Conheça dez bebidas que são a marca registradas de suas regiões

Siga a tradição do copo através de dez bebidas que são a marca registradas de suas regiões. Descubra como a história de um país também, passa pelo que os seus habitantes gostam de beber

  
  
Caipirinha de limão

Siga a tradição do copo através de dez bebidas que são a marca registradas de suas regiões. Descubra como a história de um país também, passa pelo que os seus habitantes gostam de beber.

Pisco – A bebida já foi motivo de conflitos diplomáticos. A base da discussão foi a nacionalidade. As autoridades do Peru e do Chile dizem que é um produto originário dos respectivos países. O consumo deste destilado de uva faz-se desde o século XVI. Nas ruas de Santiago ou nas montanhas do Peru. Uma bebida com um grau elevado de alcoól.

Vodka Altai – Altai fica no Sul da parte ocidental da Sibéria, entre montanhas com 4500 metros de altitude. O nome significa “ouro” e a bebida ganhou um caracter de produto de elite. A Rússia é conhecida pelas bebidas destiladas a partir de cevada, milho, trigo, centeio ou batatas, mas esta é especial.É só para conhecedores, ideal para combater o frio...é uma prova de fogo para os bons bebedores.

Ouzo – Na Grécia ou na Turquia também pode ser conhecida como raki, bebida nacional. Ambos os povos gostam de falar do “leite de leão” como um produto seu. O apelido vem do fato da bebida, com sabor a anis, ganhar uma tonalidade branca quando misturada com água. Tem um sabor forte e adocicado e uma ressaca pouco simpática.

Tequila – Ir ao México e não a provar é, quase, tão grave como ir a Portugal e não degustar um belo vinho do Porto. A tequila é a bebida mais famosa do país e um dos produtos mais exportados pela economia mexicana. Feita a partir da destilação do agave, pode ter muitas variações quanto a graus de envelhecimento e sabores.

A tequila é a bebida mais famosa do México

Saké – É uma instituição nacional no Japão. Resultado da fermentação do arroz e tem uma história que remonta ao século III. Tradicionalmente conotado com celebrações religiosas, é hoje uma das marcas de um país e de uma das culturas mais tradicionais do mundo. Não deixe de experimentar! E não se esqueça de seguir o ritual de servir quem está ao seu lado e deixar-se servir por essa pessoa.

Akvavit – Na Escandinávia não há quem não conheça este aguardente. Faz parte dos hábitos festivos de dinamarqueses, suecos e noruegueses. Deve beber de uma vez, como um shot, e normalmente acompanha um copo de cerveja bem gelada. Destila-se a partir de trigo ou de batata e é enriquecida com ervas e especiarias. A tradição da Noruega manda também que o envelhecimento seja feito em casco, no porão de um navio que passe duas vezes pela linha do Equador.

Caipirinha – A base é cachaça. Feita a partir da cana de açúcar e preparada para uma tarde ou noite aqui no Brasil, seja no Calçadão do Rio de Janeiro, nas praias do Nordeste ou nos bares cosmopolitas de São Paulo. O ideal é bebê-la bem fresca, com gelo picado e acompanhada de uma boa roda de samba.

Grogue – Nas Ilhas de Cabo Verde, é à mesa que se passa mais tempo. A cerveja ajuda a acompanhar a cachupa, mas é com um copo de grogue que se selam amizades. O teor alcoólico é alto, o sabor é adocicado, mas não é uma bebida para todos os paladares.

Se levar um “e” é porque se trata da bebida irlandesa, sem a vogal, é um legítimo escocês

Whisk(e)y – Se levar um “e” é porque se trata da bebida irlandesa (os americanos também a escrevem assim). Sem a vogal, é um legítimo escocês. A diferenciação decorre de necessidade de marcar posição quanto à qualidade. Num caso ou no outro, esta é uma bebida global. Na Grã-Bretanha, prová-la é voltar ao século XIV, quando a bebida destilada de cereais começou a ser consumida.

Xerez – Na Espanha é considerada a bebida nacional. Este vinho licoroso é produzido na Andaluzia, na região de Jerez de la Frontera a parir da uva Palomino. Ela é adicionada ao aguardente. Depois do envelhecimento pode ser apreciado à sombra, protegendo do calor do Sul de Espanha e aproveitando ao máximo a tradição à mesa dos espanhóis.

Fonte: Destinos de Viagem

  
  

Publicado por em