Refúgio Biológico de Foz do Iguaçu torna-se referência ambiental

Com uma concepção moderna de arquitetura e recintos para animais, o Refúgio Biológico da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), está se tornando referência ambiental. A nova estrutura de visitação otimizada por trilhas interativas é um chamariz para tu

  
  

Com uma concepção moderna de arquitetura e recintos para animais, o Refúgio Biológico da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), está se tornando referência ambiental. A nova estrutura de visitação otimizada por trilhas interativas é um chamariz para turistas brasileiros e estrangeiros.

Criado na década de 70 para proteção das espécies animais e vegetais da região, o refúgio investe em pesquisa, recuperação de áreas degradadas, educação ambiental e turismo. O novo complexo de visitação possui 23 edificações e funciona com base em um modelo turístico planejado a partir de consultorias de universidades do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

As construções são fundamentadas na arquitetura bioclimática, que privilegia a relação entre o homem e o meio ambiente. Essa concepção considera desde a posição do sol até a altura dos prédios para estabelecer ambientes de maior conforto, edificados com tijolos e cerâmicas de baixo impacto ambiental.

Para conhecer os atrativos da área, os turistas têm a opção de percorrer quatro trilhas com diferentes finalidades. A mais procurada é a Trilha dos Animais, um percurso pela mata por onde é possível observar animais da fauna regional, tais como onça, macaco, jacaré e jabuti. As espécies ficam soltas em ambientes amplos e confortáveis , um diferencial das tradicionais jaulas dos zoológicos.

Durante o percurso pela Trilha dos Animais, os turistas recebem informações sobre cadeia alimentar, hábito das espécies, ambiente e extinção. A estratégia integra um trabalho voltado à educação ambiental.

“Primeiro trabalhamos o que iríamos passar ao público para depois escolher o recinto”, diz o veterinário Wanderlei Moraes.

Além de modernos e espaçosos, os recintos facilitam a observação dos 133 animais de 44 espécies, todos da fauna da região. Uma das atrações é a onça pintada, maior carnívoro da região que está ameaçada de extinção.

A onça fica em um espaço de 1,2 mil metros quadrados, um ambiente pouco comum que chama atenção dos turistas por ter um lago, onde o animal costuma tomar banho todos os dias, e uma parede de vidro, que facilita a observação do felino.

Ao mês, cerca de 1,5 mil pessoas visitam o refúgio, entre turistas e estudantes de Foz do Iguaçu e região. O estudante Elton Christ, 10 anos, da 4.ª série de um colégio de Missal (PR), ficou surpreso ao fazer o passeio e se deparar com a onça pintada em um ambiente semelhante ao natural. Para Elton, a visita é uma oportunidade para aprender a preservar a natureza.

Fonte: Gazeta do Povo

  
  

Publicado por em

Lêda

Lêda

03/01/2010 11:24:45
Excelente artigo.
Parabéns
Feliz 2010