornecedoras, no meu caso companhias aéreas, reunidas no mesmo local. Isso tudo possibilita negócios com condições extraordinárias”, afirmou.

Fonte: ABAV

  
  

Publicado por em