Bairro carioca apresenta a gastronomia do samba

Valorização da Feira Gastronômica é ponto de partida para a valorização de Oswaldo Cruz, bairro da zona norte do Rio de Janeiro, berço da Portela e de clássicos do samba

  
  

Muita gente, mesmo entre os cariocas, não conhece o bairro Oswaldo Cruz, na zona norte do Rio de Janeiro. Mas alguns clássicos do samba tiveram inspiração em suas ruas e são imediatamente reconhecidos quando cantarolados: "Deixe-me ir, preciso andar / Vou por aí a procurar / Rir pra não chorar..." de Candeia; "Ah! Quantas lágrimas eu tenho derramado / Só em saber que não posso mais reviver o meu passado...", de Manacéa; "De que me serve um saco cheio de dinheiro / Pra comprar um quilo de feijão...", de Chico Santana.

Para o compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz e a historiadora Denise Barata, a beleza dos versos de Candeia, Manacéa e Chico Santana é apenas uma das credenciais de riqueza musical deste bairro do Rio de Janeiro. Para resgatar a história do lugar, que também é o berço da Portela, a mais antiga escola de samba do Rio, fundada em 1923, os dois optaram pela gastronomia, a parte mais visível de um amplo projeto para que Oswaldo Cruz recupere seu lugar de honra na capital fluminense.

"Sem comida, não tem samba, e sem samba não tem comida. Isso é uma tradição e, além de gerar mais trabalho para as pessoas daqui, a idéia é valorizar pratos caseiros e os que não se encontram com facilidade em restaurantes", reforça Marquinhos. Daí, a proposta de vender o que era feito apenas para animar as rodas de samba.

Na Feira Gastronômica das Yabás, que acontece no segundo domingo de cada mês, encontra-se desde 'roupa velha', refogado feito com as sobras da feijoada, 'tripa lombeira', que tem bucho, costela, lombo, cenoura e feijão branco, entre os ingredientes, até o 'peixe frito com arroz'. Um detalhe precioso é que à frente de algumas das barracas estão descendentes de algumas das figuras mais consagradas da música brasileira, como Candeia e Clementina de Jesus. "As netas dela fazem doces maravilhosos", diz Marquinhos.

Para que o projeto de revitalização do bairro se torne viável, Marquinhos e Denise fecharam uma parceria com o Sebrae/RJ. O romantismo dos velhos tempos pode até se manter, mas é preciso um olhar prático para que a idéia vire um negócio de fato. Para aproveitar o período de carnaval, as mulheres fizeram cursos de Formação de Preços e Atendimento ao Cliente.

"A Instituição acredita na valorização da cultura local. Por isso, estamos investindo no resgate de um espaço dedicado ao universo do samba", avalia a gerente da Área de Desenvolvimento de Economia Criativado Sebrae/RJ, Heliana Marinho.

De linhagem nobre, Helenir Santos Batista, a Nira, foi uma das beneficiadas. A filha de Carlos Batista de Oliveira, um dos fundadores da Portela, nasceu e cresceu na casa onde a escola foi criada e conta que enfrentou muitas dificuldades. "Já tive que dividir um ovo com quatro pessoas", resume.

Entre as mais de 1.200 barracas da Feira Gastronômica das Yabás, Nira se orgulha de ser dona de uma das mais procuradas pelo peixe frito servido com arroz e pirão. "Minha filha fez os cursos e aprendeu a somar, dividir e calcular as porções. Com isso, nossa renda quase dobrou. Agora, só peço a Deus para a feira continuar", diz Nira.

Marquinhos diz que a entrada do Sebrae/RJ no projeto faz com que as pessoas acreditem que o lugar pode mesmo virar um pólo gastronômico e cultural. O 'Diversas Nações', um encontro nacional de músicos previsto para julho, e a criação de um roteiro para que visitantes possam ir à casa dos moradores para conhecer fotos e objetos que contam uma parte importante da história do samba, são duas programações do projeto.

Marquinhos diz que todo este trabalho é para colocar Oswaldo Cruz de volta no mapa dos próprios cariocas e dos turistas. Para reforçar a proposta, recorre à Monarca, em Passado de Glória. " ...A Mangueira de Cartola, velhos tempos do apogeu - O Estácio de Ismael, dizendo que o samba era seu / Em Oswaldo Cruz, bem perto de Madureira.... No livro da nossa história tem conquistas a valer / Juro que nem posso me lembrar / Se for falar da Portela, hoje não vou terminar..."

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 3348-7138 e 2107-9362
www.agenciasebrae.com.br
Sebrae no Rio de Janeiro - (21) 2212-7971

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em