Festival vai renovar potencial da gastronomia para o turismo

Buscar a consolidação da gastronomia brasileira como diferencial turístico e criar um processo forte de associativismo. Esses são os objetivos da segunda edição nacional do Festival Gastronômico Brasil Sabor

  
  

Buscar a consolidação da gastronomia brasileira como diferencial turístico e criar um processo forte de associativismo. Esses são os objetivos da segunda edição nacional do Festival Gastronômico Brasil Sabor, que acontece simultaneamente em 24 unidades da Federação e no Distrito Federal a partir desta terça-feira (17/4) até 20 de maio.

A meta dos organizadores é superar os números da primeira edição ocorrida no ano passado, quando participaram do Festival 1.050 restaurantes, com a venda de 115 mil pratos.

O Festival Gastronômico Brasil Sabor é uma iniciativa do Ministério do Turismo, em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e o Sebrae. Desde 2003, o Sebrae, juntamente com a Abrasel, têm realizado várias outras ações com o objetivo de capacitar e promover o setor gastronômico.

Entre elas estão dois programas de 'Qualidade na Mesa' que oferecem capacitação, implantação de novas tecnologias, certificação de boas práticas e a viabilização da incorporação da gastronomia nos roteiros turísticos.

O coordenador nacional do Festival no Sebrae, Dival Schimidt, explica que nesta edição serão repetidas algumas ações que fizeram do evento um sucesso nos quatro cantos do País, como, por exemplo, a criação de um livro de receitas.

"Ao final do festival serão reunidos os dois melhores pratos, criados pelos restaurantes participantes de cada estado, para serem disponibilizados em um livro de receitas escrito em três idiomas".

Mas por que escrever o livro em três idiomas" A resposta está no número de acessos feitos por internautas de diferentes países ao site do festival. Foram computados, na edição passada, cerca de um milhão de acessos. Desse número, cerca de 20% foram provenientes dos Estados Unidos.

A responsabilidade social será um outro aspecto positivo, sendo abordada pela segunda vez no festival. No ano passado, a cada prato vendido, nos diversos restaurantes espalhados pelo País, foi doado um real ao Programa Fome Zero. Ao todo foram arrecadados cerca de 116 mil reais, que tiveram um importante destino.

"Queremos firmar a culinária brasileira no mercado interno e externo. A idéia é que a comida brasileira seja lembrada em qualquer parte do mundo, assim como acontece aqui no Brasil com a comida italiana, chinesa, japonesa, espanhola, entre outras.

Outro aspecto que queremos mostrar é que a culinária é um processo de difusão de toda a cadeia produtiva da gastronomia, que envolve desde a empresa que cria guardanapos até um pequeno produtor que produz a cachaça", explica Dival.

Mercado promissor

Mas será que a parceria turismo e gastronomia realmente dá certo" Muito. Recentemente, o IBGE, em parceria com a Embratur, divulgou o estudo 'Economia do Turismo: análise das atividades características do turismo'. A pesquisa só veio reafirmar a força que o turismo, associado à gastronomia, tem para o desenvolvimento do País.

O estudo indica que as atividades relacionadas ao turismo corresponderam a 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2003, gerando R$ 31,1 bilhões de valor adicionado na economia brasileira. O Estado do Rio de Janeiro, que abriga alguns dos principais atrativos turísticos do País, ocupa o segundo lugar, com 20,15% da receita bruta com do turismo brasileiro, ficando atrás de São Paulo, que concentra 43,3% da receita.

A maior receita líquida do turismo em 2003 foi gerada pelo setor de alimentação, com R$ 23,7 bilhões. O segmento da alimentação destacou-se também no número de pessoas ocupadas, com 1,4 milhão de trabalhadores, e no montante dos salários pagos, com R$ 6,3 bilhões. E, a depender do incentivo do Sebrae, esses indicadores vão crescer cada vez mais.

Por exemplo, em Salvador, os bares e restaurantes locais estão recebendo um reforço para melhorar cada vez mais os serviços prestados ao turista. Trata-se do 'Programa Qualidade na Mesa', desenvolvido pelo Sebrae local e que busca a qualificação dos restaurantes e bares da capital baiana.

O programa, que atualmente atende 40 estabelecimentos, atua de duas formas: com o trabalho de formação dos profissionais e a prática de alimentos seguros. Para este ano, os restaurantes interessados em participar do 'Festival Gastronômico Brasil Sabor' terão como principal requisito o certificado do 'Programa Qualidade na Mesa'.

Informações : Festival Brasil Sabor - http://www.brasilsabor.com.br

Fonte: Sebrae

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em