Mineiro ítalo-paranaense comanda os pratos da região Norte na Área de Gastronomia do 5º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil

Filho de um italiano com uma mineira, o chef Fábio Sicília diz que é mineiro de nascimento, paranaense de registro e paraense de coração

  
  

Cozinheiro por vocação, Sicília trocou o curso de Engenharia Química pela cozinha do restaurante da família. Desde criança já alimentava o sonho de levar adiante o negócio dos pais e dos avós Jussara e Giuseppe. O nome do avó paterno, aliás, batizou o restaurante que hoje é sinônimo de bom gosto e boa gastronomia, o Dom Giuseppe, de Belém, no Pará.

No currículo de Fábio Sicília, estão as escolas Cordon Bleu, na França, e o Italian Culinary Institute for Foreigners (ICIF), na Itália, onde se formou como chef master.

Entusiasta do Slow Food movimento internacional que surgiu em contraposição ao fast food e defende a preservação da cultura e hábitos gastronômicos -, o chef ganhou notoriedade por servir comida italiana e difundir o que ele chamou de “cozinha amazônica contemporânea”, com ingredientes típicos da região Norte do país.

À frente do Don Giuseppe, Fábio Sicília ganhou da revista Veja Guia Belém os títulos de Melhor Restaurante Italiano e Melhor Restaurante da Cidade, além de acumular A Melhor Carta de Vinhos.

No 5º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil, Fábio Sicilia é o coordenador dos pratos elaborados e servidos pela Região Norte, dentro da Área de Gastronomia.

Em seu cardápio estão caldeirada de tucunaré (Rondônia), rabada ao tucupi (Acre), mojica de tucunaré (Amazonas), damorida (Roraima), moqueca de peixe no tucupi (Pará), maniçoba (Amapá), e arroz cigarrado (Tocantins).

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em