Mercado Central: O lugar mais visitado da capital mineira

Com mais de 400 lojas - um dos pontos comerciais mais procurados de Belo Horizonte - o Mercado Central recebe todos os dias um público que consegue unir suas compras ao lazer e à diversão, percorrendo os vários corredores temáticos do Mercado

  
  
Um dos lugares mais movimentados de BH, o Mercado Central é parada obrigatória para os turistas

O norte-americano Russel mal chega a Belo Horizonte e vai logo procurando um jeito de ir ao Mercado Central. E não vai sozinho, conta com a ajuda de Willy, o amigo brasileiro que interpreta os pedidos do engenheiro casado com uma mineira. Com um português arranhado, ele revela que são os cheiros, a variedade de coisas e principalmente o queijo fresco os atrativos preferidos. “Não tem como vir a Belo Horizonte e não vir ao Mercado Central”, afirma.

Russel não é o único estrangeiro que elegeu o centro comercial como favorito. A argentina Myriam Feldfeber também faz constantes visitas ao espaço considerado o mais democrático da capital mineira. “Eu adoro o Mercado e tudo o que ele tem de cor, de sabor, de coisas para comer. Amo esse lugar”, declara a professora da Universidade de Buenos Aires.

Pão de queijo, frutas e verduras fresquinhas, cerveja gelada, diversos tipos de queijo, carne para comer na hora e também para levar para casa, artesanato para consumidor e para artesão, pimenta, cachaça, cabeleireiro, flor, imobiliário, bijuterias, instrumentos musicais, jiló refogado, ervas medicinais e por aí vai. A lista de coisas que você pode encontrar é gigantesca.

Um roteiro tradicional
Alguns costumes viram rotina das pessoas que passeiam pelo Mercado. Um deles é passar pelo elevador que liga o primeiro piso ao estacionamento, mesmo se não estiver de carro, vale a pena passar por lá só para conhecer a ascensorista Terezinha. Ela tem uma simpatia que, logo no início, vai passar o clima do acolhimento do belo-horizontino. Pode até pedir um beijo, ela dará carinhosamente.

Há quem diga que não há frutas iguais as de lá. Em seguida, pare em uma frutaria na qual encontrará abacaxi e melancia em pedaços e deguste de olhos fechados. Doce e levemente gelado, o abacaxi é saboreado por frequentadores do comércio há mais de 60 anos. Seu Jair, dono do estabelecimento, ainda tem lembranças da época em que o Mercadoainda era pequeno.“Aqui não passava de uma simples feira e hoje eu tenho orgulho por ter feito da degustação do abacaxi um rito quase obrigatório”.

Se você é daqueles que gostam de artesanato, objetos de decoração e utensílios domésticos uma boa dica é visitar o andar superior. Lá você vai encontrar tudo isso e muito mais. Não se esqueça de comprar uma lembrancinha e levar para os amigos de sua terra natal, eles certamente ficarão com inveja. Mais ainda, quando mostrar as fotos dos mais deliciosos queijos de Minas. Destaque para o tipo canastra, típico da região da Serra da Canastra, que integra oficialmente o patrimônio cultural imaterial brasileiro.

Mantenha o paladar preparado. Em cada balcão um novo sabor, um novo cheiro e uma nova cor esperam por você. Desde o verde das folhagens, do vermelho das garrafas de pimenta, belamente dispostas nas prateleiras, à transparência saborosa a bebida mais famosa do Estado, a cachaça.

A multiplicidade de marcas oferece ao apreciador diferentes tamanhos, cores, formatos e preços. E por falar em pinga, que tal uma passadinha em um dos bares? Não se surpreenda se receber, aos gritos, um convite para tomar uma cerveja gelada. Ou quando o aroma dos pratos preparados lhe envolver, já estará sentado à mesa, participando de uma prosa e saboreando a mais famosa porção do Mercado: o fígado acebolado com jiló na chapa. Não faça cara feia! A maioria das pessoas que comem, repetem o petisco em casa.

Se quiser investir na saúde,vai ter facilidade para encontrar suplementos alimentares. No entanto, são das ervas medicinais o título das mais procuradas, sendo cerca de 30 lojas dedicadas aos fitoterápicos. Se a cura procurada é para a alma, além da Capela que abriga a imagem da Virgem de Fátima, são vendidos diversos artigos religiosos para as mais variadas crenças.

Democracia que também se estende ao universo étnico, além de vários “pedacinhos” de Minas, o Mercado abriga pequenas representações de culturas estrangeiras. No corredor de peças vindas da Índia, você encontra também o melhor da gastronomia árabe, um dos lugares preferidos da compositora Amanda Prates, “o kibe daqui é delicioso, diferente, feito exatamente como nos países árabes”, elogia.

Está achando que precisa mudar o visual ou apenas ajeitar a cabeleira? Profissionais da área também estarão à sua espera. E não vá embora sem antes tomar aquele cafezinho acompanhado de um delicioso pão de queijo. Assim vai poder dizer, de fato, que esteve em Minas e no Mercado Central onde se concentra a mineiridade do Brasil.

Fonte: Prefeitura de Belo Horizonte

  
  

Publicado por em