Sergipe se prepara para receber turistas do mundo todo durante a Copa do Mundo de 2014

A conquista do título de país sede de dois megaeventos internacionais tem causado boa expectativa no setor turístico brasileiro.

  
  
Sergipe

A conquista do título de país sede de dois megaeventos internacionais tem causado boa expectativa no setor turístico brasileiro. Pensando em preparar os estados para receber a média de 800 mil turistas estrangeiros que aproveitarão a Copa do Mundo de 2014, e as Olimpíadas de 2016 para vir ao Brasil, a Empresa Brasileira e Turismo (Embratur) tem visitado as capitais brasileiras para orientar os órgãos ligados ao setor na divulgação internacional dos principais destinos das regiões.

Para isto, a Embratur apresentou em Sergipe, na manhã desta terça-feira, o Plano Aquarela 2020, o qual põe em prática as ações de marketing internacional do Brasil. Para que os principais destinos turísticos regionais brasileiros possam ser acessados de qualquer lugar do mundo através do site da Embratur, os Estados devem atualizar suas fichas cadastrais através de um levantamento de dados e informações, e definir os destinos prioritários dentro dos segmentos (sol e praia, eco turismo, etc.) e mercados turísticos (cidades históricas, resorts, etc.). Em Sergipe, serão ressaltados destinos como as praias de Atalaia, Barra dos Coqueiros, e os municípios de São Cristóvão, Laranjeiras, Xingó e Pirambu.

De acordo com o secretário responsável pela Secretaria do Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, e do Turismo (Sedetec), Jorge Santana, Aracaju já recebeu as primeiras sinalizações positivas no pleiteio do título de sub sede da Copa do Mundo de 2014. “O objetivo é hospedar uma seleção na cidade, onde os jogadores treinarão e descansarão das partidas. Além disso, pretende-se trazer para o estado os turistas que assistirão aos jogos nas cidades nordestinas sedes da competição (Natal, Salvador e Recife) para que aproveitem e conheçam os destinos turísticos do estado”, afirmou Jorge Santana.

Segundo o diretor de operações da Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur), Diego Costa, o estado de Sergipe já tem realizado ações de divulgação internacional. “Nós já publicamos conteúdo de incentivo à visitação ao estado em revistas de circulação mundial, e agora nós pretendemos aproveitar da melhor forma as orientações do Plano Aquarela 2020, que visa unificar o discurso de divulgação das atrações regionais com a divulgação do país para o exterior. As estratégias são excelentes e o nós pretendemos apresentar aos empresários do setor para que estes se somem e futuramente dêem continuidade”, apontou.

Megaeventos

De acordo com dados colhidos pelo Plano Aquarela 2020, os turistas que visitam o país para participarem de eventos costumam gastar por dia até quatro vezes mais do que o turista que vem somente a passeio em temporadas simples. “Além disso, a intenção de retorno do turista de eventos é de 80%, por isso, uma das metas do Plano é ainda aumentar o incentivo para a permanência deste perfil de visitante no país. Os megaeventos potencializam a capacidade do país e para isso a diversificação da oferta internacional de destinos como os de Sergipe nos diversos segmentos é imprescindível”, destacou a técnica da Embratur durante sua apresentação.

Aproveitar os grandes eventos esportivos que estão por vir para destacar pontos brasileiros tidos como positivos pela mídia internacional como a economia, a cultura, o potencial turístico, ainda de acordo com Patrícia Fernandes, é uma estratégia para manter o crescimento da entrada de turistas acima da média da América do Sul e aumentar o tempo de permanência dos visitantes – o que resulta no aumento do gasto médio por dia. “Estar bem preparado para receber os turistas e proporcionar-lhes bons momentos em nosso país é não fazer feio diante de uma audiência acumulada estimada em 30 bilhões de telespectadores de todo o planeta, durante a Copa do Mundo de 2014”, ressaltou a técnica da Embratur.

Aquarela brasileira

O Plano Aquarela 2020 começou a ser aplicado no ano de 2004 com o objetivo de transformar a imagem que o mundo tinha do país e finalmente tornar o Brasil um destino turístico capaz de proporcionar momentos inesquecíveis àqueles que apostassem na idéia. Durante um ano, técnicos da Embratur realizaram um diagnóstico das impressões de 6.400 turistas, 1400 que já haviam visitado o país e 5000 que não conheciam o Brasil. Além disso, consultaram operadores (agentes e agências de viagem) que vendiam o Brasil como destino turístico, e também os que não vendiam.

Durante o diagnóstico, o Plano Aquarela 2020 traçou metas e as alcançou. Entre as metas estavam: as de tornar o Brasil o destino líder na América do Sul, e principalmente a meta de construir a imagem do país baseada na diversidade das festas populares, do potencial de eco turismo, e do turismo de sol e praia, muito apreciado também pelo público interno brasileiro. Um portifólio de oferta dos principais turísticos brasileiros foi montado, assim como um plano operacional (2005/2009).

Em 2009, os técnicos da Embratur realizaram uma nova pesquisa com 2.400 turistas e constataram 90% de grau de satisfação máximo, e 90% de pretensão de regresso ao país. O país alcançou o patamar de destino turístico líder na América do Sul, e 7º lugar no mundo em número de eventos internacionais. De acordo com a técnica da Embratur, Patrícia Fernandes, quando questionados sobre uma palavra que definia a visita muitos turistas respondiam “sensacional”. “A viagem ao Brasil é mesmo repleta de sensações e sentimentos, daí resolvemos incluir a palavra na marca do Plano Aquarela 2020”, explicou Patrícia. Os turistas indicaram ainda o povo brasileiro como a melhor coisa do Brasil.

Fonte: Governo do Estado do Sergipe

  
  

Publicado por em