Parceria público-privada é marca do desenvolvimento do turismo

O comprometimento entre o poder público e a iniciativa privada no desenvolvimento do Turismo de Eventos Culturais por meio da gestão participativa e da administração profissional marcou os participantes da viagem à Espanha pelo

  
  

O comprometimento entre o poder público e a iniciativa privada no desenvolvimento do Turismo de Eventos Culturais por meio da gestão participativa e da administração profissional marcou os participantes da viagem à Espanha pelo projeto Excelência

em Turismo – Aprendendo

'

com as Melhores Experiências Internacionais



.

Na na última viagem técnica de 2006, focada especificamente

no segmento

, os participantes visitaram as cidades de Valencia, Zaragoza e Barcelona entre os dias 16 e 24 de outubro.

As mudanças ocorridas nestas cidades para criação de novos equipamentos decisivos ao desenvolvimento da atividade turística e empresarial ilustraram algumas das melhores práticas observadas pelo grupo.

Na cidade de Barcelona, a mudança da zona industrial instalada no litoral para o interior e a adequação da cidade para sediar as Olimpíadas, deixaram como legado as obras e benfeitorias realizadas.

Vitor Cid, representante da Embratur no grupo, destaca a articulação entre o poder público e a iniciativa privada para a promoção dos eventos culturais e esportivos nas cidades visitadas.

“Dessa forma, eles conseguem trabalhar os grandes eventos de uma maneira muito mais eficiente”, afirma. Vitor cita alguns exemplos, como a organização e promoção da Expo2008, que acontecerá em Zaragoza, e

a 32ª Americas Cup,

em Valencia.

“Nestes

casos, a interação entre o público e o privado permite o

investimento conjunto nos equipamentos, que depois acabam se incorporando à infra-estrutura das cidades”, relata.

O investimento nos equipamentos locais e o conseqüente legado à infra-estrutura das localidades também é ressaltado pela consultora técnica da viagem, Vaniza Schüller.

“Nas cidades espanholas, percebemos a estratégia de captação de eventos como forma de melhorar a infra-estrutura urbana e o posicionamento de imagem da cidade”, afirma.

Além dos exemplos de eventos já citados por Vitor Cid, ela lembra também das Olimpíadas de Barcelona, realizadas em 1992.

Geração de negócios para o turismo:

O empresário Marcus Paixão Pavani, da Andarilhos da Luz, de Belo Horizonte (MG), ressaltou a iniciativa do Futebol Clube Barcelona, que tem na utilização da marca seu ponto forte. “O clube dá visibilidade e aposta na utilização da marca, aproveita este potencial”, afirma.

“O FCB não é só um time”, conta. “Transformam o futebol em um negócio, com diversos produtos agregados, inclusive turísticos, que geram receita para o clube”.

Para ele, o importante é a visão de negócio, o planejamento de investimento focado e a elaboração de estratégias. “Aqui no Brasil, ainda falta desenvolver melhor este lado”, afirma.

“Se usarmos a visão de negócio do gestor espanhol mesclada ao bom atendimento que temos aqui no Brasil, sairemos na frente”, completa.

O empresário Marcelo Miranda, da MM Produções Estrutura de Eventos, de Porto Seguro (BA), voltou com planos de implantação das boas práticas observadas.

“Pretendo difundir junto aos meus clientes a idéia da realização de eventos em lugares até então inusitados para nós, espaços antes utilizados com uma única finalidade”, conta.

“Observei o crescimento desta tendência em museus, estádios de futebol e circuitos automobilísticos

,

com a realização de eventos múltiplos em suas dependências”, diz.

O projeto:

O Excelência em Turismo é uma parceria entre o Ministério do Turismo, por meio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e da Braztoa (Associação Brasileira das

Operadoras de Turismo), responsável pela execução do projeto.

O grupo que viajou à Espanha teve nove representantes de agências de receptivo local, meios de hospedagem e empresas de eventos, de sete Estados brasileiros (MG, RS, BA, SP, SC, MA e MS), além dos seis integrantes da equipe técnica, formada por consultores e especialistas do Sebrae, da Embratur e do Ministério do Turismo.

Desde 2005, quando o projeto foi criado, já foram realizadas outras nove viagens internacionais para estudo das melhores práticas no turismo, que passaram, em 2005, pela Costa Rica (ecoturismo), Peru (ecoturismo e turismo cultural), México (mergulho), Nova Zelândia (aventura), Espanha (histórico e cultural) e Argentina (pesca esportiva), e em 2006 na África do Sul

(ecoturismo e aventura), Caribe (sol e praia), e Estados Unidos (eventos e entretenimento).


Destino Espanha:

A Espanha é o segundo país do mundo que mais recebe turistas estrangeiros, mostram os dados da Organização Mundial de Turismo, ficando atrás somente da França, e tem uma cota de 7% do turismo mundial, à frente dos Estados Unidos e Itália.

A Espanha recebeu um total de 52,5 milhões de turistas estrangeiros de janeiro a outubro de 2005, apresentando um crescimento anual de 6,2%.

Segundo as previsões da Organização Mundial de Turismo, haverá um crescimento médio de 5% ao ano do turismo de estrangeiros na Espanha.

A projeção é para os próximos 20 anos, fazendo com que o País venha a receber 75 milhões de turistas no ano 2020, quase 20 milhões a mais do que os recebidos em 2005.

Segundo a ICCA – Associação Internacional de Congressos e Convenções, a Espanha atualmente é o terceiro país no ranking que recebe o maior número de eventos anualmente, com 275 ocorrências.

Fonte: MVL Comunicação

Del Valle Editoria
Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em