Excelência em turismo encerra segundo ano de aprendizagem

“Conhecimento é experiência, o resto é informação”. Foi com essa frase de Albert Einstein que o representante da operadora de Pirenópolis (GO) Drena Ecoturismo, Gustavo Soares, resumiu o que considera o programa "Exc

  
  

“Conhecimento é experiência, o resto é informação”. Foi com essa frase de Albert Einstein que o representante da operadora de Pirenópolis (GO) Drena Ecoturismo, Gustavo Soares, resumiu o que considera o programa "Excelência em Turismo - Aprendendo com as Melhores Experiências Internacionais", depois de ter participado de uma viagem técnica à Costa Rica, no ano passado.

Soares esteve presente, no último dia 09/11, no “26º Encontro Comercial Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo)”, em São Paulo (SP), onde o Ministério do Turismo, por meio da EMBRATUR (Instituto Brasileiro de Turismo), apresentou os resultados do programa "Excelência em Turismo": durante os dois anos de atividades já somam 115 os profissionais de 25 estados brasileiros atendidos em 10 viagens técnicas internacionais de aprimoramento.

O projeto é realizado em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e com a Braztoa, como executora.

“A estruturação de produtos é fundamental para o processo de comercialização e isso é o que estamos conseguindo fazer juntos”, disse o secretário de Políticas do Turismo do Ministério do Turismo, Airton Pereira.

Também estavam presentes o presidente da Braztoa, José Zuquim, o diretor de Turismo de Lazer e Incentivo da EMBRATUR, Ronnie Schroeder, e a responsável pela unidade de Apoio Coletivo, Comércio e Serviço do Sebrae, Ilma Ordine Lopes.

O objetivo do programa é levar profissionais brasileiros para conferir in loco práticas consagradas de destinos turísticos de excelência em diversos segmentos no exterior e assim promover a melhoria da qualidade da oferta nacional.

Para cada viagem são selecionados até 15 representantes entre operadores de turismo receptivo, meios de hospedagem e de outras empresas especializadas que desenvolvam atividades relacionadas com o foco daquela etapa.

Os participantes sempre assumem o compromisso de disseminarem, na volta, as práticas observadas, por meio de palestras e oficinas, garantindo o alcance das informações a um público ainda maior no Brasil.

Neste ano, o projeto registrou a participação de 45 profissionais brasileiros e, em 2005, 70. As dez viagens técnicas e segmentos estudados nesses dois anos foram: Costa Rica (Ecoturismo, Lodges e Gestão de Parques Nacionais); Peru (Ecoturismo e Turismo Cultural); México (Mergulho); Nova Zelândia (Turismo de Aventura); Espanha (Turismo Cultural, sob a ótica da formatação de rotas e roteiros); Argentina (Pesca Esportiva), em 2005, e África do Sul (Ecoturismo e Turismo de Aventura); Caribe (Sol e Praia); Estados Unidos (Eventos e Entretenimento); e Espanha (Eventos Culturais e Esportivos, em 2006.

Em pesquisa realizada junto aos participantes do "Excelência em Turismo" em 2005, 81% declaram já terem agregado inovações ou melhoramentos aos próprios produtos e/ou serviços turísticos.

Igual parcela também diz já ter implementado mudanças operacionais. Programas internos de treinamento ou capacitação estão sendo adotados por 87% dos participantes. Um total de 58% deles revela ainda ter adicionado novos produtos e/ou serviços turísticos aos catálogos. Além disso, 33% já estão trabalhando em parcerias comerciais e 37% estão interagindo com a comunidade local.

O representante da operadora de Alto Paraíso (GO) Travessia, Ion David, implementou diversas mudanças na empresa após participar da viagem à Nova Zelândia, com foco em Turismo de Aventura, no ano passado.

Aprendi que a palavra-chave é acessibilidade. Hoje temos atividades de aventura direcionada para o turista comum, antes o foco era no aventureiro. Então, revimos roteiros, montamos um circuito de arvorismo e modificamos a estratégia de marketing. Também transformamos a acomodação dos nossos equipamentos em um show room”, contou.

Já o recém-chegado da viagem à Espanha, Rodrigo Vieira, da operadora de São Paulo (SP) Odyssey, especializada em circuitos de caminhada pela cidade, voltou cheio de idéias e motivação: “Pude constatar como as parcerias, nos diversos níveis, são fundamentais e como um evento é capaz de transformar e revitalizar uma cidade, como Barcelona depois das Olimpíadas, por exemplo. O impacto imediato disso no meu negócio será a prospecção de parceiros e a busca de envolver a comunidade”. Ele também visitou Valência e Zaragoza.

Em relação ao formato do projeto, alguns aprimoramentos foram introduzidos em 2006. Todas as viagens do ano contaram com a participação de um consultor especialista em metodologia de benchmarking (termo que define o aprendizado com as melhores práticas) para treinamento da equipe técnica e do grupo.

A operação das viagens em si foi melhorada com a realização de uma ida prévia de um técnico aos destinos para a realização de contatos, avaliação dos itinerários e promoção de eventuais ajustes.

Multiplicação :

Os consultores nacionais também ficaram responsáveis por estimular a interação do grupo, tanto antes como depois das viagens, com especial atenção, no retorno, à troca de experiências na adaptação e implementação do conhecimento adquirido nas viagens.

Por fim, o material a ser produzido com as informações colhidas em cada uma das etapas, tais como documentos, folhetos, fotos e filmagens, será compilado na forma de estudo de caso para o registro e disseminação do conhecimento.

No primeiro ano de implementação, os empresários e operadores que participaram das viagens do "Excelência em Turismo" representaram 21 unidades da federação. Eles foram responsáveis pela realização de 37 oficinas de multiplicação, atingindo aproximadamente outros 1.100 mil atores da cadeia produtiva do turismo em 20 regiões ou municípios brasileiros.

Neste ano os participantes foram provenientes de 18 estados brasileiros. Numa segunda etapa, com a compilação de todo o material recolhido durante as viagens, terão início as ações de multiplicação.

As estimativas são para que sejam alcançadas mais 2.700 pessoas, considerando que cada participante faça até duas ações, atingindo ao menos 30 outros profissionais em cada uma delas.

Ao longo do encontro comercial da Braztoa também houve
oficinas de multiplicação do projeto. Elas foram integradas com a versão nacional do projeto, o Vivências Brasil – Aprendendo com o Turismo Nacional, desenvolvida pelo Ministério do Turismo com as mesmas parcerias.

Fonte: Embratur

Del Valle Editoria
Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em