As expectativas da ABETA para 2007

No início de cada ano, chega o momento de avaliarmos o período que passou. Refletir sobre as conquistas, as realizações, as derrotas e os erros cometidos. É um momento especial para pensar, planejar o futuro com base nas

  
  

No início de cada ano, chega o momento de avaliarmos o período que passou. Refletir sobre as conquistas, as realizações, as derrotas e os erros cometidos. É um momento especial para pensar, planejar o futuro com base nas experiências e vivências passadas.

Para a ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura), podemos considerar que completamos um primeiro ciclo de vida. Nascemos e agora estamos aprendendo a andar. O futuro é desafiador, repleto de oportunidades e potencialidades, mas também de ameaças. Vale a pena olhar para trás, para entender como chegamos até aqui, para então olhar o futuro.

Em maio de 2003, um grupo de empresários começou um movimento de discussão dos problemas da operação de turismo de aventura no Brasil. Promoveu-se uma lista de discussão na internet. O movimento chamou a atenção do Ministério do Turismo – MTur, que em 2004 iniciou um projeto que visava organizar o Turismo de Aventura através de normas técnicas. Com o projeto, a ABETA foi estimulada a se organizar.

Em agosto de 2004, a Associação foi formalizada. A primeira diretoria foi eleita e a organização fez com que a ABETA ocupasse espaço de destaque nas iniciativas de organização e desenvolvimento do turismo no Brasil. No final de 2004, a ABETA entrou para o Conselho Nacional de Turismo – CNT. Em seguida, assumiu papel de coordenador do Grupo de Trabalho de Turismo de Aventura no INMETRO. A diretoria e associados atuaram com decisão no processo de normalização. A ABETA articulou relações institucionais com MTur, Sebrae Nacional, Ministério do Meio Ambiente, Embratur, Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT, INMETRO e Instituto de Hospitalidade. Em dezembro de 2005, foi firmado o convênio com o MTur. Com o convênio, a ABETA ganhou capacidade de realização, com um projeto ousado e inovador. Iniciaram-se as ações em 10 pólos de turismo de aventura no país que envolvem fortalecer o associativismo, qualificação e GVBS.

Em 2006, a ABETA formou uma equipe executiva, iniciou a construção de uma relação mais forte com os associados, realizou um diagnóstico do Turismo de Aventura e está dando os primeiros passos no planejamento estratégico. Em agosto de 2006, uma nova diretoria foi eleita, garantindo a continuidade e renovação para os objetivos da Associação. Em dezembro de 2006, a poucos dias do final do ano, conseguimos firmar um convênio com o Sebrae Nacional que irá até dezembro de 2008.

O saldo de conquistas e realizações é positivo. O futuro é desafiador. Os focos para 2007/2008 são:

- Ampliar a base de associados;

- Agregar valor aos serviços que a ABETA deve prestar aos associados;

- Construir uma base associativa coesa e articulada em todo o país;

- Implementar ações que melhorem os negócios das empresas associadas à ABETA, tendo como um dos caminhos o Programa Aventura Segura;

- Iniciar uma agenda de ações ambientais, de promoção e comercialização para o turismo de aventura e ecoturismo;

A ABETA neste período de maio/2003 a dezembro/2006 evoluiu muito. É preciso agradecer aos associados e a todos os empresários que transformaram desejos e necessidades em realidade. Nós somos hoje motores de transformação do segmento. Estamos agindo pró-ativamente no objetivo de criar condições para que as empresas de turismo de aventura, natureza e ecoturismo sejam saudáveis, fortes e competitivas. Devemos isto aos empresários associados à ABETA que acreditaram nos ideais de desenvolvimento e organização desde o início.

O caminho é longo. É necessário que tenhamos uma clara visão do futuro, persistência, paciência, otimismo e força. Nós acreditamos firmemente no sucesso das nossas iniciativas. Contamos com o compromisso de nossos associados e de dos nossos colaboradores.

________

Fonte: Informativo ABETA No. 11

  
  

Publicado por em