Monumenta lança inventário do Patrimônio Cultural Potiguar

O Programa Monumenta, em parceria com a Fundação José Augusto e com o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, organizou o inventário do patrimônio cultural da região por meio do projeto Patrimônio

  
  

O Programa Monumenta, em parceria com a Fundação José Augusto e com o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, organizou o inventário do patrimônio cultural da região por meio do projeto Patrimônio Cultural Potiguar em Seis Tempos. O projeto teve como objetivo realizar catalogação, cadastramento, fotografias, descrição técnica e publicação, inclusive em novas mídias, do patrimônio cultural do estado do Rio Grande do Norte.

A solenidade de lançamento de todo o material produzido aconteceu na terça-feira, 9 de janeiro de 2007, na Fundação José Augusto, no Bairro Tirol, em Natal (RN). O inventário, constituído de cerca de quatro mil bens, foi dividido nas seis categorias: arquitetônico, museológico, arte sacra, bens móveis e integrados, artes visuais e patrimônio imaterial. Esse banco de dados será ofertado para universidades, instituições de pesquisa, o Ministério Público e pesquisadores em geral, além de ser disponibilizado pela internet, no site www.fja.rn.gov.br

O turista também será beneficiado pelo projeto, pois foram produzidas cartilhas, folhetos e outras mídias, com mapas e informações sobre o patrimônio cultural potiguar. Em sete locais de grande movimentação como o Forte dos Reis Magos, a Pinacoteca do Estado e os shoppings da cidade serão instalados totens com mapas que irão indicar onde está cada um dos itens catalogados e sua importância para o patrimônio do Estado.

Imaterial:

Imaterial, mas não incontável. É assim o patrimônio cultural que vem sendo avaliado e listado por integrantes do projeto Rede Imaterial, uma vertente do projeto Patrimônio Cultural Potiguar em Seis Tempos. De acordo com o coordenador do inventário do patrimônio imaterial, Helder Macedo, o processo foi desenvolvido com base em bibliografia local e de uma rede que foi formada a partir da internet. Vários historiadores se cadastravam no site da Fundação e mandavam seus conhecimentos através de uma ficha, esse material seria analisado pela equipe de Helder, que contava com três estagiários.

A Unicef cedeu um material que foi catalogado em cada município do Rio Grande do Norte com todas as manifestações culturais locais. Cerca de 600 manifestações foram encontradas, mas a maior parte com informações incompletas, e ao todo, deverão fazer parte do inventário cerca de cem manifestações.

Depois de três meses dessa primeira fase, a equipe passou para a catalogação do que foi encontrado. Além do banco de dados virtual que estará disponível em breve na grande rede, as cartilhas que deverão sair até o final do ano serão bilíngües (português e inglês) e estão na fase de diagramação. Várias fotos de danças e comidas típicas e várias manifestações imateriais ilustrarão os panfletos.

"É difícil fazer um trabalho desse porque demanda tempo e muitas pessoas que querem ajudar não tem a devida noção do que é o patrimônio imaterial de um lugar, mas estamos na fase de colher os frutos e em breve teremos uma noção real de tudo que temos em nosso estado", afirmou Helder.

Ele explica que a nossa constituição define que patrimônio imaterial são os saberes e ofícios populares, lugares de sociabilidade, festas e celebrações e formas de expressão. "Outro ponto importante é que as pessoas precisam entender que cultura não é o tradicional, o novo também é cultura. O shopping, por exemplo, é um lugar de sociabilidade novo que é também parte do patrimônio imaterial", defende.

Programa Monumenta :

O Monumenta é um programa estratégico do Ministério da Cultura. Seu conceito é inovador e procura conjugar recuperação e preservação do patrimônio histórico com desenvolvimento econômico e social. Ele atua em cidades históricas protegidas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN. Sua proposta é de agir de forma integrada em cada um desses locais, promovendo obras de restauração e recuperação dos bens tombados e edificações localizadas nas Áreas de Projeto. Além de atividades de capacitação de mão-de-obra especializada em restauro, formação de agentes locais de cultura e turismo, promoção de atividades econômicas e programas educativos.

O Monumenta, que conta com financiamento do BID e o apoio da Unesco, procura garantir condições de sustentabilidade do Patrimônio com a geração de recursos que alimentam o Fundo de Preservação para o equilíbrio financeiro das atividades desenvolvidas e que mantenham conservados os imóveis da Área do Projeto.

Fonte: Programa Monumenta

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

http://www.maxpressnet.com.br/imagens/clear_pixel.gif

http://www.maxpressnet.com.br/imagens/clear_pixel.gif

  
  

Publicado por em

Samara

Samara

22/09/2008 20:04:36
todos os patrimonios tem que ser zelados pelo estado e pela cidades temosque zelar o que e nosso tem muitas pessoas que nao sabe o que e isso zelar ta lindos essas cultura do nosso rn obg pela atencao samara lima