Diabéticos devem dobrar a atenção durante as ceias de final de ano

Com as festas chegando a comilança vai ficando mais perto de acontecer. Se algumas pessoas já começam a se preocupar com isso vai impactar sua dieta – para perder ou manter o peso – imagine como as pessoas com diabetes não devem ficar ansiosas

  
  
A diabetes é uma condição que atinge em torno de 10 milhões de pessoas no Brasil

Com as festas chegando a comilança tradicional vai ficando mais perto de acontecer. Se algumas pessoas já começam a se preocupar com isso vai impactar sua dieta – para perder ou manter o peso – imagine como as pessoas com diabetes não devem ficar ansiosas.

A diabetes é uma condição que atinge em torno de 10 milhões de pessoas no Brasil – parte delas sem saber que está desenvolvendo a condição – e é uma disfunção metabólica bastante conhecida, cujo principal problema está em fazer com que as pessoas com a condição tenham dificuldade de metabolizar a glicose, a principal fonte de energia do corpo assimilada através dos alimentos.

Na hora de comer, portanto, os diabéticos têm que ter atenção redobrada quanto à qualidade, quantidade e horários da alimentação.

“Mesmo durante essas datas festivas que se aproximam, pessoas com diabetes precisam ficar atentos para não modificar o padrão alimentar correto, que é de 3 em 3 horas. Não ficar esperando pelo horário da ceia e mesmo ser ‘estraga prazer’ e jantar antes de todo mundo não é algo para se envergonhar. A condição exige essa regularidade na alimentação”, explica Cláudia Itosu, nutricionista do Hospital Santa Virgínia, em São Paulo.

Frutas: nem todas
Outra dica importante salientada por Olga é a opção por ingerir bastante frutas nessas festividades, passando longe de nozes e amêndoas – que são ricas em gorduras e calorias, coisas que os diabéticos também precisam evitar.

“Mas não são todas as frutas que devem ser ingeridas sem preocupação. As frutas são ricas em um tipo de açúcar, a frutose, e algumas delas têm grande quantidade disso em sua composição. Um exemplo são as uvas. Uma porção de uvas deve conter no máximo meio cacho ou o equivalente a uma porção do tamanho da palma da mão”, diz Olga.

As frutas em calda, então, devem ficar longe dos diabéticos. “Mesmo pratos tradicionais, que têm esse tipo de fruta na receita, devem ser evitados”, explica.

Bebidas e alimentos gordurosos
Não é preciso nem dizer que as bebidas alcoólicas não devem chegar nem perto dos diabéticos. “Mesmo que o índice glicêmico esteja sob controle e a pessoa ache que é uma data especial que mereça comemoração, as bebidas alcoólicas podem causar problemas como interações medicamentosas, ou seja, interagir com os remédios que alguns diabéticos precisam tomar regularmente e causar reações adversas, o que pode levar a hospitalizações. Essa não é a melhor forma de terminar uma noite comemorativa, então é melhor evitar”, alerta a especialista.

Para os diabéticos a dica é suco de frutas natural e até mesmo com a diluição em água. “A diluição facilita que o consumo dos açúcares seja em ritmo menor e pode ajudar a evitar picos de glicemia, por exemplo”, diz.

Quanto às carnes, a opção deve ser por aquelas com pouca gordura. Aves são uma ótima opção, mas algumas pessoas podem ficar com dúvidas devido às diversas superstições populares no Brasil. “Se a pessoa for muito supersticiosa, uma outra ótima opção são os peixes – que trazem boa sorte segundo as tradições orientais – e também têm diversos outros benefícios para a saúde”, aponta Olga.

O melhor de tudo isso, os peixes vão muito bem com o azeite de oliva, o melhor tipo de gordura que pode ser consumido com as refeições a chamada gordura insaturada. “Mas somente sobre os pratos. O preparo de pratos com azeite guarda uma pequena armadilha: quanto usado em frituras o azeite se torna uma gordura saturada, ou seja, passa a fazer mal para o organismo”, afirma.

Olga lembra ainda que as pessoas com diabetes têm riscos muito maiores de terem os níveis de colesterol e trigliceres acima do normalmente recomendado. Controlar essas gorduras, portanto é fundamental.

E no final de tudo essa fartura, lembra Olga, é importante investir em fibras e ingestão de líquidos. “As fibras auxiliam a diminuir os níveis glicêmicos, facilitando o trânsito intestinal também. E a ingestão de líquidos é importante para que essas fibras ajam melhor e também para hidratar o corpo após uma noite de possíveis excessos, especialmente quanto ao sódio ingerido”, finaliza.

Fonte: Envolverde

  
  

Publicado por em