Qualificação e Certificação em Turismo de Aventura

Programa Aventura Segura http://www.abeta.com.br/aventurasegura/img/divisorNoticias.gif Qualificação e Certificação em Turismo de Aventura A atividade turística vem ganhando destaque na

  
  

Programa Aventura Segura

http://www.abeta.com.br/aventurasegura/img/divisorNoticias.gif

Qualificação e Certificação em Turismo de Aventura

A atividade turística vem ganhando destaque na economia mundial. Além disso, vem crescendo a busca por destinos internacionais emergentes, nos quais o Brasil vem ganhando destaque. Reconhecendo essa tendência e a importância do turismo para o incremento da economia é que a atividade foi considerada um foco para investimentos no último governo, sendo criado o Ministério do Turismo.

Uma mudança de comportamento dos turistas, que hoje buscam novas experiências, aliadas ao contato com a natureza, fez crescer significativamente a oferta de produtos de turismo de aventura e ecoturismo. Esse aumento da oferta, aliado ao crescimento da demanda nacional e internacional pelo segmento, fez com que o Ministério do Turismo considerasse o Turismo de Aventura um segmento prioritário para investimentos em organização, visto que se trata de um segmento no qual o risco inerente à atividade é em geral maior do que em outros segmentos, necessitando ainda alcançar padrões internacionais de qualidade e profissionalização para competir no mercado internacional com os demais destinos.

O Sebrae Nacional, através do Programa SEBRAE de Turismo, vem trabalhando o aumento da competitividade e o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas prestadoras de serviços turísticos no Brasil. Em consonância com as diretrizes do Ministério do Turismo, este programa priorizou o Turismo de Aventura entre os segmentos para a sustentação econômica, cultural,social e ambiental dos destinos turísticos.

Assim, surgiu o Programa de Qualificação e Certificação do Turismo de Aventura – Programa Aventura Segura, uma iniciativa do Ministério do Turismo em parceira com o SEBRAE Nacional, executado através de um convênio com a ABETA – Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura. O Programa Aventura Segura é a soma das ações de fortalecimento institucional, geração e disseminação de conhecimento, qualificação de pessoas e empresas, subsídio à avaliação da conformidade para condutores e empresas, e formação de grupos voluntários de busca e salvamento (GVBS).

O Programa tem duração prevista de 36 meses, foi iniciado janeiro de 2006 e será realizado até dezembro de 2008.

A concepção do Programa contemplou ações de abrangência nacional, como por exemplo, as metas de geração e disseminação do conhecimento e os cursos de educação a distância. Visando concentrar esforços e maximizar resultados, o Ministério do Turismo, em parceria com o Sebrae e a ABETA , definiram os quinze primeiros destinos turísticos a serem apoiados pelo programa, com base no Programa de Regionalização – Roteiros do Brasil.

Para seleção dos destinos, também foram adotados critérios como o potencial para comercialização internacional, o número de atividades ofertadas, a concentração de empresas, a capacidade de mobilização e articulação, dentre outros.

Os 15 destinos turísticos nacionais priorizados nesta fase são: Rio de Janeiro – RJ; Fortaleza – CE; Bonito – MS; Chapada Diamantina – BA; Chapada dos Veadeiros – GO; Florianópolis – SC; Vale Alto Ribeira – SP; Serra do Cipó – MG; Foz do Iguaçu – PR; Serras Gaúchas – RS e SC; Brotas – SP; Serra dos Órgãos – RJ; Lençóis Maranhenses – MA; Manaus – AM e Recife – PE.

O Programa Aventura Segura está dividido em 06 metas:

  1. Geração e Disseminação de Conhecimento do Turismo de Aventura
  2. Estímulo ao associativismo – a união do Turismo de Aventura
  3. Qualificação Profissional - Qualidade e Aperfeiçoamento para Guias e Condutores
  4. Qualificação de Empresas – Gestão Segura para o Negócio Turismo de Aventura
  5. Subsídio a Certificação – Certificado de segurança para Empresas e Condutores
  6. Formação e Capacitação de Grupos Voluntários de Busca e Salvamento (GVBS)
  7. Objeto do Programa Aventura Segura

    Fortalecer, qualificar e estruturar o segmento do turismo de aventura no Brasil realizando iniciativas voltadas para o desenvolvimento com qualidade, sustentabilidade e segurança.

    Metas do Programa

    1. Geração e Disseminação de Conhecimento do Turismo de Aventura

    Conhecer o negócio Turismo de Aventura é uma necessidade dos profissionais e empresários e gestores do segmento. Para alcançar esta meta, o Programa realiza as seguintes ações:

    Elaboração do Diagnóstico do Turismo de Aventura no Brasil
    Realização do Planejamento estratégico
    Realização de Seminários Técnicos de Turismo de Aventura
    Desenvolvimento dos Manuais de Boas Práticas
    Construção do Portal do Conhecimento do Turismo de Aventura

    2. Estímulo ao Associativismo – a união do Turismo de Aventura

    Para o Turismo de Aventura evoluir é necessária a mobilização e o fortalecimento das organizações que o representam nacional, estadual e regionalmente. Por isto, são realizadas ações para a criação ou fortalecimento de organizações que possam representar o Turismo de Aventura nos destinos.

