Entidades discutem implantação de resort na Baía de Todos-os-Santos

O secretário de Turismo, Domingos Leonelli, defende a implantação de empreendimentos que funcionem de forma articulada com a economia dos entornos, gerando riquezas para as comunidades locais.

  
  

Representantes de setores como governo estadual, por meio da Secretaria de Turismo (Setur), e Instituto do Meio Ambiente (IMA), prefeitura municipal, Fundação Palmares e do grupo Property Logic discutiram nesta segunda-feira (31), na Ilha de Cajaíba, em São Francisco do Conde, as questões socioambientais para viabilização da implantação de um resort no local. O empreendimento contará com um aporte de R$ 1,2 bilhão, divididos em quatro etapas, e prevê a abertura de 2,3 mil postos de trabalho durante a construção e outros 2,5 mil, quando o projeto estiver em pleno funcionamento.

Durante a visita técnica ficou acordado que a Fundação Palmares enviará técnicos para ouvir os pleitos das comunidades quilombolas que estão presentes na região e colher informações para elaboração de um plano sustentável para funcionamento do empreendimento. O presidente da entidade, Zulu Araújo, afirmou que a equipe iniciará os trabalhos ainda nesta semana.

Os representantes das outras esferas, como Secretaria de Turismo do Estado, IMA e o grupo empreendedor comprometeram-se em enviar relatórios com informações técnicas que servirão como base para formatação de um documento a ser produzido pela fundação. A partir desse parecer, o IMA levará o processo de licenciamento ambiental para ser submetido ao Conselho Estadual de Meio Ambiente.

O diretor da Property Logic no Brasil, Dick Blom, acredita que o encontro promovido foi proveitoso e que, a partir de agora, haverá mais celeridade no processo de licenciamento ambiental. Ele afirmou que já há bandeiras hoteleiras estrangeiras interessadas no projeto, que dependem apenas do sinal verde das autoridades ligadas ao meio ambiente.

A principal preocupação – comum entre os gestores públicos e integrantes da iniciativa privada – concentra-se no desenvolvimento econômico e preservação cultural e ambiental na região.

O secretário de Turismo, Domingos Leonelli, defende a implantação de empreendimentos que funcionem de forma articulada com a economia dos entornos, gerando riquezas para as comunidades locais. Ele destacou que uma das formas de associar os grandes hotéis e resorts à população se dá por meio da qualificação profissional. “Por isso, somente em São Francisco do Conde, vamos iniciar a capacitação de 360 pessoas. Destas vagas, 20% serão destinadas a trabalhadores que estão fora do mercado de trabalho”.

Leonelli ressaltou ainda a formatação de um plano estratégico para desenvolvimento do turismo náutico na Baía de Todos-os-Santos e a formatação de um roteiro cultural na região do Recôncavo Baiano.

O assessor técnico da Setur, Reinaldo Dantas, lembrou da importância da formação de empreendedores locais para atender às demandas de novos negócios que o turismo gera. “O ideal seria que as atividades profissionais fossem desempenhadas pelos moradores da região”, avalia Dantas.

A diretora-geral do IMA, Beth Wagner, afirmou que a Baía de Todos-os-Santos tem despertado interesse de grupos para a implantação de estaleiros, projetos de aquicultura e turismo e que este último é um dos setores mais ambientalmente sustentáveis que há. “Nesta região existem aspectos que consideramos fundamentais, como a preservação dos manguezais e do patrimônio paisagístico”, observa.

Desenvolvimento local – Das quatro ilhas que compõem o arquipélago, duas serão cedidas pela Property Logic aos moradores locais para a exploração de frutos, como o cajá, que são cultivados no local. “Num primeiro momento, vamos viabilizar assistência técnica para melhoramento genético das plantas, assim como apoio logístico para a construção de um pequeno cais e, no futuro, pretendemos construir uma pequena fábrica de polpas de frutas, que vai possibilitar a comercialização de um produto com muito mais valor agregado”, contou Dick Blom.

Quando estiver totalmente pronto, o Resort Ilha de Cajaíba terá 1,5 mil apartamentos para hospedagem e cerca de 700 imóveis residenciais.

Fonte: Secretaria de Turismo da Bahia

  
  

Publicado por em