Parceria cria o Carnaval empreendedor em São Paulo

Em ritmo de muita alegria e carnaval, foi lançado em São Paulo o Circuito Samba Sampa, projeto realizado em parceria pelo Sebrae estadual, São Paulo Turismo (SPTuris) e o Grupo de Desenvolvimento do Turismo Receptivo das Escolas de Sa

  
  

Em ritmo de muita alegria e carnaval, foi lançado em São Paulo o Circuito Samba Sampa, projeto realizado em parceria pelo Sebrae estadual, São Paulo Turismo (SPTuris) e o Grupo de Desenvolvimento do Turismo Receptivo das Escolas de Samba da Zona Norte, o G5, que tem como objetivo criar um roteiro turístico que leve visitantes brasileiros e estrangeiros às quadras das escolas durante todo o ano, e não somente durante o mês de fevereiro.

"Esse momento reflete a maturidade e o grau de profissionalismo em que se encontram as escolas de samba em São Paulo. Hoje o carnaval da cidade faz parte de uma indústria que é grande geradora de emprego, renda e ações sociais. Com o G5 e o roteiro do Samba Sampa, conseguimos que outros setores se envolvam no projeto do carnaval durante o ano inteiro, como as escolas já fazem", destacou Alexandre Marcelino Ferreira, presidente da Liga das Escolas de Samba de São Paulo, durante o lançamento do projeto.

Dentro do Circuito Samba Sampa, três produtos já estão prontos: Show de Carnaval (contratação das escolas para apresentação em eventos), Caia na Folia (visita às quadras das escolas em dias de ensaio) e Escolha o Nosso Samba Enredo (visita às quadras das escolas em dias de escolha do Samba Enredo).

"O carnaval faz parte da nossa cultura. Em qualquer cidade do País, as pessoas sabem como aproveitar os quatro dias desse evento e têm lembranças dele. Esse projeto então, é muito importante para o revigoramento dessa cultura", avaliou o diretor superintendente do Sebrae em São Paulo, José Luiz Ricca.

Integram o Circuito as escolas Unidos de Vila Maria, Unidos do Peruche, Mocidade Alegre, Rosas de Ouro e X-9 Paulistana, participantes do G5, grupo criado em 2003 com objetivo de criar alternativas empreendedoras de geração de renda nos barracões das escolas de samba.

Além das capacitações em gestão empresarial e das rodadas de negócios para aquisição de matéria-prima para a confecção de alegorias, iniciou-se um trabalho de criação de um circuito turístico. No piloto realizado no começo deste ano, o G5 recebeu mais de 500 visitantes em 40 dias.

"As quadras das escolas de samba são produtos turísticos da cidade, e devem ser consideradas casas de espetáculo, casas de eventos", destacou Luiz Salles, assessor especial da Presidência da SPTuris, que anunciou ainda o lançamento de um folheto direcionado a agentes de turismo com informações sobre o G5, a história das escolas e informações sobre o Circuito Samba Sampa.

"Esperamos que as outras escolas se conscientizem do trabalho que está sendo desenvolvido, se organizem e procurem o Sebrae em São Paulo para aproveitar este conhecimento que está sendo passado para os integrantes do G5", completou Salles.

Fonte: Sebrae

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em