Mato Grosso tem demanda para novos resorts

É o único estado brasileiro composto por três biomas: Pantanal, Cerrado e Amazônia.

  
  

Mesmo em tempos de crise, o Mato Grosso se mantém como um gerador de oportunidades a serem exploradas pelos investidores turísticos-imobiliários. Estudo da Caio Calfat Real Estate Consulting aponta que no estado há demanda reprimida para resorts e espaços de eventos que atendam ao segmento do agronegócio, de grande participação na balança comercial brasileira.

Mesmo com retração de 11,7% das exportações em 2015, o Mato Grosso registrou um superávit externo de US$ 11,73 bilhões, o segundo maior saldo do país, tendo sido superado apenas por Minas Gerais. As produções de soja, milho, algodão e carne foram as que mais contribuíram para esse resultado, de acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Sustentado principalmente pelo agronegócio, o Mato Grosso está entre os seis estados brasileiros que possuem mais de 30% de seus municípios com PIB per capita superior ao nacional, segundo o IBGE. Toda esta riqueza tem gerado no estado uma demanda consistente por reuniões, feiras e congressos.

O levantamento da Caio Calfat aponta que 80% das principais empresas realizadoras de eventos na região de Cuiabá e Chapada dos Guimarães relatam dificuldades em encontrar disponibilidade nos espaços em operação nos períodos de grandes congressos. O mesmo estudo revela que 50% das empresas registram um aumento na demanda por eventos.

Potencial natural

O Mato Grosso é o único estado brasileiro composto por três biomas: Pantanal, Cerrado e Amazônia. Também possui uma das mais importantes represas do Centro-Oeste, a do Lago Manso, formado pelo represamento do Rio Cuiabá e com 427 km² de área. Para Caio Calfat, diretor da consultoria, a região explora pouco este potencial natural, seja por meio de resorts e pousadas, empreendimentos de segunda residência ou como atrativo extra para eventos de negócios.

Um dos lançamentos para 2016 que aposta neste nicho de mercado é o complexo de lazer Malai Manso Resort, cujo estudo mercadológico e de viabilidade econômico-financeira foi realizado pela Caio Calfat Real Estate Consulting. Com 260 unidades habitacionais, o empreendimento reunirá diversos atrativos como um resort, residências, um moderno centro de convenções para 500 pessoas, campo de golfe, 2,8 mil m² de piscinas, áreas gastronômicas e um centro náutico às margens do Lago Manso.

“O Malai Manso terá estrutura para se tornar um dos melhores resort-convenções do país, e será o responsável por inserir o estado mato-grossense no mapa turístico brasileiro para este tipo de empreendimento, como opção a hotéis congêneres no Estado de São Paulo, no litoral nordestino e em alguns destinos centrais como Foz do Iguaçu e Rio Quente”, comenta Calfat.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: Eduardo Merli

  
  

Publicado por em