Classificação de flats em discussão no Espírito Santo

A participação no processo é voluntária e sempre realizada de forma participativa, aberta e transparente.

  
  

O encontro de formatação do novo Sistema de Classificação de Meios de Hospedagem no Brasil iniciou nesta semana no Espírito Santo sua penúltima etapa.

Com a finalidade de lapidar o conceito de Flat, o encontro acontece dias 3 e 4 de maio usufruindo da estrutura do Hostess Hotel, localizado em Vila Velha - o mais populoso município capixaba - distante cerca de 5 Km da capital do Estado, Vitória.

Promovido pelo Ministério do Turismo (MTur), em parceria com o Inmetro e a Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM), o evento propõe a elaboração de oito matrizes de classificação, divididas em diferentes modalidades de meios de hospedagem.

São elas: hotéis urbanos, resorts, hotéis fazenda, cama & café, hotéis históricos, pousadas, flats e hotéis de selva/floresta. A primeira oficina foi realizada em Porto Alegre/RS, em fevereiro, debatendo os hotéis urbanos e a última acontece em Manaus, dias 6 e 7/5, para hotéis de selva/floresta.

O evento capixaba reuniu autoridades e representantes do setor visando discutir critérios de padronização e sistematização para a futura classificação brasileira de flats. A participação no processo é voluntária e sempre realizada de forma participativa, aberta e transparente.

De acordo com o Diretor do Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico do MTur, Ricardo Moesch, a matriz de flats deve ser bem entendida pelo mercado e pelo trade, “retomando a concepção original do conceito de flat”. Segundo Moesch “ao iniciar o desafio, nossa intenção é unificar compreensão e padronização do mercado”.

A dinâmica da construção das Novas Matrizes tem fundamentação técnica, sendo o conceito de classificação, acima de tudo, um instrumento de comunicação do turista com o mercado.

O diretor da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Espírito Santo (ABIH-ES), Luiz Fantin, saudou a iniciativa do governo e manifestou disposição do setor em ajudar.

Para Fantin, a nova classificação “vai beneficiar o mercado do turismo brasileiro”. A simbologia de categorização proposta é o critério já utilizado internacionalmente através de estrelas.

O presidente do Espírito Santo Convention & Visitors Bureau, Maely Coelho, parabenizou a iniciativa do Ministério do Turismo em resgatar a classificação. “É para o bem da hotelaria nacional”, destacou.

Vale lembrar a importância da participação, mesmo à distância. As matrizes resultantes das oficinas são submetidas a um período de consulta pública no site www.turismo.gov.br .

Os interessados podem enviar sugestões e contribuições conforme tabela disponibilizada para o endereço eletrônico classificacao@turismo.gov.br.

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em