Programa Calçadas Permeáveis muda a aparência de ruas e avenidas de São Paulo

Obras trocam o concreto de canteiros e calçadas por grama e árvores. Além de mudar o visual da via, como o próprio nome define, a nova calçada é permeável, o que facilita a absorção e o escoam

  
  

Obras trocam o concreto de canteiros e calçadas por grama e árvores. Além de mudar o visual da via, como o próprio nome define, a nova calçada é permeável, o que facilita a absorção e o escoamento das águas da chuva. O projeto, testado na Freguesia do Ó, será implantado em toda a Cidade.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, em parceria com as Subprefeituras, está implantando na Cidade o programa Calçadas Permeáveis. A primeira delas foi implantada na região da Subprefeitura da Freguesia do Ó/Brasilândia. O projeto transformou o canteiro central da avenida Padre Orlando Garcia da Silveira.

"O local era um ponto viciado de entulho e causava muitos transtornos para os moradores", conta o subprefeito da Freguesia/Brasilândia. Agora a avenida está diferente. "Antes aqui era muito lixo e entulho e agora está ficando maravilhosa. Tomara que cada um cuide do seu lixo e pare de jogar entulho nesse local", comenta, esperançosa, a dona de casa Maria José dos Santos, que mora há 33 anos na Brasilândia.

A nova Calçada Permeável deu cara nova à avenida Padre Orlando Garcia da Silveira. A obra trocou o antigo concreto do canteiro central da avenida por grama e árvores. Além de mudar o visual da via, como o próprio nome define, a nova calçada é permeável, o que facilita a absorção e o escoamento das águas da chuva. O projeto será implantado em toda a Cidade de São Paulo.

"Agora contamos com o apoio da comunidade para manter o local sem lixo ou entulho", destaca o subprefeito. Naquilo que depender dos moradores, o projeto vai dar certo. "Nessa parte sempre teve muito lixo e agora nossa avenida está muito bonita com essa área arborizada. É sempre bom ter uma área verde assim", diz Paulo César Lelles, morador da região. O comerciante Marcelo Correia concorda: "Antes era horrível. Ficava muito lixo espalhado e as pessoas não respeitavam o lugar. Estou muito satisfeito e acho que vai ficar maravilhoso. Agora, a Subprefeitura está de parabéns".

Um dos problemas da região é a grande quantidade de entulho jogada irregularmente em vias públicas. Para o descarte de restos de materiais de construção e outros resíduos a Subprefeitura Freguesia/Brasilândia tem o Ecoponto Bandeirantes, que recebe gratuitamente o entulho.

O objetivo do projeto Calçadas Permeáveis é favorecer o aumento da capacidade de absorção de água pelo solo, além de tornar as calçadas livres de entulho, contribuindo para uma Cidade mais verde. O projeto piloto recebeu propostas de intervenção em áreas específicas, encaminhadas pelas Subprefeituras. A Secretaria analisa as propostas recebidas e promove o repasse de recursos para que a Subprefeitura faça a implantação. A dotação inicialmente reservada para o projeto é de R$ 400 mil.

Entre os projetos em andamento está a implantação de faixa e cobertura permeável na região da Freguesia do Ó, na avenida Padre Orlando Garcia da Silveira, e também na Capela do Socorro, na avenida Robert Kennedy e na rua Gomes Pedrosa.

Os parques Vila Guilherme, São Domingos, Santa Amélia, Raul Seixas, Piqueri e Guarapiranga também estão instalando calçadas permeáveis.

Programa de arborização recebe reforço

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente selecionou propostas de sete entidades para desenvolver ações que possam atrair a participação das comunidades no plantio de árvores. O objetivo é melhorar o índice de preservação das árvores plantadas pelo Programa de Arborização Urbana, em especial no caso de vegetação plantada em calçadas públicas.

O total de mudas de árvores plantadas pelo programa de janeiro a julho de 2007 foi de 43.618, sendo o maior plantio realizado ao longo da Marginal Tietê - cerca de 19.917. O principal objetivo, nesse caso, é transformar a avenida em um corredor verde, no qual canteiros centrais e entrevias (expressa e local) serão posteriormente arborizados. Em 2006, a Prefeitura promoveu um plantio recorde de mais de 160 mil árvores.

Os critérios de escolha das entidades levaram em conta faixa etária dos moradores, inserção da região no ranking de exclusão social e carência de cobertura vegetal. Foram selecionadas as entidades Associação Beneficente Grupo Vitória; Instituto de Desenvolvimento Educação, Análise e Legislação (Ideal); Instituto Pró Cidades Saudáveis; Coleta Seletiva Pedra sobre Pedra; Ação Social Projeto Brasil Cara Limpa; Centro Social Santo Dias; e Instituto de Tecnologia Social.

fonte: Portal da Prefeitura de São Paulo

  
  

Publicado por em