Festival da Sardinha aquece o turismo no litoral cearense

Evento vai revitalizar o turismo e valorizar o pescado mais popular do município cearense de Cascavel, agregando novas receitas aos cardápios locais

  
  

Gastronomia, artesanato e cultura. Com esses três ingredientes, o município cearense de Cascavel, a 55 km de Fortaleza, prepara a receita da segunda edição do Festival da Sardinha, evento que promete revitalizar a cadeia produtiva do turismo local. A iniciativa é da Associação de Empreendedores de Turismo, Artesanato e Cultura de Cascavel (Assetuc).

Inspirado no sucesso de outros festivais temáticos realizados no litoral do Ceará e que já entraram para o calendário de eventos no Estado, como o Festival do Escargot, da Praia da Taíba, e o Festival das Algas, na Praia de Fleicheiras, o II Festival da Sardinha será realizado de 13 a 16 de agosto nas praias da Caponga e Águas Belas. A expectativa de público para o festival é de 30 mil pessoas nos quatro dias de evento, igualando o sucesso do ano passado.

As ações preparatórias para o festival começaram em junho. Foram realizados três cursos de capacitação para os agentes envolvidos com o turismo na região. Os cursos foram de higiene e manipulação de alimentos, processamento de pescado e qualidade no atendimento. Antes do evento, ainda estão previstos cursos de culinária à base de sardinha e frutos do mar, a ser realizado na quinta (6) e na sexta-feira (7) de agosto, e outro de artesanato a partir da quenga de coco.

Outro foco do festival é a conscientização ambiental, em favor da preservação da sardinha. Para isso, foram realizadas palestras para crianças e pescadores e um concurso de desenho com estudantes do ensino fundamental de escolas da Caponga, Água Belas e Balbino. Participaram mais de 500 alunos e 25 desenhos foram escolhidos para serem replicados por artistas plásticos da região nas velas dos barcos que participam da regata de paquetes de 14 palmos (embarcação usada na pesca da sardinha), que será realizada em 16 de agosto, dentro da programação do festival.

“Temos que fazer do festival um momento de reflexão sobre a questão do meio ambiente que é muito importante para nós. Não queremos que a sardinha passe pela mesma situação da lagosta. Para isso é preciso conscientizar as crianças e os pescadores”, explica o organizador do evento, Mamede Rebouças, presidente da Assetuc. De acordo com ele, os pescadores que participarem da regata terão de obrigatoriamente participar também de um seminário sobre pesca e meio ambiente.

O II Festival da Sardinha começa no dia 13, às 18 horas, com um cortejo cultural saindo do calçadão da Praia da Caponga até a arena do festival, na praça de eventos da praia, onde serão armados os estandes de artesanato e gastronomia. Na arena também serão realizadas apresentações teatrais, de música, dança, entre outras. A noite será fechada com muito forró e outros gêneros musicais.

A programação inclui um concurso de pesca da sardinha, de 10 a 15 de agosto, no calçadão da Caponga, para premiar o pescador que pescar mais sardinha. Na primeira edição do evento foram consumidas cerca de três toneladas de sardinha, segundo os organizadores.

A exemplo do ano passado, o concurso gastronômico de pratos à base de sardinha também vai incentivar barracas e restaurantes a produzirem diferentes guloseimas para os visitantes. A melhor receita será escolhida pelo público e por especialistas convidados do evento. Cerca de 20 empreendimentos vão participar do concurso. No ano passado, os ganhadores venceram com receitas de torta de sardinha, sardinha ao molho de camarão e lasanha de sardinha.

Destino turístico

Conhecida pelas suas belezas naturais e por ser um importante pólo pesqueiro do Ceará, o município de Cascavel quer revitalizar a cadeia produtiva do turismo local. O Festival da Sardinha será um chamariz para reforçar o turismo nas cinco praias do município (Águas Belas, Barra Nova, Barra Velha e Balbino).

Ao mesmo tempo em que se programa para a realização do evento, o município consolida os atrativos da região com passeios até então inexplorados, como o roteiro que mistura buggy e barco e que vai da Praia de Águas Belas à Praia de Barra Nova, onde fica a foz do Rio Choro, uma paisagem de mangues, dunas e falésias ainda preservadas.

A sardinha é uma grande aliada da saúde por conter a substância ômega 3. Além da sua riqueza nutritiva, é também um pescado saboroso. A idéia do festival é justamente mostrar isso às pessoas e contribuir para a valorização da sardinha, cujo consumo é popularizado no Brasil. A sardinha destaca-se também na dieta mediterrânea e portuguesa.

Ao apoiar o festival, o Sebrae/CE valoriza a atividade da pesca, bem como dissemina a agregação de valores à sardinha por meio da capacitação dos empreendedores do ramo de alimentação na região, que vão elaborar os pratos oferecidos no cardápio dos restaurantes.

Outro propósito da ação é a qualificação dos elos da cadeia produtiva do turismo, em especial a gastronomia, valorizando o potencial turístico da região. São parceiros do Sebrae/CE nesse trabalho a prefeitura de Cascavel e a Associação dos Empreendedores de Turismo, Artesanato e Cultura de Cascavel.

Serviço:
Sebrae no Ceará - (85) 3255-6600

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em