    3. Qualificação Profissional - Qualidade e Aperfeiçoamento para Guias e Condutores

    O desenvolvimento de normas técnicas para o Turismo de Aventura trouxe à tona a necessidade de ações de qualificação de condutores, empresários e profissionais. Dessa forma, os cursos de Competências Mínimas para os Condutores do Turismo de Aventura, baseados na norma ABNT NBR 15285 Turismo de Aventura – Competências Mínimas de Condutores, e os cursos de Primeiros Socorros, são especialmente desenvolvidos para o contexto e as situações vividas na prática do turismo de aventura.

    4. Qualificação de Empresas – Gestão Segura para o Negócio Turismo de Aventura

    A meta qualificação de empresas envolve cursos de Gestão da Segurança e cursos de Gestão Empresarial. Esses cursos podem ser feitos em duas modalidades: presencial e a distância. Envolve também todo um processo estruturado de assistência técnica para a implementação do Sistema de Gestão da Segurança, preparando a empresa para receber a visita de um auditor que fará sua certificação.

    5. Subsídio a Certificação – selo de qualidade para Empresas e Condutores

    Após a qualificação, as empresas participam de um processo de avaliação da conformidade subsidiado. Ele tem como objetivo a obtenção da certificação, que atestará que a empresa ou o condutor alcançou os requisitos estabelecidos nas normas existentes.

    A ABETA atuará na qualificação das empresas e profissionais visando à certificação. Esta certificação, porém, será feita por um organismo de certificação acreditado pelo INMETRO.

    6. Formação e Capacitação de Grupos Voluntários de Busca e Salvamento (GVBS) - Prevenção e Capacidade de Resposta a acidentes nos destinos

    O Programa Aventura Segura, por compreender que o risco é uma característica inerente à atividade de turismo de aventura e por acreditar que as iniciativas de normalização e certificação vão induzir desenvolvimento do segmento, impactando positivamente os fluxos turísticos, entendeu que é necessário o desenvolvimento paralelo de ações que contribuam para o fortalecimento dos sistemas de segurança que apóiam as atividades de turismo de aventura no País. Os GVBSs são formados e mantidos por integrantes da comunidade. É essencial o envolvimento do poder público e do Sistema Público de Defesa Civil (Corpo de Bombeiros locais, se tiver) e Segurança Pública. A parceria com a iniciativa privada também é fundamental.

    Resultados Esperados

    O projeto, por sua abrangência, capacidade de mobilização e impacto, já está transformando significativamente o cenário do Turismo de Aventura no Brasil. Espera-se, com isso, fortalecer o segmento, aumentar a qualidade e a segurança das atividades de Turismo de Aventura ofertadas, qualificar os destinos, conhecer a própria realidade e, assim, poder traçar estratégias e ações futuras adequadas, nacional e internacionalmente.

    As metas a serem alcançadas são as seguintes:

    Segmento de turismo de aventura mobilizado e fortalecido – 15 associações mobilizadas;
    Condutores, profissionais e empresas qualificadas quanto à operação com qualidade e segurança e gestão responsável do turismo de aventura 4.000 pessoas capacitadas;
    Disseminação de uma cultura de qualidade e segurança para o segmento de turismo de aventura – 10 manuais de boas práticas elaborados e 10.000 downloads realizados;
    Organização e estruturação de Grupos Voluntários de Busca e Salvamento – 15 GVBS formados;
    Implementação da assistências técnica para empresas de turismo de aventura implementarem o Sistema de gestão da Segurança – 225 empresas;
    Realização de Avaliação da conformidade ABNT NBR 15285 – 1500 pessoas;
    Realização da Avaliação da conformidade ABNT NBR 15331 – 200 empresas.

    Os resultados qualitativos esperados para as micro e pequenas empresas são:

    Ampliação da competitividade e da capacidade de geração de receitas das empresas de turismo de aventura;
    Minimização dos riscos de operação e melhor capacidade de resposta a situações adversas;
    Fortalecimento do modelo de gestão;
    Desenvolvimento de competências para a gestão de suas empresas;
    Adoção de referenciais e boas práticas empresariais;
    Obtenção de diferencial competitivo através da certificação;
    Profissionais mais competentes na gestão das atividades de turismo de aventura;
    Acesso a informações e banco de dados para consultas, estudos e pesquisas sobre o segmento de turismo de aventura em especial sobre gestão da segurança.

    Com isso, ganha o Turismo de Aventura brasileiro, que tem tudo para se estabelecer como uma atividade promissora, e ganha o Brasil, que se tornará um destino à altura do Turismo de Aventura mundial.

    Fonte: ABETA

      
      

    Publicado por em