Festival Sabores do Sertão pernambucano inova com ingrediente regionais

A quarta edição do evento apresenta receitas requintadas à base do tempero típico de Serra Talhada e Triunfo

  
  

A alimentação do bando do famoso cangaceiro Lampião, quando em suas andanças pelo Nordeste do Brasil, era baseada em carne seca, farinha, rapadura e carne de caprinos. “Era coisa básica. O grupo precisava de algo prático, já que estava sempre em movimento”, conta a vice-presidente da Fundação Cabras de Lampião, Cleonice Maria.

A dieta dos capangas era basicamente o que se comia no sertão do Pajeú, onde sofisticação não era necessariamente palavra de ordem. Não era até o 4º Festival Gastronômico Sabores do Sertão, evento promovido pelo Sebrae em Pernambuco em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), com a proposta de trazer receitas requintadas à base dos mais tradicionais ingredientes da região. Com isso, o objetivo foi movimentar o setor gastronômico local para promover maior competitividade e lucratividade entre as empresas do segmento.

A abertura aconteceu no último dia 8 de dezembro, na Praça de Alimentação Ivany Barros, em Serra Talhada, e contou a exposição de novos pratos, além de apresentações culturais com o grupo de coco de roda, Zumbi dos Palmares, e com conjunto de forró pé de serra, Cabras de Lampião. O festival segue até o dia 20 de dezembro.

Os oito estabelecimentos participantes são o Café Brejeiro e o Mirante do Sesc, da cidade de Triunfo; Hotel São Cristóvão, O Trivial, Ebenézer, Sabor da Gente, São Martins e Serra China, de Serra Talhada. Os componentes dos pratos vão desde o filé mignon até o charque e as carnes de bode e de sol.

Antes de colocar a mão na massa para criar as novas receitas, os chefs de cada restaurante passaram por nove capacitações promovidas pelo Sebrae/PE, juntamente com a Abrasel. “Ensinamos não só sobre a preparação como também sobre apresentação dos pratos, atendimento e formulação de preços. Com isso, seguimos o propósito de tornar os restaurantes mais atrativos e competitivos”, afirma o gestor de Turismo, Cultura e Artesanato da Unidade de Negócios do Sebrae/PE no Sertão Moxotó, Pajeú e Itaparica, Alexandre Campos.

Para os participantes, foi uma oportunidade de adquirir novas informações, para inovar e agregar valor às criações. “As capacitações trouxeram muitas novidades e nos ensinaram a observar e transformar coisas do nosso cotidiano”, revela o chef do Mirante do Sesc, que apresentou o Crepe Floresta, à base de carnes, cebola e queijo coalho.

“Tivemos novas perspectivas nas aulas. Em nosso prato, por exemplo, utilizamos carne de bode moída, algo em que não tínhamos pensado antes. Foi uma experiência muito recompensadora”, reforça a chef do restaurante Ebenézer, criadora do Rocambode, recheado com carne de caprino.

Bons Frutos

“Antes do Festival Gastronômico, não tínhamos em Serra Talhada muita força nesse segmento. Era comum que os restaurantes abrissem e fechassem em pouco tempo”, diz o o secretário de Indústria e Comércio do município, Célio Antunes. De acordo com ele, o caráter de inovação do evento vem fortificando o setor a cada dia. “Agora estamos prosperando. Os restaurantes investem na criatividade, estão empregando cada vez mais pessoas e conseguem se manter no mercado”, ressalta Célio.

Os reflexos do festival também aparecem em outras áreas. “O que queremos com o evento é dar mais visibilidade às regiões onde ele acontece. Uma pesquisa do Ministério do Turismo mostrou que a gastronomia é responsável por aumentar em 30% a atratividade de um destino. Esperamos, então, causar uma integração entre as rotas turísticas e gastronômicas, para que as duas se fortaleçam e tragam bons frutos”, diz o gestor de cultura, turismo e gastronomia do Sebrae/PE, Alexandre Ferreira.

Serviço:
Sebrae/PE - (81) 2101-8400

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em