Ministério do Turismo - Lula deve oficializar convite para Marta

Presidente se encontra com ex-prefeita nesta segunda. Marta entrará no lugar de Mares Guia, que vai para articulação. Agência Estado Depois de dar um chá de cadeira no PT, o presidente Luiz Inácio Lula da Si

  
  

Presidente se encontra com ex-prefeita nesta segunda.
Marta entrará no lugar de Mares Guia, que vai para articulação.

Agência Estado

Depois de dar um chá de cadeira no PT, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convidará nesta segunda (19) a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT) para ser ministra do Turismo. Marta entrará no lugar de Walfrido Mares Guia, do PTB, escolhido como o novo coordenador político do governo. O PT tentou “turbinar” a pasta do Turismo com mais cargos, verbas e poder, mas não conseguiu.

Lula decidiu criar uma Secretaria de Portos, que deverá ser entregue ao ex-titular da Integração Nacional Pedro Brito, do PSB. A nova secretaria, no entanto, não abrigará os aeroportos nem ficará vinculada ao ministério a ser comandado por Marta, como queriam os petistas. A idéia é manter a pasta sob a alçada da própria Presidência. Na prática, a secretaria será criada para compensar o PSB, que perdeu a Integração para Geddel Vieira Lima (PMDB).

Embora seu grupo tenha trabalhado para conquistar um espaço mais nobre na Esplanada - como Cidades ou Educação -, Marta disse, em conversas reservadas, que é o ministro quem faz a pasta.

Aos petistas que lhe aconselharam a não aceitar o Turismo “desidratado”, a ex-prefeita deu de ombros. “Em toda a minha vida eu sempre aceitei desafios arriscados e deram bastante certo”, respondeu ela, de acordo com interlocutores do PT.

“É claro que, com a Marta, o Ministério do Turismo terá visibilidade. Ela é o que o Gilberto Gil foi no primeiro mandato do Lula: a cara do Brasil”, afirmou o deputado Jilmar Tatto (SP), “martista” de carteirinha e um dos vice-presidentes do PT.

Apesar de Lula ter afirmado que, no segundo mandato, não queria ver ministros saindo do governo para disputar eleições, nada garante que Marta não concorrerá novamente à prefeitura, em 2008. “O plano dela é ficar quatro anos no governo, mas agora não é o momento de decidir nada. A política não é assim”, argumentou Tatto.

No horizonte da ex-prefeita está a sucessão de Lula, em 2010: ela quer ser a candidata do PT ao Planalto.

Com a entrada de Marta, o PT ficará quase do mesmo tamanho no governo: tinha 16 e ficará com 15 dos 34 ministérios. Os petistas já perderam Relações Institucionais com a saída de Tarso Genro - que foi para a Justiça - e Agricultura, que ficará com o PMDB. Perderão também a Previdência, que deverá ser comandada pelo presidente do PDT, Carlos Lupi.

O poder petista na Esplanada continua alimentando queixas do PSB, apesar de o partido ter a promessa de ganhar a nova Secretaria dos Portos. “Se o governo estivesse realmente disposto a enfrentar os gargalos do comércio exterior, não separaria portos de aeroportos”, criticou o vice-líder do governo na Câmara, Beto Albuquerque (PSB-RS), preterido para o cargo.

Até agora, Lula não encontrou um substituto para o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, que pediu para sair. No Desenvolvimento Agrário, Lula tanto pode optar pela manutenção do petista Guilherme Cassel como acolher a indicação da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que quer Manoel José dos Santos.

_____
Fonte: Portal G1

  
  

Publicado por em