Foz de Iguaçu investe em qualificação

Investimentos em profissionalização rendem prêmio de Melhores Práticas do MTur e garantem o bom atendimento no setor que movimenta economia da cidade

  
  
Vista das Cataratas do Iguaçu

Só mesmo uma região de tríplice fronteira para abrigar 80 nacionalidades diferentes vivendo em harmonia com as belezas da Mata Atlântica. Foz do Iguaçu (PR) é o lado brasileiro do encontro entre Brasil, Argentina e Paraguai, que é presenteado com mais as mais de 270 quedas d’água, entre 40 e 90 metros, das cataratas do Iguaçu.

Apesar de ter as cataratas como principal atrativo turístico, a Usina binacional de Itaipu, a Ponte da Amizade e o Parque das Aves, também movimentam o segmento na cidade. Somente em 2010, foram mais de três milhões de visitantes.

Os turistas podem usufruir de opções de ecoturismo, com direito a esportes radicais como tirolesa, rapel e rafting no rio Iguaçu; e da rede hoteleira. Outro atrativo são os serviços qualificados, com profissionais que falam de dois a três idiomas. Um nível de atendimento que começou a ser formado na década de 1990 e, em 2010, recebeu a premiação Melhores Práticas do MTur na categoria Capacidade Empresarial.

O município investe em qualificação. Atualmente, a cidade conta com o apoio do Ministério do Turismo na preparação dos profissionais de turismo para a realização da Copa 2014 e Olimpíadas 2016, com programas como o “Bem Receber Copa”.

Segundo a diretora de Desenvolvimento do Turismo de Foz do Iguaçu, Rosa Maria Corbari Maccali, a cidade tem um levantamento das principais carências de profissionais no turismo. O resultado vai orientar a Secretaria Municipal na oferta de novas qualificações. A proposta é fazer com que as ações sejam permanentes.

Melhores Práticas
Por meio da I Chamada para a Premiação das Melhores Práticas dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional, o MTur premiou 27 experiências consideradas modelos para o desenvolvimento do turismo no país.

Segundo a coordenadora-geral de Regionalização do MTur, Ana Clévia Guerreiro, a premiação visa estimular os 65 destinos a cumprirem efetivamente o papel de induzir o desenvolvimento da atividade turística em suas regiões. “O objetivo é que as práticas bem sucedidas sejam multiplicadas por outros destinos turísticos brasileiros”, ressalta Guerreiro.

Os 240 projetos recebidos foram avaliados e selecionados conforme as 13 dimensões do Índice de Competitividade 2010: infraestrutura geral, acesso, serviços, equipamentos e atrativos turísticos, marketing e promoção e aspectos ambientais, sociais e culturais. As experiências premiadas foram divididas e analisadas entre capitais e não-capitais.

Além do MTur, participaram das bancas avaliadoras os ministérios da Cultura; da Integração; das Cidades; do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; e do Meio Ambiente. E, ainda, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, a Fundação Getulio Vargas, o Instituto de Assessoria para Desenvolvimento Humano, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Instituto Marca Brasil e o Serviço de apoio às Micro e Pequenas Empresas.

Para conhecer as melhores práticas, clique aqui.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em