Pernambuco perde competitividade

A falta de planejamento direcionado ao turismo fez com que Pernambuco perdesse competitividade entre os Estados nordestinos nos últimos anos. A avaliação foi feita, ontem, durante audiência pública realizada pela Comiss&a

  
  

A falta de planejamento direcionado ao turismo fez com que Pernambuco perdesse competitividade entre os Estados nordestinos nos últimos anos. A avaliação foi feita, ontem, durante audiência pública realizada pela Comissão de Desenvolvimento Econômico da Casa para debater o Plano Estratégico do Turismo, a pedido do deputado Alberto Feitosa (PR). "O turismo é fonte de emprego e oportunidades em todo o mundo e não podemos deixar de trazer o debate para o Parlamento", comentou, demonstrando otimismo com o futuro do setor.

O evento reuniu representantes do trade, como o secretário estadual de Turismo, José Chaves; o presidente da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), Alan Aguiar; o gerente regional de comunicação da Infraero, Jorge Tadeu; o representante da Secretaria de Turismo do Recife, Flávio Domingos; o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/PE), José Otávio; e os secretários municipais de Caruaru, Isabel Santos; Olinda, Márcia Souto, e de Ipojuca, Fernando Jordão. O presidente do colegiado, deputado Romário Dias (DEM), chamou a atenção para os números do Estado, que, apesar de ter recebido investimentos em infra-estrutura, como a duplicação da BR-232 e a reforma e ampliação do Aeroporto dos Guararapes, não conseguiu atrair mais visitantes. "Mesmo com todo o nosso potencial, estamos estagnados, perdendo espaço para outros lugares", frisou.

José Chaves apresentou as metas para incrementar o setor e lamentou que Pernambuco seja um dos últimos Estados do Nordeste a implantar uma Secretaria específica para o segmento. "Há mais de 20 anos a Bahia já tinha o turismo como prioridade", afirmou, informando que a Secretaria já dispõe de US$ 125 milhões do Programa de Desenvolvimento do Turismo do Nordeste (Prodetur 2), que serão aplicados até 2009. De acordo com Chaves, o plano estadual tem três eixos básicos: melhorar a infra-estrutura, atrair investimentos de grupos estrangeiros e profissionalizar o setor. "Nosso planejamento é para até 2020", disse.

Edson Vieira (PSDC), Isaltino Nascimento (PT) e Esmeraldo Santos (PR) também se pronunciaram. Vieira ressaltou o Pólo de Confecções no Agreste, que movimenta o turismo de negócios na região. "Infelizmente, o turismo nunca foi colocado como prioridade", observou Nascimento. Santos elogiou a iniciativa de Alberto Feitosa e comentou os atrativos da cidade de São Caetano.

Fonte: Fisepe

  
  

Publicado por em